Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Júri de acusada de assassinar adolescente de Mauá em 2013 é marcado para dia 25

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Renata Miguel foi encontrada morta na casa de casal; inquérito apontou overdose de cocaína


Marília Montich
Do Dgabc.com.br

17/04/2019 | 13:08


O júri popular da acusada de assassinar a adolescente de Mauá Renata Miguel, 15 anos, em novembro de 2013, foi marcado para 25 de abril, às 10h, no fórum da cidade.

A garota, que morava no Parque São Vicente, foi encontrada morta em 5 de novembro daquele ano na casa de Rosane Carla dos Santos Silva, 30, e José Nílson da Costa, 38. Inquérito policial concluído em 2014 apontou que a menina teve overdose de cocaína e indiciou o dupla pelo crime. Eles permaneceram foragidos até novembro de 2016, quando foram localizados pela polícia do Rio de Janeiro.

A morte de Renata chocou moradores e amigos. Na data em que desapareceu, a jovem teria informado à mãe que faria as unhas na casa do casal. No entanto, não retornou mais.

A mãe de menina, Angelita Miguel, 40, diz que procura não colocar muitas expectativas no júri popular e que tem certeza que será dia muito difícil. “Acredito que a Justiça seja falha. Não quero pensar que ela será condenada a um determinado tempo e isso eventualmente não acontecer.”

Religiosa, a matriarca afirma que gostaria que os assassinos de sua filha acertassem as contas conforme manda a lei, porém garante que perdoou os criminosos. “Se eu ficasse alimentando ódio, isso faria mal para mim. Meu coração não está com sentimento de vingança”, diz a mauaense, que encontrou na dor razão para ajudar outras pessoas por meio da criação do grupo de apoio Do Luto à Luta. A ação, criada logo após o assassinato de Renata, tem como objetivo de ajudar familiares em situação semelhante à vivida por Angelita a passar com mais tranquilidade pela perda.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Júri de acusada de assassinar adolescente de Mauá em 2013 é marcado para dia 25

Renata Miguel foi encontrada morta na casa de casal; inquérito apontou overdose de cocaína

Marília Montich
Do Dgabc.com.br

17/04/2019 | 13:08


O júri popular da acusada de assassinar a adolescente de Mauá Renata Miguel, 15 anos, em novembro de 2013, foi marcado para 25 de abril, às 10h, no fórum da cidade.

A garota, que morava no Parque São Vicente, foi encontrada morta em 5 de novembro daquele ano na casa de Rosane Carla dos Santos Silva, 30, e José Nílson da Costa, 38. Inquérito policial concluído em 2014 apontou que a menina teve overdose de cocaína e indiciou o dupla pelo crime. Eles permaneceram foragidos até novembro de 2016, quando foram localizados pela polícia do Rio de Janeiro.

A morte de Renata chocou moradores e amigos. Na data em que desapareceu, a jovem teria informado à mãe que faria as unhas na casa do casal. No entanto, não retornou mais.

A mãe de menina, Angelita Miguel, 40, diz que procura não colocar muitas expectativas no júri popular e que tem certeza que será dia muito difícil. “Acredito que a Justiça seja falha. Não quero pensar que ela será condenada a um determinado tempo e isso eventualmente não acontecer.”

Religiosa, a matriarca afirma que gostaria que os assassinos de sua filha acertassem as contas conforme manda a lei, porém garante que perdoou os criminosos. “Se eu ficasse alimentando ódio, isso faria mal para mim. Meu coração não está com sentimento de vingança”, diz a mauaense, que encontrou na dor razão para ajudar outras pessoas por meio da criação do grupo de apoio Do Luto à Luta. A ação, criada logo após o assassinato de Renata, tem como objetivo de ajudar familiares em situação semelhante à vivida por Angelita a passar com mais tranquilidade pela perda.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;