Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Economia de água dá bônus a 73,48%


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

29/06/2015 | 07:00


Mais da metade da população residente em quatro cidades do Grande ABC que têm o sistema de saneamento operado pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) têm reduzido o gasto de água e foram contempladas com desconto na conta, que varia de 10% a 30%. Segundo dados da empresa, na região, a média dos clientes que aderiram ao programa de bônus é de 73,48% – em abril era de 69,35%.

Em maio, foram 74,19% bonificados em Diadema; 73,81% em São Bernardo; 77,26% em Ribeirão Pires; e 68,66% em Rio Grande da Serra.

O jornalista Fagner Rodrigo do Nascimento Moura, 29 anos, é uma das pessoas que têm colaborado com a economia de água. Morador do bairro Jardim Inamar, ele e a família têm adotado diversas ações para conquistar o feito. “Das calhas, mandamos água da chuva a uma caixa-d’água para essa finalidade e a aproveitamos para lavar roupas e o piso. A que sai da máquina de lavar é reaproveitada para a descarga e temos uma outra caixa para coletar a água para reúso”, conta. Com nove pessoas morando na residência, em junho do ano passado eles consumiram 29 m³ de água e, em maio deste ano, reduziram para 16 m³. “Acreditamos que se todos fizessem o mesmo, melhor seria para o meio ambiente”, acrescenta.

Em três municípios, o montante de beneficiados se manteve estável em relação ao mesmo período do ano passado, com exceção de Rio Grande, que, naquela época, registrava 75% de adesão.

O município também contabiliza, atualmente, o maior percentual de consumidores que receberam a cobrança do ônus: 11,09%. A sobretaxa é de 40% sobre o valor da tarifa de água para quem exceder até 20% a média do consumo ou 100% sobre o valor da tarifa de água para quem ultrapassar 20% da média.

Nas demais cidades, o ônus no último mês foi de 10,11% em São Bernardo; 8,12% em Ribeirão Pires; e 7,88% em Diadema. A média nesse quesito é de 9,3%. Segundo a Sabesp, o objetivo da tarifa contingenciada não é arrecadar, e sim incentivar o uso racional da água.

Considerando todos os clientes da companhia na região metropolitana de São Paulo, o programa de bônus atingiu adesão recorde no mês passado, desde a sua implantação, em 1º de fevereiro de 2014 e chegou a 83%.

Em maio, a economia média foi de 6.200 litros por segundo, volume suficiente para abastecer cerca de 1,9 milhão de pessoas ou a população das cidades de Campinas e São Bernardo somadas.

Tem direito ao benefício do bônus o cliente que baixar o gasto na comparação com a média do período de fevereiro de 2013 a janeiro do ano passado, antes da crise hídrica. A base é a mesma utilizada para determinar a cobrança do ônus.

Demais municípios também reduziram gasto

Nos municípios que não estão sob domínio da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a população também vem contribuindo na economia de água.

Em São Caetano, onde a responsabilidade pelo abastecimento é do DAE (Departamento de Água e Esgoto), todas as categorias apresentaram redução, embora não tão significativa. As residências, que registravam em abril 725.041 m³ de água, diminuíram para 719.485 m³ e, os comércios, passaram de 102.232 m³ para 95.970 m³. Já os próprios municipais pouparam o recurso de maneira considerável: de 45.921 m³ para 12.510 m³.

Em Santo André, atendida pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), 73% apresentaram redução em fevereiro, comparado a janeiro. O percentual caiu para 28% em abril em relação a março e, agora, na média, 52% dos clientes reduziram em alguma medida o consumo de água em maio, na comparação ao mês anterior.

Segundo a autarquia, há possibilidade da implantação de revezamento após o inverno. “O rodízio só será implantado se a Sabesp reduzir a vazão de água, hoje em 1,85 m³/s. Ainda não temos definido o esquema, mas, se for necessário, a população será informada no melhor momento para se preparar”, declarou o Semasa, em nota.

