Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 4 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

E não é que deu certo, Jorge! Esquenta o 14º Congresso.


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

11/11/2017 | 07:00


Segundo dia do 14º Congresso de História do Grande ABC, Rio Grande da Serra 2017. Uma palavra sobre o sociólogo Jorge Magyar. Com paciência e maestria, Jorge conduziu as reuniões preparatórias para que a programação do congresso fosse idealizada. E deu certo.

Durante todo este sábado são tantas as atividades marcadas para o Teatro Municipal de Rio Grande da Serra, que várias serão realizadas ao mesmo tempo, em salas separadas, tônica que vem marcando o certame desde a sua primeira edição, em 1990.

Serão seis mesas de exposições e debates: arqueologia das águas, o futuro do Grande ABC, memória e patrimônio histórico, turismo regional, paisagem industrial e mapas dos caminhos ao longo do vale do Rio Grande.

Rodas de conversa, três: pedreira e bondinho, ferrovia e movimentos populares. Haverá um espaço de comunicações, com a apresentação de trabalhos e estudos sobre o Grande ABC.

Memória se compromete a anotar o máximo possível de informações e passar a vocês na semana que vem. Ou seja: o 14º Congresso de História do Grande ABC começou bem antes, em 2016, com os encontros preparatórios; e só terminará, verdadeiramente, quando começar a se pensar no 15º Congresso, Santo André 2019.


Uma livre pensadora. Em Rio Grande da Serra

Belén Sárraga (Valladolid, Espanha, 1874 – México, 1951). Jornalista. Poeta. Oradora. Em 1911 realizou uma excursão pelo Interior do Estado de São Paulo. E veio à Estação Rio Grande. “Em todas as estações por que passou a sra. Belén Sárraga foi ela aclamada e na estação do Rio Grande uma comissão de senhoritas ofereceu-lhe um rico mimo”, escreveu <CF160>A Lanterna</CF>, jornal libertário editado em São Paulo, edição de 13 de maio daquela ano.

Quem localizou a notícia foi José de Souza Martins. Por estarmos em pleno 14º Congresso de História aqui em Rio Grande da Serra, o professor compartilha a notícia com<CF160> Memória.

Mais ainda: professor Martins enviou um artigo sobre Belén Sárraga, escrito pelo professor e humanista Florián Yubero em agosto de 2010. O texto conta quem foi Belén Sárraga.

Belén Sárraga. Fiel à sua ideologia

Estuda em Barcelona. Aproxima-se de libertários famosos. Atua na luta pela emancipação das mulheres. Na Espanha, sofre vários ataques contra a vida, por grupos ultra-clericais.

Em 1900 vem para Montevidéu. Escolhe o Uruguai e a Costa Rica para espalhar seu pensamento libertário. No Uruguai dirige o jornal El Liberal. Conecta-se com toda a América Latina, incluindo o Brasil.

Defende: as crianças ilegítimas, a Educação secular e prega a separação de igreja e Estado. Em contrapartida é acusada de ser divorciada, de ser mulher sem filhos e de dar uma volta ao mundo falsificando a história. “É uma mulher sem sentimentalismo religioso”, sentencia uma revista católica.

Belén Sárraga é aplaudida e criticada. Fala a trabalhadores e artesãos. Lembra que no Concílio de Nicea decidiu-se que as mulheres tinham almas, mas apenas por dois votos.

Visita o Chile, em 1913. Em Negreiros, região de Iquique, no Chile, é recebida com aplausos. Ali começam a ser formadas organizações chamadas ‘Centros de mulheres de pensamento livre Belén de Sárraga’.

Já em 1915, numa segunda viagem ao Chile, depara-se com uma situação diferente. É recebida com frieza. Apenas a lealdade e o entusiasmo de alguns permanecem. Indiferente, Belén Sárraga denuncia o abuso de missionários salesianos com os nativos nas ilhas do Estreito.

Autores supõem que Belén retornou ao Chile para uma série de palestras em Mendoza, na década de 1930.

A publicação de suas palestras no Chile pelo jornal La Razón atingiu mais de 10 mil exemplares.

NOTAS

Comenta Florián Yubero: “Ela lutou com determinação pelas ideias de igualdade entre homens e mulheres. (...) seu exemplo deve ter um lugar privilegiado na história”.

Comentamos: que nos anais do 14º Congresso de História do Grande ABC, Rio Grande da Serra 2017, seja registrada a passagem e a recepção festiva de Belém Sárraga na Estação Rio Grande, em 1911. Grato, Martins.


Diário há 30 anos

Quarta-feira, 11 de novembro de 1987 – ano 30, edição 6596

Manchete – Reforma agrária passa na Comissão de Sistematização do Congresso Constituinte, mas sem imissão de posse

Saúde – Aidéticos vão receber tratamento na região. Não basta medicar, é preciso educar. Terceira reportagem da série, escrita pela jornalista Lúcia Faria.

Memória – Os 95 anos do nono Paulo Lazzuri. Ele chegou a São Bernardo com 20 anos, em 1892. Reencontrou-se com o irmão Rafael, o Pepino. Trabalharam no bairro Alvarenga, às margens do Rio Grande, muito antes da formação da Represa Billings.


Em 11 de outubro de...


1917 –
A guerra. Do noticiário do <CF160>Estadão</CF>: no Senado Federal, Ruy Barbosa combate a decretação do estado de sítio sem limitações.

1972 – Inaugurado o Hospital Universitário Padre Anchieta, que servirá como hospital-escola aos alunos de Medicina da Fundação Universitária do ABC. Na verdade, trata-se da reinauguração do velho Hospital Anchieta, da Rua Silva Jardim, em São Bernardo.

Equipe do Santos FC janta na Porteira dos Pampas, em São Bernardo. Entre os jogadores, o Rei Pelé.

1977 – EC Santo André inaugura sede social à Rua das Monções, 326, no bairro Jardim; prefeito Lincoln Grillo autoriza colocação de propaganda publicitária no Estádio Bruno Daniel.


Santos do Dia

Martinho de Tours
Mena
Verano

Nas Ondas do Rádio


Rádio Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Memória</CF>. Em pauta, Clara Nunes (1942-1983). Reapresentação de um programa feito em dezembro de 1981. A cantora conversa com três apresentadores da Band: Antonio Celso, Edson Guerra e Cunha Neto. Interpreta grandes sucessos. E revela as origens do seu misticismo religioso, sempre muito focado na umbanda, inclusive na música.

Produção e apresentação: Milton Parron. Depois da jornada esportiva do sábado, com reprise amanhã, às 5h.

Rádio Trianon AM (740) – Universal AM de Santos (810) – Raras gravações com o cantor Frank Sinatra, crooner da big band do trombonista Tommy Dorsey entre 1940 e 1942. Quinta Avenida. Produção e apresentação: Ronaldo Benvenga. Amanhã, às 9h. Pela internet, sites:
www.radiotrianon.com.br, www.quintaavenida.mus.br e grandeabcwebradio.com 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;