Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Dia do Consumidor com segurança


Do Diário do Grande ABC

15/03/2020 | 09:02


Estamos no mês mais significativo para o varejo e no Dia do Consumidor, comemorado hoje, 15. A data já é considerada como uma das mais importantes do calendário para o comércio. Consumidores se preparam para promoções especiais do período e os cybers criminosos também já planejam ataques. Páginas falsas e links maliciosos podem estar ‘camuflados’ de promoções tentadoras em marketplaces, sites e aplicativos de compras. Movimentação de transações para pagamentos, inclusive no comércio virtual, onde o público malicioso fica mais ativo nas tentativas de captura, passa a ser intensa neste período. Cenário é exatamente o mesmo, já há alguns anos, e chegou a hora para algumas reflexões sobre a forma como as pessoas estão lidando com a questão da segurança digital. Proteção deve ser prioridade, principalmente neste momento de invasões, fraudes e golpes de todas as modalidades.

No fim de 2019, Black Friday e Natal causaram movimentações consideráveis para o comércio on-line. Levantamento da consultoria Ebit/Nielsen, no fim do ano passado, apurou faturamento acima de R$ 3 bilhões, em dois dias, o que significa aumento de 23,6%, em relação ao mesmo período, em 2018. À medida em que tecnologias se tornam avançadas, criminosos criam mecanismos para quebrar qualquer tipo de dificuldade de acesso. Por não saber identificar se está navegando em ambiente seguro, o usuário final acaba direcionado para páginas falsas, onde, ao utilizar cartão de crédito para pagamentos ou preencher formulários para cadastros, coloca seus dados em risco.

Consumidor precisa adotar a cultura de proteger seu celular e tablet para ter como identificar tentativas de fraudes e evitar prejuízos. Caso contrário, sempre estará na mira dos criminosos. Para quem pretende aproveitar oportunidades do Dia do Consumidor realizando compras on-line, dicas de segurança abaixo são muito importantes:

– Desconfie de qualquer oferta muito agressiva. Por trás desses links pode haver roubo de dados, senhas e informações sigilosas que estão armazenados no dispositivo;

– Prefira acessar os sites das lojas digitando o endereço e não por meio de links recebidos ou divulgados nas redes sociais. O WhatsApp não tem os anúncios, mas oferece risco;

– Escolha sempre solução completa de segurança para instalar no dispositivo. Um antivírus somente não será suficiente para barrar ações criminosas na rede.
Para evitar dores de cabeça é sempre bom ficar atento ao que está sendo oferecido nos anúncios e, antes de fazer qualquer tipo de transação on-line, proteger o celular ou tablet para que a navegação seja segura e sem abertura para qualquer tipo de tentativa de fraude.

Marcus Garcia é vice-presidente de produtos da empresa FS.

PALAVRA DO LEITOR

Calçadão
Meus cumprimentos ao prefeito de Santo André, Paulo Serra, que, de acordo com este Diário (Setecidades, dia 10), vai finalmente concluir a restauração do Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes e implantar calçadão no trecho dos primeiros quarteirões da Rua Senador Flaquer, integrando com o calçadão da Coronel Oliveira Lima. Acredito que, dessa forma, a parte cultural e também as atividades de comércio e serviços vão permanecer funcionando na parte da noite. Nesse caso, será necessário ampliar a segurança, que praticamente não existe na parte central da cidade no período noturno, embora exista delegacia no início da Rua Xavier de Toledo e base militar na Praça do Carmo, que funcionam somente durante o dia.
Hildebrando Pafundi
São Caetano

Hospital
Com muita indignação informo que a situação do Hospital Municipal de Santo André está lamentável. O setor da ala 1, como é chamado, tem várias pessoas com diversas patologias e ‘uma em cima da outra’. Pacientes de AVC (Acidente Vascular Cerebral) ficam misturados. Na alimentação, alguns fazem refeições nas camas. Os profissionais que cuidam não têm máscaras para evitar o contato visando a prevenção ao coronavírus. Pessoas idosas podem ser contaminadas. Absurdo! Fui direto à direção, fiz reclamação por escrito, mas faz cinco dias e nada. Nossas autoridades não veem essa situação? Diante desses fatos, solicito providências urgentes, prefeito Paulo Serra, pois sei que dará devida atenção para melhorar essa área do hospital, por favor.
Reginaldo Amaral
Santo André

