Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Idosa se fere gravemente após briga generalizada em família

Mulher de 72 anos sofreu traumatismo craniano; parentes acusam ex-genro


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

17/02/2020 | 00:02


Uma idosa de 72 anos caiu e sofreu traumatismo craniano após briga generalizada ocorrida na altura no número 2.100 da Rua Figueiras, bairro Campestre, em Santo André, na tarde do dia 6. Cleide Antônio foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao CHM (Centro Hospitalar Municipal), na cidade, e permanece internada. Familiares acusam o ex-genro da mulher, o bancário Renato Cappatti, 40, de tê-la empurrado. O homem nega.

De acordo com o filho de Cleide, o empresário Alan Antonio Machado, 44, a mãe estava discutindo com a mãe de Cappatti, em frente à escola onde seu sobrinho e seu filho estudam. As duas mulheres começaram a se agredir fisicamente, quando o suposto agressor teria vindo correndo e a atingido. A idosa caiu no chão e desmaiou. “Fui para cima dele (Cappatti), o agredi e o ameacei, porque ele atingiu uma idosa.” 

Cappatti nega que tenha agredido a ex-sogra e revidou as acusações. Segundo o bancário, foi Cleide quem o agrediu física e verbalmente e ele apenas teria tentado contê-la quando a idosa passou a atacar sua mãe. O bancário tinha ido levar o filho que tem com a filha de Cleide, a advogada Claudia Aparecida Machado, 52, para a escola. “Ela é quem não deveria estar lá. Foi para me provocar. Fui levar meu filho cumprindo o acordo de visita”, pontuou. Claudia tem uma medida protetiva que o impede de se aproximar dela. 

Apesar da negativa do bancário, o agente de segurança pessoal Jaime Astorgo, 35, estava dentro do carro após deixar a filha para a aula e assistiu tudo pelo retrovisor. “Vi quando a senhora começou a agredir a mulher dentro do carro e quando um homem grande a atingiu (se referindo a Cappatti). Então o outro rapaz foi para cima dele e saí do carro para separar os dois. É um absurdo a agressão a uma pessoa incapaz”, concluiu.

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado, equipes policiais realizaram a oitiva de todas as partes envolvidas e encaminharam o caso ao Jecrim (Juizado Especial Criminal ). A Secretaria de Saúde de Santo André informou que a paciente segue internada na área semi-intensiva devido à contusão cerebral. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Idosa se fere gravemente após briga generalizada em família

Mulher de 72 anos sofreu traumatismo craniano; parentes acusam ex-genro

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

17/02/2020 | 00:02


Uma idosa de 72 anos caiu e sofreu traumatismo craniano após briga generalizada ocorrida na altura no número 2.100 da Rua Figueiras, bairro Campestre, em Santo André, na tarde do dia 6. Cleide Antônio foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao CHM (Centro Hospitalar Municipal), na cidade, e permanece internada. Familiares acusam o ex-genro da mulher, o bancário Renato Cappatti, 40, de tê-la empurrado. O homem nega.

De acordo com o filho de Cleide, o empresário Alan Antonio Machado, 44, a mãe estava discutindo com a mãe de Cappatti, em frente à escola onde seu sobrinho e seu filho estudam. As duas mulheres começaram a se agredir fisicamente, quando o suposto agressor teria vindo correndo e a atingido. A idosa caiu no chão e desmaiou. “Fui para cima dele (Cappatti), o agredi e o ameacei, porque ele atingiu uma idosa.” 

Cappatti nega que tenha agredido a ex-sogra e revidou as acusações. Segundo o bancário, foi Cleide quem o agrediu física e verbalmente e ele apenas teria tentado contê-la quando a idosa passou a atacar sua mãe. O bancário tinha ido levar o filho que tem com a filha de Cleide, a advogada Claudia Aparecida Machado, 52, para a escola. “Ela é quem não deveria estar lá. Foi para me provocar. Fui levar meu filho cumprindo o acordo de visita”, pontuou. Claudia tem uma medida protetiva que o impede de se aproximar dela. 

Apesar da negativa do bancário, o agente de segurança pessoal Jaime Astorgo, 35, estava dentro do carro após deixar a filha para a aula e assistiu tudo pelo retrovisor. “Vi quando a senhora começou a agredir a mulher dentro do carro e quando um homem grande a atingiu (se referindo a Cappatti). Então o outro rapaz foi para cima dele e saí do carro para separar os dois. É um absurdo a agressão a uma pessoa incapaz”, concluiu.

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado, equipes policiais realizaram a oitiva de todas as partes envolvidas e encaminharam o caso ao Jecrim (Juizado Especial Criminal ). A Secretaria de Saúde de Santo André informou que a paciente segue internada na área semi-intensiva devido à contusão cerebral. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;