Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Oficiais angolanos estao descontentes com o Governo


Do Diário do Grande ABC

05/09/2000 | 10:28


Centenas de oficiais angolanos da reserva estao descontentes com a política do atual presidente, José Eduardo dos Santos, em relaçao às Forças Armadas (FAA), segundo informa nesta terça-feira o jornal português Publico.

Em uma carta enviada ao presidente angolano, os oficiais, entre os quais figuram alguns generais, denunciam a situaçao nas casernas. Eles escreveram que ``os jovens soldados estao passando fome, nao têm uniforme nem botas (...) e estao sendo obrigados a deixar suas unidades''.

``O plano econômico e financeiro do Governo atribui uma soma elevada aos órgaos da Defesa e da Segurança. Mas onde está este dinheiro?'', questionam os autores da carta, criticando a má utilizaçao das verbas públicas.

Eles também lamentam a própria situaçao: ``que a Administraçao esteja livre de uma aposentadoria como a nossa, sem ter um estatuto que nos proteja''. Os oficiais lembram ao presidente Dos Santos, comandante supremo das Forças Armadas, que ``os eleitores do MPLA (partido no poder) nao sao nem o comitê central nem a cúpula política deste movimento, nem o Estado-Maior da FAA, mas o povo que sofre e que foi enganado com promessas nao cumpridas''.

Segundo o jornal Publico, a revista ``Folha 8'' de Luanda escreveu num artigo sobre esta carta: ``Os antigos combatentes têm fome. O povo tem fome. Enquanto isso, segundo fontes militares, as autoridades organizam um desfile militar na principal avenida de Luanda para mostrar toda técnica das FAA. Desfile que custará algo em torno de US$ 4 milhoes''.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oficiais angolanos estao descontentes com o Governo

Do Diário do Grande ABC

05/09/2000 | 10:28


Centenas de oficiais angolanos da reserva estao descontentes com a política do atual presidente, José Eduardo dos Santos, em relaçao às Forças Armadas (FAA), segundo informa nesta terça-feira o jornal português Publico.

Em uma carta enviada ao presidente angolano, os oficiais, entre os quais figuram alguns generais, denunciam a situaçao nas casernas. Eles escreveram que ``os jovens soldados estao passando fome, nao têm uniforme nem botas (...) e estao sendo obrigados a deixar suas unidades''.

``O plano econômico e financeiro do Governo atribui uma soma elevada aos órgaos da Defesa e da Segurança. Mas onde está este dinheiro?'', questionam os autores da carta, criticando a má utilizaçao das verbas públicas.

Eles também lamentam a própria situaçao: ``que a Administraçao esteja livre de uma aposentadoria como a nossa, sem ter um estatuto que nos proteja''. Os oficiais lembram ao presidente Dos Santos, comandante supremo das Forças Armadas, que ``os eleitores do MPLA (partido no poder) nao sao nem o comitê central nem a cúpula política deste movimento, nem o Estado-Maior da FAA, mas o povo que sofre e que foi enganado com promessas nao cumpridas''.

Segundo o jornal Publico, a revista ``Folha 8'' de Luanda escreveu num artigo sobre esta carta: ``Os antigos combatentes têm fome. O povo tem fome. Enquanto isso, segundo fontes militares, as autoridades organizam um desfile militar na principal avenida de Luanda para mostrar toda técnica das FAA. Desfile que custará algo em torno de US$ 4 milhoes''.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;