Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mauá terá camelódromo em novembro

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

André Vieira
Especial para o Diário

04/10/2008 | 07:08


Primeiro era em maio, depois agosto, setembro, e agora só deverá ser em 15 de novembro a reinauguração do Shopping Popular de Mauá, que receberá os comerciantes ambulantes que trabalham na região central. Erguido no mesmo terreno onde funcionava o antigo prédio - que foi destruído por um incêndio em janeiro de 2005 - o novo empreendimento, localizado na esquina das ruas Professor Guido Monteggia e Prefeito Américo Perrella, é ansiosamente esperado pelos camelôs.

Apesar do nome sugestivo, a Rua do Comércio, para onde foram mandados os lojistas depois do acidente, não agrada a maioria. A ausência da antiga infra-estrutura, que oferecia conforto e segurança, com banheiros, bebedouros e abrigo para o sol e chuva, é o que incomoda os comerciantes.

"Quando chove ninguém vem", afirmou Sarah Raquel, 20 anos, que vende roupas. "E quando está quente lá fora, é mais ainda aqui dentro", disse o comerciante José Mauriles Firmino, o Passarinho, 61.

O presidente da Amespem (Associação dos Microempresários e Permissionários do Shopping Popular do Município de Mauá), Luiz Carlos de Sales, 36, afirmou que os comerciantes estão na expectativa. "Já era para estar pronto. Estamos aguardando a conclusão das obras. O prefeito (Leonel Damo) esteve aqui acompanhando os trabalhos e nos disse que faria a inauguração até o dia 15 de novembro."

O prazo informado pelo comerciante foi garantido por um representante da empresa responsável pela reforma, que ganhou a concessão para administrar o imóvel com 233 boxes pelos próximos 30 anos.

Apesar da variedade de produtos em sua barraca, como um grande catálogo de CDs de forró, Sales garante que o lucro médio dos camelôs caiu cerca de 40% depois que deixaram o Shopping Popular, há mais de três anos.

O prejuízo com a queda nas vendas desanima o vendedor de jogos eletrônicos Antonio Neto, 35. "Com o dinheiro que ganho eu consigo sobreviver", afirmou. Sobre a nova data de inauguração, se mostrou descrente. "É tanto prazo que do jeito que está eu não sei mais."
Procurada pelo Diário, a Prefeitura de Mauá não se pronunciou sobre as obras no Shopping Popular. (Supervisão de Daniel Trielli)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;