Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Síndrome de Reiter - Dr. Leo Kahn

Doença que acomete as articulações, provocando artrite assimétrica...


Dr. Leo Kahn

05/02/2016 | 07:00


Doença que acomete as articulações, provocando artrite assimétrica principalmente nos membros inferiores. Pode estar acompanhada de conjuntivite ou uveíte, uretrite ou cervicite, inflamação do intestino, como diarreia aguda, e acometimento da pele e mucosas da boca e genitais.

De etiologia desconhecida, ocorre após infecções do trato digestivo por Shigella, Salmonela, Yersínia, Campylobacter ou geniturinário pela Chlamydia e Mycoplasma, pertencente ao grupo de patologia das artrites reativas.

Existe o fator hereditário, sendo que cerca de 50% a 80% das pessoas afetadas apresenta o HLA B27 positivo, que é um antígeno de histocompatibilidade humano presente nos cromossomos.

A maioria dos casos que ocorre na infância é em meninos de 8 a 12 anos, estando associada geralmente às infecções intestinais. Nos adolescentes e adultos jovens, a artrite reativa normalmente é posterior à infecção genital pela Chlamydia.

A síndrome de Reiter é autolimitada, ocorre em duas semanas após infecção geniturinária ou intestinal, com bom prognóstico, porém, na maioria das vezes, é recidivante, podendo se tornar crônica. Tem evolução como único surto entre 10% a 20%, recorrente de 40% a 60% e crônica em 20% a 30%.

O diagnóstico é feito pelo médico por meio da história clínica e exame físico do paciente, reunindo dados característicos como infecção recente, sendo que o exame laboratorial do antígeno HLA-B27 é significativo para a síndrome (presente em 60% dos pacientes) não como diagnóstico, mas sim como prognóstico da doença. É importante que os pacientes sejam avaliados por urologista ou ginecologista e pelo reumatologista.

Sinais e Sintomas:

- A duração varia de alguns dias a várias semanas, com incapacidade importante do paciente nesse período. Entre 20% e 30% sofrem algum desconforto (mal-estar, febre, desânimo) ou outros sintomas da doença, como artrite, conjuntivite e uretrite.

- As sequelas com alterações destrutivas graves e deformidades são muito raras. Alterações degenerativas, como osteoartrite das articulações comprometidas, podem ocorrer.

Saiba mais:

- O início ocorre de uma a quatro semanas após infecção entérica ou geniturinária.

- A síndrome de Reiter é a artrite mais comum no homem jovem e é também frequente em mulheres.

- Artrite com maior frequência nos membros inferiores.

- Artrite com menor frequência em grandes articulações dos membros superiores como cotovelos, ombros e punhos.

- Geralmente mono articular ou oligo articular e assimétrica.

- Manifestações cardíacas ou neurológicas são possíveis.

- Com menor frequência, a doença pode acometer o rim.

- Entre 20% e 30% das pessoas acometidas podem desenvolver dor lombar baixa, que piora após o repouso prolongado e é acompanhada de rigidez pela manhã por acometimento da articulação sacro ilíaca, ocasionalmente ascendendo para a coluna vertebral.

- Inflamação da inserção dos tendões nos ossos, principalmente no tendão de Aquiles e calcanhar.

- O nome de artrite reativa é para situações em que há artrite ao mesmo tempo ou logo a seguir à infecção recente em local que não seja articulação.

- Procure o médico reumatologista. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Síndrome de Reiter - Dr. Leo Kahn

Doença que acomete as articulações, provocando artrite assimétrica...

Dr. Leo Kahn

05/02/2016 | 07:00


Doença que acomete as articulações, provocando artrite assimétrica principalmente nos membros inferiores. Pode estar acompanhada de conjuntivite ou uveíte, uretrite ou cervicite, inflamação do intestino, como diarreia aguda, e acometimento da pele e mucosas da boca e genitais.

De etiologia desconhecida, ocorre após infecções do trato digestivo por Shigella, Salmonela, Yersínia, Campylobacter ou geniturinário pela Chlamydia e Mycoplasma, pertencente ao grupo de patologia das artrites reativas.

Existe o fator hereditário, sendo que cerca de 50% a 80% das pessoas afetadas apresenta o HLA B27 positivo, que é um antígeno de histocompatibilidade humano presente nos cromossomos.

A maioria dos casos que ocorre na infância é em meninos de 8 a 12 anos, estando associada geralmente às infecções intestinais. Nos adolescentes e adultos jovens, a artrite reativa normalmente é posterior à infecção genital pela Chlamydia.

A síndrome de Reiter é autolimitada, ocorre em duas semanas após infecção geniturinária ou intestinal, com bom prognóstico, porém, na maioria das vezes, é recidivante, podendo se tornar crônica. Tem evolução como único surto entre 10% a 20%, recorrente de 40% a 60% e crônica em 20% a 30%.

O diagnóstico é feito pelo médico por meio da história clínica e exame físico do paciente, reunindo dados característicos como infecção recente, sendo que o exame laboratorial do antígeno HLA-B27 é significativo para a síndrome (presente em 60% dos pacientes) não como diagnóstico, mas sim como prognóstico da doença. É importante que os pacientes sejam avaliados por urologista ou ginecologista e pelo reumatologista.

Sinais e Sintomas:

- A duração varia de alguns dias a várias semanas, com incapacidade importante do paciente nesse período. Entre 20% e 30% sofrem algum desconforto (mal-estar, febre, desânimo) ou outros sintomas da doença, como artrite, conjuntivite e uretrite.

- As sequelas com alterações destrutivas graves e deformidades são muito raras. Alterações degenerativas, como osteoartrite das articulações comprometidas, podem ocorrer.

Saiba mais:

- O início ocorre de uma a quatro semanas após infecção entérica ou geniturinária.

- A síndrome de Reiter é a artrite mais comum no homem jovem e é também frequente em mulheres.

- Artrite com maior frequência nos membros inferiores.

- Artrite com menor frequência em grandes articulações dos membros superiores como cotovelos, ombros e punhos.

- Geralmente mono articular ou oligo articular e assimétrica.

- Manifestações cardíacas ou neurológicas são possíveis.

- Com menor frequência, a doença pode acometer o rim.

- Entre 20% e 30% das pessoas acometidas podem desenvolver dor lombar baixa, que piora após o repouso prolongado e é acompanhada de rigidez pela manhã por acometimento da articulação sacro ilíaca, ocasionalmente ascendendo para a coluna vertebral.

- Inflamação da inserção dos tendões nos ossos, principalmente no tendão de Aquiles e calcanhar.

- O nome de artrite reativa é para situações em que há artrite ao mesmo tempo ou logo a seguir à infecção recente em local que não seja articulação.

- Procure o médico reumatologista. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;