Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Saques de vítimas da chuva na região somam R$ 6,4 milhões

Prazo para moradores solicitarem benefício se encerra entre hoje e amanhã nas sete cidades


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

12/06/2019 | 07:00


 O prazo para que os moradores do Grande ABC afetados pelas enchentes dos dias 10 e 11 de março – que deixaram rastro de destruição e dez mortos – saquem o dinheiro das contas de FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) nas agências da Caixa se encerra entre hoje e amanhã. Segundo balanço divulgado pelo banco, até 31 de maio, 2.553 contas tiveram seus saldos resgatados em agências das sete cidades. No total, o volume liberado foi de R$ 6,4 milhões.

A Caixa destacou que os dados não se referem ao total de trabalhadores atendidos, pois uma pessoa pode ter mais de uma conta, nem à cidade de residência, uma vez que o saque pode ser realizado em qualquer agência.

Na região, o maior número de contas resgatadas foi em São Caetano (1.150), somando R$ 2,7 milhões em benefícios. Na sequência, aparecem São Bernardo, com 727 transações – R$ 2,1 milhões –, Santo André (594 e R$ 1,3 milhão), Mauá (31 e R$ 92,6 mil), Diadema (27 e R$ 63,8 mil), Ribeirão Pires (22 e R$ 46,2 mil) e Rio Grande da Serra (duas e R$ 10,8 mil).

RESGATE

Em cinco cidades, hoje é o último dia para requerer o benefício: Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires. Já em São Caetano e Rio Grande da Serra o prazo termina amanhã.

O período para o pedido de saque nas agências varia conforme a cidade onde o trabalhador reside e respectivas datas de publicações das portarias do Ministério do Desenvolvimento Regional que reconheceram o estado de calamidade pública.

Podem recorrer ao benefício trabalhadores residentes nas áreas atingidas e cujas casas foram efetivamente afetadas, de acordo com os decretos municipais. É preciso ter saldo em conta para realizar o saque e o contribuinte não pode ter removido o valor do FGTS por situação de emergência ou estado de calamidade pública em período inferior a um ano. O limite de resgate por conta é de R$ 6.220.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Saques de vítimas da chuva na região somam R$ 6,4 milhões

Prazo para moradores solicitarem benefício se encerra entre hoje e amanhã nas sete cidades

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

12/06/2019 | 07:00


 O prazo para que os moradores do Grande ABC afetados pelas enchentes dos dias 10 e 11 de março – que deixaram rastro de destruição e dez mortos – saquem o dinheiro das contas de FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) nas agências da Caixa se encerra entre hoje e amanhã. Segundo balanço divulgado pelo banco, até 31 de maio, 2.553 contas tiveram seus saldos resgatados em agências das sete cidades. No total, o volume liberado foi de R$ 6,4 milhões.

A Caixa destacou que os dados não se referem ao total de trabalhadores atendidos, pois uma pessoa pode ter mais de uma conta, nem à cidade de residência, uma vez que o saque pode ser realizado em qualquer agência.

Na região, o maior número de contas resgatadas foi em São Caetano (1.150), somando R$ 2,7 milhões em benefícios. Na sequência, aparecem São Bernardo, com 727 transações – R$ 2,1 milhões –, Santo André (594 e R$ 1,3 milhão), Mauá (31 e R$ 92,6 mil), Diadema (27 e R$ 63,8 mil), Ribeirão Pires (22 e R$ 46,2 mil) e Rio Grande da Serra (duas e R$ 10,8 mil).

RESGATE

Em cinco cidades, hoje é o último dia para requerer o benefício: Santo André, São Bernardo, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires. Já em São Caetano e Rio Grande da Serra o prazo termina amanhã.

O período para o pedido de saque nas agências varia conforme a cidade onde o trabalhador reside e respectivas datas de publicações das portarias do Ministério do Desenvolvimento Regional que reconheceram o estado de calamidade pública.

Podem recorrer ao benefício trabalhadores residentes nas áreas atingidas e cujas casas foram efetivamente afetadas, de acordo com os decretos municipais. É preciso ter saldo em conta para realizar o saque e o contribuinte não pode ter removido o valor do FGTS por situação de emergência ou estado de calamidade pública em período inferior a um ano. O limite de resgate por conta é de R$ 6.220.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;