Economia

Lockdown interfere nos turnos das indústrias


O lockdown noturno implantado em todo o Estado a partir de hoje, até 14 de março, mas com horários diferentes nas cidades do Grande ABC, vai alterar a rotina das fábricas da região. Com a limitação de circulação de pessoas, os turnos de trabalhadores precisaram passar por mudanças.

Segundo o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, a circulação de pessoas ficará restrita das 22h até as 4h, quando será interrompido o transporte coletivo, até dia 7. Santo André, São Bernardo, Diadema e Mauá aderiram às regras.

Na Alumbra, fabricante de produtos elétricos e eletrônicos de São Bernardo, cerca de 200 trabalhadores da fábrica serão impactados pelas alterações. As trocas de turno, que ocorreriam às 5h e às 22h, foram alteradas para as 6h e as 21h, para não ficar dentro do horário restrito. A empresa vai trabalhar com banco de horas.

“Eu acho que deveria ser uma medida melhor planejada, porque foi uma mudança que veio de sopetão. Outra questão é que cada cidade tem um horário diferente. Por exemplo, em São Paulo começa às 23h, mas em São Bernardo, às 22h. Se um funcionário mora lá, ele já pode ter problemas para chegar em casa”, disse o diretor da empresa e do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) de São Bernardo, Cláudio Barberini Junior.

“Outra questão, com a qual também vamos ter problemas, é com o recebimento de matérias-primas. A indústria deveria ser consultada, até porque são atividades que também produzem insumos, como máscara e álcool gel, e que podem não conseguir manter um terceiro turno, o que prejudicaria a produção”, apontou o diretor do Ciesp Diadema, Anuar Dequech Júnior.

O diretor executivo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wellington Messias Damasceno, afirmou que a entidade tem conversado com as empresas. “Temos feito conversas de forma geral e pontual com as empresas. Entre as medidas, estão liberar o serviço de ônibus fretado também para o terceirizado”, assinala.

O Estado informou que a indústria é atividade essencial, então não há interferência, mas que cada cidade pode restringir ainda mais as regras.

MONTADORAS

A Mercedes-Benz, de São Bernardo, informou que a unidade tem colaboradores que estarão trabalhando no período de lockdown. “Além de manter todos os protocolos de saúde contra a Covid-19 em todos os turnos, a empresa preparou e orientou os funcionários para que tenham documentação a apresentar às autoridades, caso necessário, comprovando o horário de trabalho”, disse, em nota.

A Scania, da mesma cidade, informou que não sofrerá impacto nas operações com a medida restritiva. “Os colaboradores do segundo e terceiro turnos, impactados diretamente pela medida, foram comunicados nominalmente e devem priorizar o uso dos ônibus fretados da empresa, evitando a circulação nas ruas, além do trajeto para as residências.” A empresa também destacou a manutenção dos protocolos de saúde e segurança.

Localizada em São Caetano, a GM (General Motors) informou que toma as medidas necessárias para garantir o cumprimento das novas determinações de lockdown noturno. As demais montadoras não se posicionaram. 

Comentários


Veja Também


Voltar