Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mauá dará reajuste a servidores da Câmara e do Paço

Para funcionários da Prefeitura, aumento será de 4,2% em duas vezes; do Legislativo, de 7% em uma só parcela


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

27/03/2020 | 00:01


A Câmara de Mauá aprovou na última sessão ordinária, em dois turnos, projetos que autorizam concessão de reajustes salariais, em índices distintos, para os servidores da Prefeitura e do próprio Legislativo mauaense. As medidas foram apreciadas na terça-feira durante a derradeira plenária realizada, uma vez que a casa suspendeu os trabalhos por um mês como forma preventiva de evitar a proliferação do novo coronavírus.

Os índices de reajustes são diferentes. No caso do funcionalismo do Paço, o governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB) propôs – e os parlamentares aprovaram – aumento de 4,2% para a categoria, sendo que o pagamento será feito em duas vezes: a primeira parcela, de 2,1%, será depositada em abril, já a segunda, em agosto (mais 2,1%).

O Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos) de Mauá alega que o índice “não atende com justiça a correção dos salários”. “A nossa reivindicação era por um reajuste que fizesse jus ao esforço que todos os servidores, principalmente os da saúde, têm feito na luta contra esse coronavírus, mas ao menos temos o percentual de 4,2%, que corrige as perdas da inflação nos últimos 12 meses”, destacou o presidente do Sindserv, Jesomar Alves Lobo, ao emendar que a categoria, agora, segue pressionando o Paço por reajustes de benefícios, como auxílio-alimentação e auxílio-odontológico.

Para o primeiro, a reivindicação é a de que o valor passe dos atuais R$ 410 para R$ 480, enquanto que o segundo, de R$ 410 para R$ 500. “Agora o governo municipal precisa dar celeridade no sentido de resolver a questão do auxílio-alimentação e do auxílio-odontológico”, cobrou Lobo. Por conta do curto prazo – a legislação eleitoral proíbe concessão de aumento ao funcionalismo no período de três meses antes do pleito –, o Sindiserv exige urgência no pleito. Serão cerca de 5.000 servidores (efetivos e comissionados) contemplados.

Já os servidores da Câmara receberão 7% de aumento salarial, a ser pago de uma vez só a partir de abril. Os cerca de 200 servidores da casa, além dos inativos, também vão ter o mesmo índice aplicado sobre a gratificação legislativa, abono pago ao pessoal de acordo com o salário de cada um. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;