Cena Política

Prefeituráveis de Mauá buscam debater ações


Diante do cenário de crise em decorrência do avanço do novo coronavírus, pré-candidatos ao Paço de Mauá estão discutindo, ainda em caráter preliminar, proposta, possivelmente por videoconferência, para sugerir junto ao prefeito Atila Jacomussi (PSB) possíveis medidas práticas para enfrentamento à pandemia. Seria espécie de comitê. O município já contabiliza hoje, ao menos, oito nomes na disputa majoritária, entre eles Donisete Braga (PDT), Wagner Rubinelli (PTB), Marcelo Oliveira (PT), Professor Betinho (PSL), Vanessa Damo (MDB), José Roberto Lourencini (PSDB), João Veríssimo (PSD) e Tchello Pierro (DEM). A ideia central é paralisar neste momento delicado críticas no caso, que possam ser encaradas somente com cunho político – tendo em vista a proximidade do pleito de outubro –, e entrar no campo da ajuda efetiva, cada qual com seu conhecimento. As prefeituras, no geral, passam por dificuldades, incluindo na saúde, finanças e emprego. Iniciativa interessante, talvez inédita na região, mas somente poderá existir progresso no debate se houver desprendimento eleitoral, e pensamento na cidade.  

Na Justiça

 Por falar em Mauá, a rede de supermercado da família do tucano José Roberto Lourencini (foto), assim como a Coop, conseguiu liminar que, temporariamente, proíbe cobrança de multa por parte do Paço em torno da exigência da compra de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) aos funcionários em tempos de pandemia. Ambas entraram com mandado de segurança, conforme noticiado pelo Diário, contra decreto do prefeito Atila Jacomussi (PSB) que determina aos estabelecimentos a disponibilização de materiais, como máscaras e luvas, além da distribuição de álcool gel para utilização no local. A Justiça, em primeiro grau, acatou a alegação citando que as medidas só podem ser fixadas pela União. Na decisão, o juiz confirma que a obrigatoriedade do uso não é permitida, até por conta da escassez de materiais, mas pede que outros procedimentos sejam acolhidos, a exemplo de oferta de álcool gel. 

Agora alinhado

 Depois de namoro com o PDT, o vereador Adelto Cachorrão (ex-Avante, hoje Republicanos), de Mauá, anunciou apoio à pré-candidatura do ex-deputado Wagner Rubinelli (PTB) à Prefeitura. Na terça-feira, “com distância segura e muito álcool gel”, o parlamentar confirmou a adesão. O Republicanos irá indicar o vice na chapa majoritária, encabeçada pelo petebista. O bloco conta, até agora, com três vereadores: o próprio Cachorrão e Gil Miranda, também do Republicanos, ex-PRB, e Fernando Rubinelli (ex-PDT), filho de Wagner.  

 Doações de cestas

 O diretório do PT de São Bernardo, presidido por Cleiton Coutinho, divulgou a iniciativa de correligionários no auxílio assistencial de doação de cestas básicas para atender, inicialmente, 280 famílias da cidade, sob a ideia de minimizar os efeitos da Covid-19. Solidariedade e trabalho, aponta o dirigente, em seu perfil nas redes sociais. Os materiais estão sendo entregues a famílias carentes do município. “A nossa gratidão a todos pelo empenho. Seguiremos nessa luta recebendo ajuda para as famílias que precisam”, disse Coutinho, que aparece na foto registrada na sede do partido com máscara cirúrgica.  

 Motivação

 Nos bastidores políticos de São Caetano circulam as razões que teriam motivado o racha interno no diretório municipal do Partido Novo, noticiado pelo Diário no domingo de Páscoa. O grupo dissidente, encabeçado por Alan de Camargo, teria ficado extremamente incomodado com a aproximação do empresário Mário Bohm, que postula ser candidato a prefeito na eleição de outubro pela sigla, com o também prefeiturável oposionista Fabio Palacio (PSD). A conferir.

Comentários


Veja Também


Voltar