Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Oposição afirma que vai tentar suspender sessão que aprovou reforma na CCJ



24/04/2019 | 00:33


A líder da minoria na Câmara, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), afirmou que a oposição vai tentar judicializar a sessão da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania(CCJ), realizada na terça-feira, 23, que aprovou a admissibilidade da reforma da Previdência.

Logo após a votação, Feghali afirmou que os partidos que compõem a oposição estão entrando com um mandado de segurança para sustar a sessão. "Não é possível continuarmos debater uma matéria sem os dados que embasem", disse. "A batalha continua. Esse foi o primeiro ciclo", afirmou a deputada. A líder disse não acreditar que a matéria será votada na comissão especial ainda no primeiro semestre.

O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), reforçou o discurso. "Vamos à Justiça e estamos aguardando. Esperamos que a votação seja considerada nula", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oposição afirma que vai tentar suspender sessão que aprovou reforma na CCJ


24/04/2019 | 00:33


A líder da minoria na Câmara, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), afirmou que a oposição vai tentar judicializar a sessão da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania(CCJ), realizada na terça-feira, 23, que aprovou a admissibilidade da reforma da Previdência.

Logo após a votação, Feghali afirmou que os partidos que compõem a oposição estão entrando com um mandado de segurança para sustar a sessão. "Não é possível continuarmos debater uma matéria sem os dados que embasem", disse. "A batalha continua. Esse foi o primeiro ciclo", afirmou a deputada. A líder disse não acreditar que a matéria será votada na comissão especial ainda no primeiro semestre.

O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), reforçou o discurso. "Vamos à Justiça e estamos aguardando. Esperamos que a votação seja considerada nula", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;