Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

São Paulo empata e garante classificação 'nos cartões'


Do Diário OnLine

27/04/2002 | 18:50


O regulamento polêmico do torneio Rio-SP foi decisivo na definição do primeiro finalista da competição. O São Paulo se aproveitou das novas regras neste sábado para conquistar a classificação para a final da competição. Em partida emocionante no Morumbi, o Tricolor empatou em 2 a 2 com o Palmeiras e avançou no campeonato por ter um número menor de cartões amarelos nos dois jogos das semifinais: quatro, contra sete do Palmeiras.

Determinados em dar o título de presente para o técnico Nelsinho Baptista, que já anunciou que deixará o São Paulo no segundo semestre, os jogadores entraram em campo no ataque. Aos cinco minutos, Souza foi puxado pela camisa por Daniel e caiu na entrada da grande área. Rogério cobrou a falta, a bola passou pela barreira e entrou no gol de Marcos, abrindo o placar do jogo.

A torcida são-paulina foi à loucura e, nos dez minutos seguintes, o Tricolor manteve a pressão. No entanto, com uma boa vantagem já no início do jogo, o São Paulo acabou diminuindo o ritmo mais tarde e permitiu que o Palmeiras crescesse na partida. Aos 23 minutos, Christian deixou tudo igual, de cabeça, após cobrança de escanteio de Arce.

A partir daí, o alvi-verde se aproveitou das falhas da defesa são-paulina e atacou mais. Aos 26, Muñoz fez ótima jogada e deixou Magrão na cara do gol. O meia, sozinho, tocou na saída do goleiro e deixou o Palmeiras na frente.

Aos 30, o time do Palestra Itália teve mais uma grande chance. Arce cobrou escanteio e Alexandre, sozinho na pequena área, cabeceou forte. A bola passou muito perto da trave esquerda de Rogério Ceni. Deste momento até o final do primeiro tempo, a partida caiu muito em movimentação e poucas chances foram criadas.

No intervalo, Nelsinho tirou Souza e Gabriel para a entrada de Adriano e Lúcio Flávio. O resultado foi um segundo tempo bastante emocionante. Aos 3 minutos, Alex deu um belo toque de calcanhar para Christian, que foi impedido por Belletti de concluir a jogada. Dois minutos depois, Adriano tentou de cabeça, mas a bola parou nas mãos de Marcos.

Os minutos seguintes foram decisivos para a definição do vencedor. Mas, em vez de belas jogadas, o que se viu foram faltas e um festival de cartões amarelos. Em cinco minutos, o árbitro Carlos Eugênio Simon, que economizou cartões durante todo o jogo, distribuiu quatro, dois para cada lado: Fábio Simplício, Daniel, Kaká e Paulo Assunção.

Preocupado com a desvantagem nos cartões (na partida de ida o Palmeiras havia levado três, contra dois do São Paulo), os palmeirenses partiram para o ataque. Aos 20 minutos, Muñoz perdeu um gol feito, na cara do gol. Aos 23, Galeano recebeu um cartão e aos 32 foi a vez de Alex ser punido. Mas o Palmeiras ainda tinha a vantagem no placar, o que era mais importante, e tentou segurar o resultado.

Mas, aos 36, Gustavo Nery marcou e empatou o jogo após cobrança de falta de Adriano pela direita. Até o final da partida, o Palmeiras partiu para cima, mas o São Paulo conseguiu segurar o placar graças a ótimas defesas de Rogério Ceni.

O adversário do São Paulo na final do Rio-SP será decidido neste domingo na partida entre Corinthians e São Caetano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Paulo empata e garante classificação 'nos cartões'

Do Diário OnLine

27/04/2002 | 18:50


O regulamento polêmico do torneio Rio-SP foi decisivo na definição do primeiro finalista da competição. O São Paulo se aproveitou das novas regras neste sábado para conquistar a classificação para a final da competição. Em partida emocionante no Morumbi, o Tricolor empatou em 2 a 2 com o Palmeiras e avançou no campeonato por ter um número menor de cartões amarelos nos dois jogos das semifinais: quatro, contra sete do Palmeiras.

Determinados em dar o título de presente para o técnico Nelsinho Baptista, que já anunciou que deixará o São Paulo no segundo semestre, os jogadores entraram em campo no ataque. Aos cinco minutos, Souza foi puxado pela camisa por Daniel e caiu na entrada da grande área. Rogério cobrou a falta, a bola passou pela barreira e entrou no gol de Marcos, abrindo o placar do jogo.

A torcida são-paulina foi à loucura e, nos dez minutos seguintes, o Tricolor manteve a pressão. No entanto, com uma boa vantagem já no início do jogo, o São Paulo acabou diminuindo o ritmo mais tarde e permitiu que o Palmeiras crescesse na partida. Aos 23 minutos, Christian deixou tudo igual, de cabeça, após cobrança de escanteio de Arce.

A partir daí, o alvi-verde se aproveitou das falhas da defesa são-paulina e atacou mais. Aos 26, Muñoz fez ótima jogada e deixou Magrão na cara do gol. O meia, sozinho, tocou na saída do goleiro e deixou o Palmeiras na frente.

Aos 30, o time do Palestra Itália teve mais uma grande chance. Arce cobrou escanteio e Alexandre, sozinho na pequena área, cabeceou forte. A bola passou muito perto da trave esquerda de Rogério Ceni. Deste momento até o final do primeiro tempo, a partida caiu muito em movimentação e poucas chances foram criadas.

No intervalo, Nelsinho tirou Souza e Gabriel para a entrada de Adriano e Lúcio Flávio. O resultado foi um segundo tempo bastante emocionante. Aos 3 minutos, Alex deu um belo toque de calcanhar para Christian, que foi impedido por Belletti de concluir a jogada. Dois minutos depois, Adriano tentou de cabeça, mas a bola parou nas mãos de Marcos.

Os minutos seguintes foram decisivos para a definição do vencedor. Mas, em vez de belas jogadas, o que se viu foram faltas e um festival de cartões amarelos. Em cinco minutos, o árbitro Carlos Eugênio Simon, que economizou cartões durante todo o jogo, distribuiu quatro, dois para cada lado: Fábio Simplício, Daniel, Kaká e Paulo Assunção.

Preocupado com a desvantagem nos cartões (na partida de ida o Palmeiras havia levado três, contra dois do São Paulo), os palmeirenses partiram para o ataque. Aos 20 minutos, Muñoz perdeu um gol feito, na cara do gol. Aos 23, Galeano recebeu um cartão e aos 32 foi a vez de Alex ser punido. Mas o Palmeiras ainda tinha a vantagem no placar, o que era mais importante, e tentou segurar o resultado.

Mas, aos 36, Gustavo Nery marcou e empatou o jogo após cobrança de falta de Adriano pela direita. Até o final da partida, o Palmeiras partiu para cima, mas o São Paulo conseguiu segurar o placar graças a ótimas defesas de Rogério Ceni.

O adversário do São Paulo na final do Rio-SP será decidido neste domingo na partida entre Corinthians e São Caetano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;