Não foi favor!
O leitor Ailton Lima, de São Bernardo, disse em sua carta (Aviões FAB, dia 10) que parabeniza Bolsonaro por endurecer regras para uso de aviões da FAB (Força Aérea Brasileira). O caro missivista só esqueceu de dizer que os aviões da Força Aérea foram usados por gente do próprio governo – adjunto de ministro –, para conferência em Davos, na Suíça, e que, então, o presidente não fez mais do que a obrigação, era o mínimo que deveria fazer. Ele não nos fez nenhum favor! Enquanto nós, brasileiros de bem, continuarmos com esse tipo de discurso, não mudaremos em nada o modo de agir desses maus políticos. Precisamos procurar entender a política para combater gente como Bolsonaro, e não sermos cordeirinhos.
Lucas Bentanai
São Caetano

Especialistas
Os ‘especialistas’ no Brasil estão mais para personagens de programas de (mau) humor. Quinze dias antes da eleição de 2018, polarizada entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, esses ‘profissionais’ fizeram ‘previsão’ que apontava que se o petista fosse eleito à Presidência, o dólar subiria estratosfericamente, na casa dos R$ 5. Isso após ‘sérios’ levantamentos, estudos, pesquisas ou seja lá como denominam. Houve pesquisa de uma tal de XP Investimentos que apontava que 85% dos ‘entrevistados’ acreditavam que com Fernando Haddad no poder a moeda norte-americana passaria dos R$ 4. O candidato do PT foi derrotado. Jair Bolsonaro, o ‘salvador da Pátria’, está aí, aprontando. O dólar já passou dos R$ 5, e caminha a passos largos para mais reajustes. ‘Especialistas’ se calaram. E agora, o que diriam? Será que faziam parte do time de disseminadores de fake news montado pelo atual presidente e seus filhos?
Nice do Carmo Veras
Mauá 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dia do Consumidor com segurança

Do Diário do Grande ABC

15/03/2020 | 09:02


Estamos no mês mais significativo para o varejo e no Dia do Consumidor, comemorado hoje, 15. A data já é considerada como uma das mais importantes do calendário para o comércio. Consumidores se preparam para promoções especiais do período e os cybers criminosos também já planejam ataques. Páginas falsas e links maliciosos podem estar ‘camuflados’ de promoções tentadoras em marketplaces, sites e aplicativos de compras. Movimentação de transações para pagamentos, inclusive no comércio virtual, onde o público malicioso fica mais ativo nas tentativas de captura, passa a ser intensa neste período. Cenário é exatamente o mesmo, já há alguns anos, e chegou a hora para algumas reflexões sobre a forma como as pessoas estão lidando com a questão da segurança digital. Proteção deve ser prioridade, principalmente neste momento de invasões, fraudes e golpes de todas as modalidades.

No fim de 2019, Black Friday e Natal causaram movimentações consideráveis para o comércio on-line. Levantamento da consultoria Ebit/Nielsen, no fim do ano passado, apurou faturamento acima de R$ 3 bilhões, em dois dias, o que significa aumento de 23,6%, em relação ao mesmo período, em 2018. À medida em que tecnologias se tornam avançadas, criminosos criam mecanismos para quebrar qualquer tipo de dificuldade de acesso. Por não saber identificar se está navegando em ambiente seguro, o usuário final acaba direcionado para páginas falsas, onde, ao utilizar cartão de crédito para pagamentos ou preencher formulários para cadastros, coloca seus dados em risco.

