Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Alaíde desobedece Justiça e avaliza acordo com AMG

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeita assinou contrato emergencial com OS na sexta-feira, apesar de juiz vetar medida


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/08/2019 | 07:00


A prefeita de Mauá, Alaíde Damo (MDB), descumpriu decisão da Justiça da cidade e, na sexta-feira, assinou contrato emergencial, ou seja, sem licitação, com a OS (Organização Social) AMG (Associação Metropolitana de Gestão) para a gerência dos equipamentos de saúde do município.

O Diário antecipou na sexta à tarde que o juiz Glauco da Costa Leite, da 3ª Vara Civel, concedeu liminar pleiteada pelo Ministério Público para impedir que o governo Alaíde rompesse com a FUABC (Fundação do ABC) e assinasse o acordo com a AMG. Na ocasião, a Prefeitura de Mauá informou que ainda não havia sido notificada oficialmente, mas que tomaria as medidas “assim que necessário”. Contudo, não detalhou se recorreria ou não da decisão.

Ainda na sexta, o governo Alaíde publicou no Diário Oficial a ratificação da dispensa de licitação para a contração da AMG. O valor do convênio é de R$ 14,5 milhões por mês, com duração de seis meses – a quantia global é de R$ 87 milhões.

Em sua decisão, o juiz acatou os argumentos do MP, que questionou a escolha do governo Alaíde em celebrar contrato emergencial, uma vez que a FUABC já atua no município de forma precária, isto é, provisória. A medida judicial obriga o Paço mauaense a manter vínculo com a entidade da região e dá seis meses para que a administração realize licitação para contratar nova OS.

RESPOSTA

Por meio da assessoria de imprensa, a Prefeitura de Mauá informou que o contrato com a AMG foi ratificado porque até a data não havia sido notificada oficialmente da decisão judicial.

O Diário apurou que a administração não pretende recorrer da liminar. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alaíde desobedece Justiça e avaliza acordo com AMG

Prefeita assinou contrato emergencial com OS na sexta-feira, apesar de juiz vetar medida

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/08/2019 | 07:00


A prefeita de Mauá, Alaíde Damo (MDB), descumpriu decisão da Justiça da cidade e, na sexta-feira, assinou contrato emergencial, ou seja, sem licitação, com a OS (Organização Social) AMG (Associação Metropolitana de Gestão) para a gerência dos equipamentos de saúde do município.

O Diário antecipou na sexta à tarde que o juiz Glauco da Costa Leite, da 3ª Vara Civel, concedeu liminar pleiteada pelo Ministério Público para impedir que o governo Alaíde rompesse com a FUABC (Fundação do ABC) e assinasse o acordo com a AMG. Na ocasião, a Prefeitura de Mauá informou que ainda não havia sido notificada oficialmente, mas que tomaria as medidas “assim que necessário”. Contudo, não detalhou se recorreria ou não da decisão.

Ainda na sexta, o governo Alaíde publicou no Diário Oficial a ratificação da dispensa de licitação para a contração da AMG. O valor do convênio é de R$ 14,5 milhões por mês, com duração de seis meses – a quantia global é de R$ 87 milhões.

Em sua decisão, o juiz acatou os argumentos do MP, que questionou a escolha do governo Alaíde em celebrar contrato emergencial, uma vez que a FUABC já atua no município de forma precária, isto é, provisória. A medida judicial obriga o Paço mauaense a manter vínculo com a entidade da região e dá seis meses para que a administração realize licitação para contratar nova OS.

RESPOSTA

Por meio da assessoria de imprensa, a Prefeitura de Mauá informou que o contrato com a AMG foi ratificado porque até a data não havia sido notificada oficialmente da decisão judicial.

O Diário apurou que a administração não pretende recorrer da liminar. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;