Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

MP abre inquérito para apurar contratos de Lauro

Orlando Filho 3/2/15 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Acordos entre Sustentare S/A e Planeta Educação e governo do verde somam R$ 44,9 milhões


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

27/02/2016 | 07:00


O Ministério Público de Diadema instaurou dois inquéritos para apurar contratos da gestão do prefeito Lauro Michels (PV). Os acordos envolvem empresas prestadoras de serviço de coleta de lixo e de desenvolvimento de projetos educacionais. Os convênios somam R$ 44,9 milhões, pagos pelo governo municipal.

As representações foram feitas pelo presidente paulista do PTB, deputado estadual Campos Machado, à Promotoria em Diadema. Nesta semana, a promotora Luciana Vieira Dallaqua Vinci informou ao petebista que as duas denúncias estão oficialmente em investigação, o que permite oitivas com os representantes das empresas e também da administração. Caso encontre irregularidades, o MP pode propor ação civil pública contra os envolvidos à Justiça.

O contrato com a Sustentare Saneamento S/A, de R$ 19,4 milhões, foi assinado por Lauro em janeiro do ano passado. O dono da empresa era investigado por supostamente integrar a Máfia do Lixo, que fraudava licitações em São Paulo e no Distrito Federal.

Adilson Alves Martins, diretor-presidente da Sustentare, chegou a dirigir a Qualix Serviços Ambientais Ltda, ré em processos movidos pelo Ministério Público paulista – na gestão de Marta Suplicy (PMDB) à frente da prefeitura de São Paulo – e do Distrito Federal por suspeita de integrar cartel de companhias de tratamento de resíduos sólidos que fraudavam e superfaturavam contratos com o poder público. Martins nega as acusações e diz ter “conduta ilibada e destacada atuação profissional”. Ele afirma também que os casos em apuração precedem seu ingresso no quadro societário da companhia, portanto, não pode responder judicialmente pelas acusações.

O outro acordo sob a mira do MP é com a Planeta Educação, de R$ 25,5 milhões, para implantação e desenvolvimento de ações e projetos educacionais que promovam a melhoria dos índices educacionais do município. A empresa é investigada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) ABC por supostamente fraudar licitação em São Bernardo. A companhia educacional nega irregularidades.

Sobre os contratos, Lauro já disse não ver ilegalidades. Alegou, quando firmou os convênios, que todas as etapas de licitação foram legalmente cumpridas. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;