Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 4 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Vida e obra se misturam em ‘Roger Waters – The Wall’

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-Pink Floyd mostra bastidores de turnê e faz homenagem a brasileiro morto em Londres


Demetrio Damiani

23/09/2015 | 07:00


 Em 2012, Roger Waters, ex-Pink Floyd, trouxe ao Brasil a turnê comemorativa de 30 anos do lançamento do álbum mais famoso da banda, The Wall. Na ocasião, foram realizados quatro shows, todos com casa cheia. Foram três anos de turnê com cerca de 1 milhão de espectadores.

O resultado deste tempo de estrada poderá ser visto no filme Roger Waters – The Wall, com estreia marcada mundialmente para terça-feira nos cinemas. Devido à grande procura, haverá sessões extras nos dias 3 e 4 . Não está agendada nenhuma no Grande ABC.

Dirigido pelo próprio Waters em parceria com Sean Evans, diretor criativo da turnê, o filme mostra desde o processo de criação do projeto até registros dos shows que o músico britânico fez por 219 cidades, tocando na íntegra o repertório do álbum de 1979.

A obra é retrato da vida do músico. Ele não conheceu seu pai, Eric Fletcher, que morreu na Segunda Guerra quando Waters era bebê. Seu avô, George Henry Waters, morreu enquanto lutava na Primeira Guerra Mundial, quando Eric tinha apenas 2 anos. O trauma perseguiu o artista por anos e toda essa dor foi passada para as letras de The Wall.

Entre as músicas, a película mostra as visitas que o artista fez aos locais de relação direta com seus familiares: ele vai à França, no túmulo de seu avô; visita a praia onde seu pai foi morto, em Anzio, na Itália, terminando no Memorial Cassino, também na Itália, onde o nome de seu pai está gravado em um monumento erguido em homenagem aos soldados que não tiveram os restos mortais encontrados.

O show foi dedicado ao brasileiro Jean Charles, morto por policiais no Metrô de Londres e mostra, nas mais de duas horas, o mal que as guerras e o terrorismo têm causado. A obra começa com depoimento emocionado do ator Liam Neeson, que fala sobre a importância que The Wall teve na sua vida quando ele ainda era um jovem ator irlandês desconhecido. O filme enche os olhos dos fãs, mas com quase três horas de duração, pode ser cansativo para o restante dos espectadores.

Os ingressos para as sessões já estão à venda e mais informações sobre locais de exibição e preços podem ser obtidas no www.ucicinemas.com.br.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;