Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Projeto estimula troca de livros entre crianças

Escola do bairro Santa Terezinha, em São Bernardo, criou espaço da leitura; ação é aberta à comunidade


Leonardo Santos

30/10/2016 | 07:00


 Em tempos nos quais a tecnologia monopoliza a atenção da juventude, os livros, apesar de fundamentais, acabam perdendo espaço para o conteúdo disponibilizado em tablets e celulares. Com o objetivo de estimular a leitura entre as crianças e a comunidade do bairro Santo Terezinha, em São Bernardo, o Centro Educacional Balão Mágico, criou, dentro de suas dependências, ponto de troca de obras literárias. A partir da campanha intitulada É de Graça, as crianças e os moradores do bairro podem colocar ou retirar livros de caixa de madeira carinhosamente apelidada de casinha. Banner instalado na portaria da unidade de ensino explica o intuito da campanha, além de conscientizar sobre a importância da ação.

De acordo com a diretora do Centro Educacional Balão Mágico, Cléo Alves, a ideia surgiu após a equipe gestora perceber o quanto as rodas de leitura são importantes e abrangentes. “Estamos, desde o começo do ano, com esse projeto. Todo dia vemos crianças colocando ou retirando (obras), bem como a vizinhança. Já recolhemos mais de 3.000 livros”, comenta. “Vemos que os pais têm pouco tempo para interagir com os alunos, devido a profissão, então tentamos trabalhar isso na escola, além de aproximar a comunidade.”

Após a campanha, o cotidiano das crianças mudou, tornando a leitura forma de diversão, além de ferramenta de aprendizado. “Sempre vemos os alunos lendo no corredor e nas salas de aula. É essencial para o aprendizado e para formação deles como cidadãos”, salienta Cléo. Para a mantenedora do colégio, Nahara Alves, a campanha é essencial em tempos de avanço tecnológico, que, embora importante, de certo modo, atrapalha o aprendizado. “Elas (crianças) precisam ter esse contato físico com os livros. Estão aprendendo a escrever e a leitura é o principal meio de aprendizado”, avalia. “A campanha é simples e, com ela, conseguimos atingir muita gente.”

O empresário Marcus Dorada, 33 anos, é pai de uma das alunas da instituição e comenta que seu trabalho atrapalha um pouco na hora de praticar a leitura com a filha. “Muitas vezes, por conta do tempo, não conseguimos dar a atenção adequada. É importante que a escola mostre às crianças o quanto ler é vantajoso”, disse. A exemplo da avó, que sempre lê, Rafaela Bernardini, 6, retira todo dia um livro diferente para ‘devorar’ em casa. “É legal conhecer histórias. Eu também doei livros que meus pais não liam mais. Tem gente que não pode comprar, então é legal ajudar”, observa a menina.

Além de entender os benefícios da leitura, Manuella Garcia, 5, diz que aprendeu a ser solidária a partir do projeto. “Percebi que doar para quem precisa é importante. Na minha casa, havia brinquedos antigos que eu não brincava mais, então dei para quem não pode comprar.” Para doar ou retirar livros, os interessados devem se dirigir até a escola, situada na Rua Gaetano Angeli, 9, no bairro Santa Terezinha.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Projeto estimula troca de livros entre crianças

Escola do bairro Santa Terezinha, em São Bernardo, criou espaço da leitura; ação é aberta à comunidade

Leonardo Santos

30/10/2016 | 07:00


 Em tempos nos quais a tecnologia monopoliza a atenção da juventude, os livros, apesar de fundamentais, acabam perdendo espaço para o conteúdo disponibilizado em tablets e celulares. Com o objetivo de estimular a leitura entre as crianças e a comunidade do bairro Santo Terezinha, em São Bernardo, o Centro Educacional Balão Mágico, criou, dentro de suas dependências, ponto de troca de obras literárias. A partir da campanha intitulada É de Graça, as crianças e os moradores do bairro podem colocar ou retirar livros de caixa de madeira carinhosamente apelidada de casinha. Banner instalado na portaria da unidade de ensino explica o intuito da campanha, além de conscientizar sobre a importância da ação.

De acordo com a diretora do Centro Educacional Balão Mágico, Cléo Alves, a ideia surgiu após a equipe gestora perceber o quanto as rodas de leitura são importantes e abrangentes. “Estamos, desde o começo do ano, com esse projeto. Todo dia vemos crianças colocando ou retirando (obras), bem como a vizinhança. Já recolhemos mais de 3.000 livros”, comenta. “Vemos que os pais têm pouco tempo para interagir com os alunos, devido a profissão, então tentamos trabalhar isso na escola, além de aproximar a comunidade.”

Após a campanha, o cotidiano das crianças mudou, tornando a leitura forma de diversão, além de ferramenta de aprendizado. “Sempre vemos os alunos lendo no corredor e nas salas de aula. É essencial para o aprendizado e para formação deles como cidadãos”, salienta Cléo. Para a mantenedora do colégio, Nahara Alves, a campanha é essencial em tempos de avanço tecnológico, que, embora importante, de certo modo, atrapalha o aprendizado. “Elas (crianças) precisam ter esse contato físico com os livros. Estão aprendendo a escrever e a leitura é o principal meio de aprendizado”, avalia. “A campanha é simples e, com ela, conseguimos atingir muita gente.”

O empresário Marcus Dorada, 33 anos, é pai de uma das alunas da instituição e comenta que seu trabalho atrapalha um pouco na hora de praticar a leitura com a filha. “Muitas vezes, por conta do tempo, não conseguimos dar a atenção adequada. É importante que a escola mostre às crianças o quanto ler é vantajoso”, disse. A exemplo da avó, que sempre lê, Rafaela Bernardini, 6, retira todo dia um livro diferente para ‘devorar’ em casa. “É legal conhecer histórias. Eu também doei livros que meus pais não liam mais. Tem gente que não pode comprar, então é legal ajudar”, observa a menina.

Além de entender os benefícios da leitura, Manuella Garcia, 5, diz que aprendeu a ser solidária a partir do projeto. “Percebi que doar para quem precisa é importante. Na minha casa, havia brinquedos antigos que eu não brincava mais, então dei para quem não pode comprar.” Para doar ou retirar livros, os interessados devem se dirigir até a escola, situada na Rua Gaetano Angeli, 9, no bairro Santa Terezinha.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;