Fechar
Publicidade

Domingo, 12 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

IPC-S volta a subir após quatro quedas consecutivas


Da Agência Brasil

29/07/2003 | 08:33


O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), apurado pela Fundação Getúlio Vargas, registrou variação de 0,02% no período de 30 dias compreendido entre 19 de junho a 18 deste mês, o primeiro resultado positivo depois de quatro quedas. Na comparação com a apuração anterior, a diferença foi de 0,08 ponto percentual.

Vários grupos de despesas contribuíram para o resultado. Alimentação e Transportes, por exemplo, que vêm apontando deflação seguidamente, tiveram variações menos negativas. O primeiro passou de –0,95% para –0,81%, enquanto no segundo a deflação diminuiu 0,09 ponto percentual, passando de –1,51% para –1,42%. Os dois efeitos combinados responderam por um acréscimo de 0,05 ponto percentual na taxa de variação do IPC-S.

Outro impacto importante para o aumento da inflação foi a nova aceleração observada no grupo Habitação, cujos preços subiram 1,15%, contra 1,04% no período anterior. Saúde e Cuidados Pessoais (0,26%) e Despesas Diversas (0,50%) também contribuíram, cada um com 0,01 ponto percentual, para o resultado positivo do índice semanal de varejo. No grupo Habitação, o vilão foi o telefone residencial. Com alta de 6,37%, sua contribuição para a formação do IPC-S subiu de 0,14 para 0,18 ponto percentual.

Das 12 capitais pesquisadas, nove mostraram alta da inflação, por conta dos aumentos registrados nos grupos Alimentação, Transportes e Habitação. Este último refletiu os reajustes da telefonia fixa, simultâneos nas 12 cidades.

A taxa máxima (1,03%) foi apurada em Curitiba, devido ao impacto dos reajustes tarifários de energia elétrica, telefone fixo e ônibus urbano. A taxa mínima (-0,20%) ocorreu em Goiânia, que sofreu, entretanto, aceleração de 0,34 ponto percentual em comparação à divulgação anterior.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

IPC-S volta a subir após quatro quedas consecutivas

Da Agência Brasil

29/07/2003 | 08:33


O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), apurado pela Fundação Getúlio Vargas, registrou variação de 0,02% no período de 30 dias compreendido entre 19 de junho a 18 deste mês, o primeiro resultado positivo depois de quatro quedas. Na comparação com a apuração anterior, a diferença foi de 0,08 ponto percentual.

Vários grupos de despesas contribuíram para o resultado. Alimentação e Transportes, por exemplo, que vêm apontando deflação seguidamente, tiveram variações menos negativas. O primeiro passou de –0,95% para –0,81%, enquanto no segundo a deflação diminuiu 0,09 ponto percentual, passando de –1,51% para –1,42%. Os dois efeitos combinados responderam por um acréscimo de 0,05 ponto percentual na taxa de variação do IPC-S.

Outro impacto importante para o aumento da inflação foi a nova aceleração observada no grupo Habitação, cujos preços subiram 1,15%, contra 1,04% no período anterior. Saúde e Cuidados Pessoais (0,26%) e Despesas Diversas (0,50%) também contribuíram, cada um com 0,01 ponto percentual, para o resultado positivo do índice semanal de varejo. No grupo Habitação, o vilão foi o telefone residencial. Com alta de 6,37%, sua contribuição para a formação do IPC-S subiu de 0,14 para 0,18 ponto percentual.

Das 12 capitais pesquisadas, nove mostraram alta da inflação, por conta dos aumentos registrados nos grupos Alimentação, Transportes e Habitação. Este último refletiu os reajustes da telefonia fixa, simultâneos nas 12 cidades.

A taxa máxima (1,03%) foi apurada em Curitiba, devido ao impacto dos reajustes tarifários de energia elétrica, telefone fixo e ônibus urbano. A taxa mínima (-0,20%) ocorreu em Goiânia, que sofreu, entretanto, aceleração de 0,34 ponto percentual em comparação à divulgação anterior.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;