Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Chuva e vento trazem destruição

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Tempestade de ontem à noite provocou alagamentos, derrubou árvores, casa e fios de alta-tensão


Da Redação

16/02/2019 | 07:00


 A tempestade que atingiu o Grande ABC na noite de ontem, junto com rajadas de vento e raios, transformou em caos a vida de moradores, usuários de trem e motoristas, que enfrentaram pontos de alagamento – em Santo André, São Bernardo e São Caetano – e interdições de vias, provocadas por quedas de árvores e de fios de alta-tensão, como na Avenida dos Estados. 

A queda de uma árvore destruiu um escritório e atingiu casas vizinhas na Rua Alegre, em São Caetano. Também no campus Barcelona da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) houve o desabamento de parte do teto, o que obrigou a instituição a dispensar os cerca de 1.000 alunos que estavam em aula na unidade, além de cancelar todas as atividades previstas para o fim de semana. 

Um raio atingiu a subestação de energia da Estação Utinga da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), em Santo André,que pegou fogo. A circulação de trens ficou interrompida entre as paradas Tamanduateí, na Capital, e Prefeito Celso Daniel, no Centro de Santo André. Devido à ocorrência, a CPTM acionou o Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência), com ônibus gratuitos, para atender os usuários. 

De acordo com a Defesa Civil de Santo André, na cidade pelo menos sete ligações viárias registraram pontos de alagamento. São elas: Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo x Avenida Dom Pedro I; Rua Capuava; Avenida Industrial x Rua Itambé; Avenida Antônio Cardoso x Avenida dos Estados; e Avenida Santos Dumont.

A Rua Bárbara Heliodora, no bairro Utinga, em Santo André, foi uma das mais atingidas. Os estragos somam desde comércios e casas destelhadas até queda de árvores e de fios de alta tensão espalhados pela via pública. Pela vizinhança, o principal comentário era o de que passou tornado pela área. Os rastros de destruição assustam, embora todo o bairro tenha ficado completamente às escuras.

O comerciante Roni Soares, 40 anos, estava no supermercado quando a casa onde vive com a esposa e a filha de 8 anos foi destruída. Parte do muro, telhado e vigas da empresa vizinha caiu em cima da cozinha do imóvel. “Foi sorte não estarmos em casa.”

O destelhamento de um motel causou estragos em um estacionamento de caminhões localizado em frente. O vigia José Lenari, 43, estava na guarita quando começou forte chuva e vendaval, por volta das 21h30, segundo ele. “Só tive tempo de me esconder no banheiro.” Ele conta ainda que um cliente, que estava na sala de espera do estabelecimento e ficou completamente destruída, se escondeu embaixo do sofá. Ele teve ferimentos leves pelo corpo.

Na esquina da Rua Bárbara Heliodora com a Avenida Utinga posto de combustível ficou completamente destruído. O telhado do comércio foi arremessado pelo vento para o outro lado da via. 

Também na Rua Bárbara Heliodora, o caminhão em que o ajudante geral Márcio José, 40, estava – acompanhado por dois colegas de trabalho – foi atingido por uma árvore de grande porte. O trio estava em horário de expediente quando teve início a tempestade. “Foi um vendaval, com redemoinho. Começou a voar telha e a árvore atingiu o para-brisa do caminhão, em cima da gente. Os estilhaços de vidro só não atingiram nossos olhos porque, na hora, fechamos.”

Trecho da Avenida dos Estados entre a Avenida da Paz e o Tersa (Terminal Rodoviário de Santo André) precisou ser interditada no sentido Mauá devido aos fios de alta tensão espalhados pela via. A circulação de veículos ficou complicada no local – agentes do Departamento de Trânsito da cidade orientaram os motoristas e funcionários da Enel trabalhavam para o restabelecimento da energia elétrica.

SÃO BERNARDO

Em São Bernardo, a pista central da via Anchieta ficou bloqueada entre o km 10 e km 13, sentido Litoral, devido ao transbordamento do Córrego Ribeirão dos Couros e consequente alagamento da pista. 

Na cidade, ainda foram registrados pontos de alagamento em frente ao Paço Municipal, na Rua Jurubatuba e na Avenida Faria Lima, o que complicou o trânsito. O índice de chuva alcançou 30 mm e colocou a cidade em estado de atenção, segundo a Defesa Civil.

Conforme a meteorologia, a chuva que atingiu a região foi provocada por uma grande área de instabilidade vinda da região de Sorocaba. As tempestades ocorreram na forma de pancadas com intensidade moderada.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;