Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Definição do futuro do técnico Jorginho é prioridade no Netuno

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Apesar de o treinador demonstrar receio, vínculo, que vence em novembro, deve ser renovado


Marcelo Argachoy
Especial para o Diário

18/10/2017 | 07:00


Com a eliminação do Água Santa na segunda fase da Copa Paulista, a diretoria deve definir o quanto antes sobre a permanência ou não do técnico Jorginho para a Série A-2 do Paulista de 2018. O contrato entre as partes vence no fim de novembro, e com a antecipação da abertura do Estadual para o meio de janeiro, em virtude da realização da Copa da Rússia, os dirigentes têm pressa em fechar o planejamento para montar equipe em condições de buscar o acesso à elite de 2019.

O treinador já havia adiantado ao Diário o começo das conversas para a renovação do vínculo. Mas ele deixa no ar se a diretoria irá manter a posição depois do fraco desempenho do Netuno na segunda fase da Copa Paulista. “O (presidente) Paulo (Sirqueira) me mandou mensagem recentemente destacando a proximidade da competição. E que é para a gente tomar providências e ver atletas”, contou o treinador. “Mas até então não tinham acontecido esses desastres aí (quatro derrotas e dois empates na segunda fase da Copa Paulista). Agora é esperar para ver o que o Paulo e a direção querem fazer”, afirmou Jorginho, que demonstrou certo receio em relação à formação da equipe para o Estadual.

“Montar time para a A-2 é muito difícil. Não tenho todo conhecimento. Tem que estar disputando três, quatro, cinco, seis campeonatos para ter um conhecimento. Meu conhecimento é de jogadores de Série A, Série B. Muito caro. E não acho justo, porque muitas vezes os atletas vêm e não conseguem jogar uma A-2. Tem que ter equilíbrio e sabedoria para fazer o melhor pelo clube”, destacou ele. “Outra coisa: a maioria dos jogadores que nós pensamos está disputando Série B (do Brasileiro), fase final da Série C e alguns vão voltar aos seus clubes. Vamos ter de novo pouco tempo para tentar montar o time”, completou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Definição do futuro do técnico Jorginho é prioridade no Netuno

Apesar de o treinador demonstrar receio, vínculo, que vence em novembro, deve ser renovado

Marcelo Argachoy
Especial para o Diário

18/10/2017 | 07:00


Com a eliminação do Água Santa na segunda fase da Copa Paulista, a diretoria deve definir o quanto antes sobre a permanência ou não do técnico Jorginho para a Série A-2 do Paulista de 2018. O contrato entre as partes vence no fim de novembro, e com a antecipação da abertura do Estadual para o meio de janeiro, em virtude da realização da Copa da Rússia, os dirigentes têm pressa em fechar o planejamento para montar equipe em condições de buscar o acesso à elite de 2019.

O treinador já havia adiantado ao Diário o começo das conversas para a renovação do vínculo. Mas ele deixa no ar se a diretoria irá manter a posição depois do fraco desempenho do Netuno na segunda fase da Copa Paulista. “O (presidente) Paulo (Sirqueira) me mandou mensagem recentemente destacando a proximidade da competição. E que é para a gente tomar providências e ver atletas”, contou o treinador. “Mas até então não tinham acontecido esses desastres aí (quatro derrotas e dois empates na segunda fase da Copa Paulista). Agora é esperar para ver o que o Paulo e a direção querem fazer”, afirmou Jorginho, que demonstrou certo receio em relação à formação da equipe para o Estadual.

“Montar time para a A-2 é muito difícil. Não tenho todo conhecimento. Tem que estar disputando três, quatro, cinco, seis campeonatos para ter um conhecimento. Meu conhecimento é de jogadores de Série A, Série B. Muito caro. E não acho justo, porque muitas vezes os atletas vêm e não conseguem jogar uma A-2. Tem que ter equilíbrio e sabedoria para fazer o melhor pelo clube”, destacou ele. “Outra coisa: a maioria dos jogadores que nós pensamos está disputando Série B (do Brasileiro), fase final da Série C e alguns vão voltar aos seus clubes. Vamos ter de novo pouco tempo para tentar montar o time”, completou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;