Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 26 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Prometeon vai contratar 200 trabalhadores para complexo logístico

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Armazém será construído na planta de Santo André, que fará parte do parque tecnológico


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

30/10/2020 | 00:05


A Prometeon (antiga Pirelli) irá ampliar sua atuação no Grande ABC. Será construído complexo logístico para armazenagem e distribuição de pneus em área até então ociosa no mesmo terreno que abriga a planta há 60 anos no bairro andreense Homero Thon. A expectativa é a de que armazém de 4.000 metros quadrados passe a operar em prazo de quatro meses. Serão contratados 200 trabalhadores diretos para atuar no local. As informações são da Prefeitura de Santo André.

Em julho, a Prometeon transferiu da Capital sua sede administrativa, e as decisões relacionadas à companhia em toda a América Latina passaram a ser tomadas na unidade da região. Hoje, há 2.700 profissionais na fábrica que produz pneumáticos agrícolas (60%) e pesados (40%). O valor do aportado no centro logístico, que terá capacidade para armazenar 8.200 pneus da Linha Agra, não foi divulgado. Também ainda não há detalhes sobre as vagas. O Sindicato dos Borracheiros da Grande São Paulo possui agenda com a companhia na terça-feira para tratar do assunto.

Apesar do cenário adverso da crise trazida pela pandemia do novo coronavírus, a Prometeon tem sentido aumento na demanda, principalmente por parte do setor do agronegócio, impulsionado pelo dólar elevado (ontem em R$ 5,76), que favorece as exportações de commodities e estimula a produção. “A empresa não demitiu na pandemia e tem operado em turno dobrado, sete dias por semana, na fabricação dos pneus agrícolas. E seis dias por semana na dos pesados”, afirma o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB). “Apesar do enorme desafio da economia em 2021 para promover a retomada da geração de emprego e renda, a Prometeon mostra que está reinventando a própria indústria ao apostar em produtos de alto valor agregado.”

Paulo Serra se refere ao fato de que, a partir de agora, toda a tecnologia de pneus do grupo será desenvolvida em Santo André. Além desta unidade, o grupo possui outra em Gravataí (Rio Grande do Sul). “Serão criados produtos mais sustentáveis, sem usar derivados de petróleo e com energia limpa”, cita.

Justamente essa vocação inovadora fez com que ontem fosse formalizada a adesão da fabricante ao parque tecnológico andreense. A partir de então, haverá troca de experiências e tecnologias entre empresas, universidades e startups. A iniciativa também busca facilitar o acesso à mão de obra qualificada.

Conforme o CEO da Prometon, Eduardo Fonseca, a integração ao hub (conglomerado) de inovação dá mais relevância à ciência que é feita na região e prepara melhor os recursos humanos e a competitividade do negócio. “Quem não inova assume risco maior. A boa tecnologia é aquela que consegue impactar o mercado. Com inovação aberta se compartilha conhecimento, estrutura, diminui riscos financeiro e técnico e tem acesso mais rápido.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prometeon vai contratar 200 trabalhadores para complexo logístico

Armazém será construído na planta de Santo André, que fará parte do parque tecnológico

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

30/10/2020 | 00:05


A Prometeon (antiga Pirelli) irá ampliar sua atuação no Grande ABC. Será construído complexo logístico para armazenagem e distribuição de pneus em área até então ociosa no mesmo terreno que abriga a planta há 60 anos no bairro andreense Homero Thon. A expectativa é a de que armazém de 4.000 metros quadrados passe a operar em prazo de quatro meses. Serão contratados 200 trabalhadores diretos para atuar no local. As informações são da Prefeitura de Santo André.

Em julho, a Prometeon transferiu da Capital sua sede administrativa, e as decisões relacionadas à companhia em toda a América Latina passaram a ser tomadas na unidade da região. Hoje, há 2.700 profissionais na fábrica que produz pneumáticos agrícolas (60%) e pesados (40%). O valor do aportado no centro logístico, que terá capacidade para armazenar 8.200 pneus da Linha Agra, não foi divulgado. Também ainda não há detalhes sobre as vagas. O Sindicato dos Borracheiros da Grande São Paulo possui agenda com a companhia na terça-feira para tratar do assunto.

Apesar do cenário adverso da crise trazida pela pandemia do novo coronavírus, a Prometeon tem sentido aumento na demanda, principalmente por parte do setor do agronegócio, impulsionado pelo dólar elevado (ontem em R$ 5,76), que favorece as exportações de commodities e estimula a produção. “A empresa não demitiu na pandemia e tem operado em turno dobrado, sete dias por semana, na fabricação dos pneus agrícolas. E seis dias por semana na dos pesados”, afirma o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB). “Apesar do enorme desafio da economia em 2021 para promover a retomada da geração de emprego e renda, a Prometeon mostra que está reinventando a própria indústria ao apostar em produtos de alto valor agregado.”

Paulo Serra se refere ao fato de que, a partir de agora, toda a tecnologia de pneus do grupo será desenvolvida em Santo André. Além desta unidade, o grupo possui outra em Gravataí (Rio Grande do Sul). “Serão criados produtos mais sustentáveis, sem usar derivados de petróleo e com energia limpa”, cita.

Justamente essa vocação inovadora fez com que ontem fosse formalizada a adesão da fabricante ao parque tecnológico andreense. A partir de então, haverá troca de experiências e tecnologias entre empresas, universidades e startups. A iniciativa também busca facilitar o acesso à mão de obra qualificada.

Conforme o CEO da Prometon, Eduardo Fonseca, a integração ao hub (conglomerado) de inovação dá mais relevância à ciência que é feita na região e prepara melhor os recursos humanos e a competitividade do negócio. “Quem não inova assume risco maior. A boa tecnologia é aquela que consegue impactar o mercado. Com inovação aberta se compartilha conhecimento, estrutura, diminui riscos financeiro e técnico e tem acesso mais rápido.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;