Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Irmãos Maik e Marcão disputam camisa '1' da seleção de handebol


Das Agências

14/03/2007 | 13:50


Talento em dose dupla. Passados dois anos, os irmãos Marcão e Maik voltam a treinar juntos na Seleção Brasileira de Handebol. A última convocação conjunta foi na fase de treinamentos para as Olimpíadas de Atenas, em 2004, além de uma breve participação, do Marcão, no último Mundial, realizado na Alemanha, em 2007. Os dois lutam pela mesma vaga, a de goleiro, na seleção comanda por Jordi Ribera, que disputará os Jogos Pan-Americanos do Rio. Desde terça-feira, a Seleção está reunida em Blumenau, onde está sendo submetida a treinamentos até o próximo dia 24.

Marcão é o mais velho, com 30 anos, e leva em seu currículo grandes conquistas. Oito títulos da Liga Nacional, quatro vezes campeão paulista, bicampeão sul americano de clubes, vice-campeão Pan-Americano em Winnipeg, campeão Pan-Americano em Santo Domingo e participação nos jogos Olímpicos de Atenas. “Estou muito feliz em voltar à Seleção e ao lado do meu irmão. Vou poder retomar tudo o que já vivi com ele em quadra. Eu amo jogar handebol e ter o privilégio de ter uma pessoa da família ao meu lado na quadra, é uma grande alegria” - disse Marcão, que afirma que não há competição entre os dois.

“Nós temos consciência de que quem estiver melhor irá conseguir uma vaga. Não tem competição nenhuma entre a gente, só torcida. Quando estamos em quadra nós nos corrigimos, sem cerimônia. Quando trabalhamos juntos, nos entendemos apenas com um olhar, um gesto, e isso é fundamental. Eu fico muito feliz com esta boa fase em que ele está vivendo e acredito que é o melhor momento de sua carreira. Nós sabemos que a carreira de atleta é curta, e ele tem que aproveitar todo esse momento” elogiou Marção.

“Essa é minha primeira convocação com o Jordi. Estou muito feliz e quero mostrar para ele meu trabalho e aproveitar esse momento” - diz o goleiro que, para jogar o Pan-Americano do Rio ao lado do irmão seria a maior emoção de sua vida. “Eu poderia parar de jogar se conseguir jogar ao lado do meu irmão nos jogos Pan-Americanos, seria uma emoção única na minha vida. Poder estar ao lado dele em uma competição tão importante aqui no Brasil e ainda contar com a vibração da torcida seria a melhor coisa para mim”, finalizou.

O caçula Maik começou sua vida no handebol se espelhando no irmão mais velho. Com 26 anos e há um ano e meio na Seleção, o jogador também tem um currículo recheado: participação no Pan-Americano Júnior, três participações em Mundiais, hexacampeão da Liga Nacional e campeão Pan-Americano de Seleções em 2006. “Quem começou no handebol foi meu irmão e logo me apaixonei pela modalidade também. No começo tínhamos muitas dificuldades, até o dinheiro para a passagem faltava, mas graças a Deus conseguimos conquistar nosso espaço e hoje estamos aqui, no lugar em que muitos atletas almejam estar” - diz o goleiro, que concorda com o irmão quando o assunto é competição entre os dois.

“Nós nunca brigamos em um jogo, muito pelo contrário sempre nos ajudamos na quadra. É muito bom saber que posso contar com o apoio dele, uma pessoa mais experiente. Nós nunca competimos, tenho muito orgulho dele e sei que ele tem de mim”, afirma Maik.

Segundo o goleiro, a união dos dois em quadra e fora dela é o caminho para o sucesso. “Nós somos muito unidos, dentro e fora das quadras. Acho que esse é um dos caminhos para o sucesso. Sempre estamos dando dicas um para o outro do que precisa ser melhorado” - diz Maik: “Estou muito feliz pela volta do meu irmão. Ele está vindo de lesões e agora esta tendo essa oportunidade de novo. Meu maior desejo é poder estar junto com ele no Pan Americano, sem tirar o mérito de Alê que é um excelente goleiro também, mas nessa hora o sangue fala mais alto. Temos consciência de que um pode ser convocado ou dispensado”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;