Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Mais setores terão de emitir nota fiscal eletrônica a partir do dia 1º


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

24/09/2010 | 07:10


A partir do dia 1º, 257 atividades, entre as quais as indústrias alimentícia, têxtil, de calçados, companhias químicas, farmacêuticas e de material de construção, terão de passar a emitir a NF-e (Nota Fiscal Eletrônica). E faltando apenas sete dias para essa data, pesquisa da Serasa Experian aponta que 56% das empresas que serão abrangidas ainda não estão com seu certificado digital NF-e em mãos.

Segundo o gerente de certificação da Serasa Experian, Helder Moreira, o cronograma de adesões previu três levas de segmentos neste ano, uma em 1º de abril, outra em 1º de julho e a próxima, no mês que vem.

A avaliação da Serasa é que o percentual de 44% de companhias que já se preparou é um contingente até elevado, na comparação com as fases anteriores. Mesmo assim, o estudo mostra que muitos empresários ainda deixaram para a última hora a adequação ao sistema que dispensa a emissão do documento em papel.

Moreira estima que a nova etapa englobará mais 175 mil empresas, em âmbito nacional. Até agora, de acordo com dados do Ministério da Fazenda, há cerca de 300 mil adesões de companhias, que são responsáveis por quase 1,5 bilhão de NF-e autorizadas, movimentando quase R$ 32 trilhões. O gerente acrescenta que a nota fiscal não significa apenas transposição do papel para o meio virtual, mas pede mudanças de processos e de sistemas de informação. "No lugar do arquivo morto, por exemplo, será preciso guardar os dados em um servidor e fazer backup", explica.

O advogado tributarista Marco Antônio Rodriguez, de Santo André, tem avaliação semelhante. "O problema não é a certificação digital, mas sim adaptar os sistemas da empresa ao modelo da nota eletrônica, para ter a homologação pela Secretaria da Fazenda", afirma. Ele adverte que quem não se adequar não vai conseguir faturar os produtos vendidos, já que não será mais possível emitir notas em papel.

É possível ter mais informações sobre o assunto no portal www.nfe.fazenda.gov.br, do Ministério da Fazenda, ou no site www.certificadodigital.com.br/nfe, da Serasa Experian.

VANTAGENS
Apesar de as empresas terem trabalho para a adaptação, os especialistas destacam vantagens na NF-e. "Reduz custos, no médio e longo prazo e facilita a gestão dos negócios", diz Moreira.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;