Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

dmais@dgabc.com.br | 4435-8396

Pesquisa sobre xingamentos em inglês

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Netflix mescla estudo e humor nos episódios da série ‘A História do Palavrão’


Luís Felipe Soares

17/01/2021 | 00:01


É difícil saber o momento onde se aprende um palavrão. Ele pode surgir em meio a conversas com amigos, na contação de história de um familiar, nas páginas de um livro ou em falas de filmes voltados para um público com idade superior a 18 anos. Nem todos dizem, mas (quase) todo mundo já ouviu alguns exemplares. Segundo o dicionário, trata-se de termo considerado obsceno, uma grosseria, sendo geralmente utilizado para xingamentos. A Netflix aposta na popularidade dessas palavras em seu recente show original A História do Palavrão, que mescla comédia e muita pesquisa para explanar sobre o assunto, principalmente para a audiência jovem.

Assim como outros vocábulos, possuem origem, significados e ressignificações ao longo do tempo. Esse acaba por ser o diferencial da série norte-americana. Ela abusa do tom escrachado para entrar na onda de brincadeira que cerca os termos, uma vez que podem surgir em situações cômicas – mas ganham força mesmo em meio à irritação. São seis episódios, com duração de 20 minutos cada, movidos por um termo em especial. Esses ‘protagonistas’ são em inglês e comumente proferidos nos milhares de filmes com censura minimamente alta vindos de Hollywood. Não espere que as traduções abrangentes para o português sejam significativas, uma vez que chegam a atrapalhar em certos momentos.

O estilo documental tenta trazer ‘classe’. No comando da atração está o ator Nicolas Cage (de A Lenda do Tesouro Perdido e Motoqueiro Fantasma, além de outros títulos recheados de conteúdos mais fortes no roteiro), apostando em estilo canastrão para convidar os espectadores para “uma jornada pela história, pela evolução e pelo impacto cultural dos palavrões”. Segundo ele, “com palavrões, podemos ferir, acalmar, encantar, assustar, insultar e seduzir”.

Historiadores, pesquisadores linguísticos e escritores são os principais ao darem explicações. Os comentários do apresentador disputam espaço com observações feitas por atores, comediantes e artistas em geral, com este grupo brincando com as possibilidades dos xingamentos no cotidiano em diferentes momentos. Alguns detalhes certamente serão novos para quem assiste.

A História do Palavrão funciona como válvula de escape para curiosidades aleatórias. Principalmente para os adolescentes, a repetição dos termos pode soar engraçado, com pequena reflexão sobre o real impacto desse vocabulário podendo ser despertado.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pesquisa sobre xingamentos em inglês

Netflix mescla estudo e humor nos episódios da série ‘A História do Palavrão’

Luís Felipe Soares

17/01/2021 | 00:01


É difícil saber o momento onde se aprende um palavrão. Ele pode surgir em meio a conversas com amigos, na contação de história de um familiar, nas páginas de um livro ou em falas de filmes voltados para um público com idade superior a 18 anos. Nem todos dizem, mas (quase) todo mundo já ouviu alguns exemplares. Segundo o dicionário, trata-se de termo considerado obsceno, uma grosseria, sendo geralmente utilizado para xingamentos. A Netflix aposta na popularidade dessas palavras em seu recente show original A História do Palavrão, que mescla comédia e muita pesquisa para explanar sobre o assunto, principalmente para a audiência jovem.

Assim como outros vocábulos, possuem origem, significados e ressignificações ao longo do tempo. Esse acaba por ser o diferencial da série norte-americana. Ela abusa do tom escrachado para entrar na onda de brincadeira que cerca os termos, uma vez que podem surgir em situações cômicas – mas ganham força mesmo em meio à irritação. São seis episódios, com duração de 20 minutos cada, movidos por um termo em especial. Esses ‘protagonistas’ são em inglês e comumente proferidos nos milhares de filmes com censura minimamente alta vindos de Hollywood. Não espere que as traduções abrangentes para o português sejam significativas, uma vez que chegam a atrapalhar em certos momentos.

O estilo documental tenta trazer ‘classe’. No comando da atração está o ator Nicolas Cage (de A Lenda do Tesouro Perdido e Motoqueiro Fantasma, além de outros títulos recheados de conteúdos mais fortes no roteiro), apostando em estilo canastrão para convidar os espectadores para “uma jornada pela história, pela evolução e pelo impacto cultural dos palavrões”. Segundo ele, “com palavrões, podemos ferir, acalmar, encantar, assustar, insultar e seduzir”.

Historiadores, pesquisadores linguísticos e escritores são os principais ao darem explicações. Os comentários do apresentador disputam espaço com observações feitas por atores, comediantes e artistas em geral, com este grupo brincando com as possibilidades dos xingamentos no cotidiano em diferentes momentos. Alguns detalhes certamente serão novos para quem assiste.

A História do Palavrão funciona como válvula de escape para curiosidades aleatórias. Principalmente para os adolescentes, a repetição dos termos pode soar engraçado, com pequena reflexão sobre o real impacto desse vocabulário podendo ser despertado.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;