Consumidor precisa adotar a cultura de proteger seu celular e tablet para ter como identificar tentativas de fraudes e evitar prejuízos. Caso contrário, sempre estará na mira dos criminosos. Para quem pretende aproveitar oportunidades do Dia do Consumidor realizando compras on-line, dicas de segurança abaixo são muito importantes:

– Desconfie de qualquer oferta muito agressiva. Por trás desses links pode haver roubo de dados, senhas e informações sigilosas que estão armazenados no dispositivo;

– Prefira acessar os sites das lojas digitando o endereço e não por meio de links recebidos ou divulgados nas redes sociais. O WhatsApp não tem os anúncios, mas oferece risco;

– Escolha sempre solução completa de segurança para instalar no dispositivo. Um antivírus somente não será suficiente para barrar ações criminosas na rede.
Para evitar dores de cabeça é sempre bom ficar atento ao que está sendo oferecido nos anúncios e, antes de fazer qualquer tipo de transação on-line, proteger o celular ou tablet para que a navegação seja segura e sem abertura para qualquer tipo de tentativa de fraude.

Marcus Garcia é vice-presidente de produtos da empresa FS.

PALAVRA DO LEITOR

Calçadão
Meus cumprimentos ao prefeito de Santo André, Paulo Serra, que, de acordo com este Diário (Setecidades, dia 10), vai finalmente concluir a restauração do Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes e implantar calçadão no trecho dos primeiros quarteirões da Rua Senador Flaquer, integrando com o calçadão da Coronel Oliveira Lima. Acredito que, dessa forma, a parte cultural e também as atividades de comércio e serviços vão permanecer funcionando na parte da noite. Nesse caso, será necessário ampliar a segurança, que praticamente não existe na parte central da cidade no período noturno, embora exista delegacia no início da Rua Xavier de Toledo e base militar na Praça do Carmo, que funcionam somente durante o dia.
Hildebrando Pafundi
São Caetano

Hospital
Com muita indignação informo que a situação do Hospital Municipal de Santo André está lamentável. O setor da ala 1, como é chamado, tem várias pessoas com diversas patologias e ‘uma em cima da outra’. Pacientes de AVC (Acidente Vascular Cerebral) ficam misturados. Na alimentação, alguns fazem refeições nas camas. Os profissionais que cuidam não têm máscaras para evitar o contato visando a prevenção ao coronavírus. Pessoas idosas podem ser contaminadas. Absurdo! Fui direto à direção, fiz reclamação por escrito, mas faz cinco dias e nada. Nossas autoridades não veem essa situação? Diante desses fatos, solicito providências urgentes, prefeito Paulo Serra, pois sei que dará devida atenção para melhorar essa área do hospital, por favor.
Reginaldo Amaral
Santo André

Não foi favor!
O leitor Ailton Lima, de São Bernardo, disse em sua carta (Aviões FAB, dia 10) que parabeniza Bolsonaro por endurecer regras para uso de aviões da FAB (Força Aérea Brasileira). O caro missivista só esqueceu de dizer que os aviões da Força Aérea foram usados por gente do próprio governo – adjunto de ministro –, para conferência em Davos, na Suíça, e que, então, o presidente não fez mais do que a obrigação, era o mínimo que deveria fazer. Ele não nos fez nenhum favor! Enquanto nós, brasileiros de bem, continuarmos com esse tipo de discurso, não mudaremos em nada o modo de agir desses maus políticos. Precisamos procurar entender a política para combater gente como Bolsonaro, e não sermos cordeirinhos.
Lucas Bentanai
São Caetano

Especialistas
Os ‘especialistas’ no Brasil estão mais para personagens de programas de (mau) humor. Quinze dias antes da eleição de 2018, polarizada entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, esses ‘profissionais’ fizeram ‘previsão’ que apontava que se o petista fosse eleito à Presidência, o dólar subiria estratosfericamente, na casa dos R$ 5. Isso após ‘sérios’ levantamentos, estudos, pesquisas ou seja lá como denominam. Houve pesquisa de uma tal de XP Investimentos que apontava que 85% dos ‘entrevistados’ acreditavam que com Fernando Haddad no poder a moeda norte-americana passaria dos R$ 4. O candidato do PT foi derrotado. Jair Bolsonaro, o ‘salvador da Pátria’, está aí, aprontando. O dólar já passou dos R$ 5, e caminha a passos largos para mais reajustes. ‘Especialistas’ se calaram. E agora, o que diriam? Será que faziam parte do time de disseminadores de fake news montado pelo atual presidente e seus filhos?
Nice do Carmo Veras
Mauá 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;