Em Mauá, onde a Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá) faz gestão, os dados não são calculados. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Economia de água dá bônus a 73,48%

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

29/06/2015 | 07:00


Mais da metade da população residente em quatro cidades do Grande ABC que têm o sistema de saneamento operado pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) têm reduzido o gasto de água e foram contempladas com desconto na conta, que varia de 10% a 30%. Segundo dados da empresa, na região, a média dos clientes que aderiram ao programa de bônus é de 73,48% – em abril era de 69,35%.

Em maio, foram 74,19% bonificados em Diadema; 73,81% em São Bernardo; 77,26% em Ribeirão Pires; e 68,66% em Rio Grande da Serra.

O jornalista Fagner Rodrigo do Nascimento Moura, 29 anos, é uma das pessoas que têm colaborado com a economia de água. Morador do bairro Jardim Inamar, ele e a família têm adotado diversas ações para conquistar o feito. “Das calhas, mandamos água da chuva a uma caixa-d’água para essa finalidade e a aproveitamos para lavar roupas e o piso. A que sai da máquina de lavar é reaproveitada para a descarga e temos uma outra caixa para coletar a água para reúso”, conta. Com nove pessoas morando na residência, em junho do ano passado eles consumiram 29 m³ de água e, em maio deste ano, reduziram para 16 m³. “Acreditamos que se todos fizessem o mesmo, melhor seria para o meio ambiente”, acrescenta.

Em três municípios, o montante de beneficiados se manteve estável em relação ao mesmo período do ano passado, com exceção de Rio Grande, que, naquela época, registrava 75% de adesão.

O município também contabiliza, atualmente, o maior percentual de consumidores que receberam a cobrança do ônus: 11,09%. A sobretaxa é de 40% sobre o valor da tarifa de água para quem exceder até 20% a média do consumo ou 100% sobre o valor da tarifa de água para quem ultrapassar 20% da média.

Nas demais cidades, o ônus no último mês foi de 10,11% em São Bernardo; 8,12% em Ribeirão Pires; e 7,88% em Diadema. A média nesse quesito é de 9,3%. Segundo a Sabesp, o objetivo da tarifa contingenciada não é arrecadar, e sim incentivar o uso racional da água.

Considerando todos os clientes da companhia na região metropolitana de São Paulo, o programa de bônus atingiu adesão recorde no mês passado, desde a sua implantação, em 1º de fevereiro de 2014 e chegou a 83%.

Em maio, a economia média foi de 6.200 litros por segundo, volume suficiente para abastecer cerca de 1,9 milhão de pessoas ou a população das cidades de Campinas e São Bernardo somadas.

Tem direito ao benefício do bônus o cliente que baixar o gasto na comparação com a média do período de fevereiro de 2013 a janeiro do ano passado, antes da crise hídrica. A base é a mesma utilizada para determinar a cobrança do ônus.

Demais municípios também reduziram gasto

Nos municípios que não estão sob domínio da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a população também vem contribuindo na economia de água.

Em São Caetano, onde a responsabilidade pelo abastecimento é do DAE (Departamento de Água e Esgoto), todas as categorias apresentaram redução, embora não tão significativa. As residências, que registravam em abril 725.041 m³ de água, diminuíram para 719.485 m³ e, os comércios, passaram de 102.232 m³ para 95.970 m³. Já os próprios municipais pouparam o recurso de maneira considerável: de 45.921 m³ para 12.510 m³.

Em Santo André, atendida pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), 73% apresentaram redução em fevereiro, comparado a janeiro. O percentual caiu para 28% em abril em relação a março e, agora, na média, 52% dos clientes reduziram em alguma medida o consumo de água em maio, na comparação ao mês anterior.

Segundo a autarquia, há possibilidade da implantação de revezamento após o inverno. “O rodízio só será implantado se a Sabesp reduzir a vazão de água, hoje em 1,85 m³/s. Ainda não temos definido o esquema, mas, se for necessário, a população será informada no melhor momento para se preparar”, declarou o Semasa, em nota.

Em Mauá, onde a Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá) faz gestão, os dados não são calculados. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;