Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Aposentado reage a assalto e é morto


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

14/08/2004 | 00:43


O aposentado Aleci Rodrigues Costa, 71 anos, foi assassinado às 10h10 desta sexta com um tiro no peito por um ladrão após reagir a um assalto de seu automóvel na rua Atabasca, no Parque Novo Oratório, em Santo André. Após atirar, o assaltante fugiu sem levar o carro. Costa tinha ido cortar o cabelo em um barbeiro perto de sua casa, por volta das 9h30. Ele foi de carro, um Gol vermelho 2000, e estacionou em frente do salão.

Enquanto o aposentado cortava o cabelo, o ladrão entrou em uma padaria perto da barbearia para tomar um refrigerante. Ao perceber Costa deixar o local, se aproximou e, armado, o rendeu e pediu a chave do Gol.

“Ele negou, falou que não ia entregar. Tive de apertar seu braço e convencê-lo”, afirmou o barbeiro José Nivaldo de Andrade, 42 anos. Quando ligou o carro, o alarme do veículo disparou e o assaltante pediu a Costa o controle do alarme. O aposentado respondeu que o aparelho estava em sua casa e que iria pegá-lo. No entanto, aproximou-se do ladrão e o empurrou. Os dois caíram no chão da rua e começaram a brigar. O assaltante atirou duas vezes. Um dos tiros atingiu o seu peito.

O assaltante fugiu correndo. O filho de Costa, o vendedor Paulo Henrique Rodrigues Faria, 35 anos, que estava na padaria onde o ladrão havia entrado, só percebeu o assalto após escutar os tiros. Ele ainda levou o pai até o Centro Hospitalar Municipal, mas Costa não resistiu ao ferimento.

“Meu pai era daquele tipo valentão antigo, que não admitia safadeza. Ele tinha muito apreço pelo carro e não admitiu que um vagabundo o roubasse, apesar de ter seguro”, disse o autônomo José Luís Faria, 38 anos. Segundo o filho, na semana passada, o pai havia colocado no carro uma direção hidráulica nova.

Segundo Faria e o barbeiro Andrade que presenciou o assassinato, o assaltante era moreno, aparentava ter cerca de 25 anos e tinha aproximadamente 1,70m de altura. Andrade disse que o criminoso atirou e saiu correndo, jogando a chave do carro em uma casa vizinha.

Estatística – Apesar de Santo André ter registrado redução de 19,35% em roubo de veículos no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2003, as polícias Civil e Militar da cidade ainda consideram alto o índice de roubos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aposentado reage a assalto e é morto

Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

14/08/2004 | 00:43


O aposentado Aleci Rodrigues Costa, 71 anos, foi assassinado às 10h10 desta sexta com um tiro no peito por um ladrão após reagir a um assalto de seu automóvel na rua Atabasca, no Parque Novo Oratório, em Santo André. Após atirar, o assaltante fugiu sem levar o carro. Costa tinha ido cortar o cabelo em um barbeiro perto de sua casa, por volta das 9h30. Ele foi de carro, um Gol vermelho 2000, e estacionou em frente do salão.

Enquanto o aposentado cortava o cabelo, o ladrão entrou em uma padaria perto da barbearia para tomar um refrigerante. Ao perceber Costa deixar o local, se aproximou e, armado, o rendeu e pediu a chave do Gol.

“Ele negou, falou que não ia entregar. Tive de apertar seu braço e convencê-lo”, afirmou o barbeiro José Nivaldo de Andrade, 42 anos. Quando ligou o carro, o alarme do veículo disparou e o assaltante pediu a Costa o controle do alarme. O aposentado respondeu que o aparelho estava em sua casa e que iria pegá-lo. No entanto, aproximou-se do ladrão e o empurrou. Os dois caíram no chão da rua e começaram a brigar. O assaltante atirou duas vezes. Um dos tiros atingiu o seu peito.

O assaltante fugiu correndo. O filho de Costa, o vendedor Paulo Henrique Rodrigues Faria, 35 anos, que estava na padaria onde o ladrão havia entrado, só percebeu o assalto após escutar os tiros. Ele ainda levou o pai até o Centro Hospitalar Municipal, mas Costa não resistiu ao ferimento.

“Meu pai era daquele tipo valentão antigo, que não admitia safadeza. Ele tinha muito apreço pelo carro e não admitiu que um vagabundo o roubasse, apesar de ter seguro”, disse o autônomo José Luís Faria, 38 anos. Segundo o filho, na semana passada, o pai havia colocado no carro uma direção hidráulica nova.

Segundo Faria e o barbeiro Andrade que presenciou o assassinato, o assaltante era moreno, aparentava ter cerca de 25 anos e tinha aproximadamente 1,70m de altura. Andrade disse que o criminoso atirou e saiu correndo, jogando a chave do carro em uma casa vizinha.

Estatística – Apesar de Santo André ter registrado redução de 19,35% em roubo de veículos no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2003, as polícias Civil e Militar da cidade ainda consideram alto o índice de roubos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;