Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Marcos Pasquim quer mostrar que não é só corpo


Rodrigo Teixeira
Da TV Press

17/05/2003 | 16:49


Marcos Pasquim tem consciência da ‘ginástica’ que é protagonizar uma trama assinada por Carlos Lombardi. Até porque Kubanacan é o terceiro texto do autor de que este paulistano de 33 anos participa. Durante as gravações da novela das sete da Globo, Pasquim sabe que tem de suar a pele permanentemente exposta de seu personagem, o desmemoriado e briguento Esteban. Foi igual em Uga Uga, com Van Damme, e com Dom Pedro I na minissérie O Quinto dos Infernos. Ele próprio reconhece que não é diferente em Kubanacan. Mas com sua voz baixa e o jeito comedido que contrasta com seus 1,80m, o ator chama atenção pela humildade. “Quero mostrar em Kubanacan que não tenho só um corpinho bonito”, diz o ator, que é um dos queridinhos de Lombardi.

Pasquim não esconde a vontade de fazer personagens dramáticos em novelas futuras. Mas esclarece que não se importa em aparecer sem camisa praticamente em todas as cenas de Kubanacan, até porque nem todos os atores estariam aptos para se mostrar desta maneira na televisão. “Só sou chamado para este tipo de trabalho porque não tenho 180 quilos e sei fazer cenas de ação. E quem tem um corpo bonito tem de mostrar mesmo”.

A maior dificuldade de Pasquim em Kubanacan é decifrar o personagem Esteban, que não lembra de seu passado e vive em enrascadas. “Estou interpretando no escuro. O Esteban ainda mudará muito durante a novela”, diz o ator. Pasquim também já se acostumou com pequenos acidentes de trabalho nas produções de Lombardi. Ele, por exemplo, já bateu o rosto em uma porta durante uma cena de briga e sempre acaba as gravações com o corpo doído. “É preciso estar com uma saúde de ferro para encarar as produções do Lombardi”, diz.

TV PRESS - Como é trabalhar com um autor que explora tanto o físico do elenco?
MARCOS PASQUIM - Para mim é tranqüilo. Mas existe um grande preconceito com as novelas do Lombardi. Faço questão de dizer que também procuro mostrar meu talento como ator e não só a parte física. Não sei se consigo atingir meu objetivo, mas estou tentando.

TV PRESS - Você aparece a maioria do tempo sem camisa. Isso não o incomoda?
PASQUIM - Não tenho problema nenhum com isso. Desde meus tempos de modelo, faço muito trabalho em que exploro o corpo. E este lado mais sensual está inserido totalmente no contexto das produções do Lombardi. Ele mexe com a libido das pessoas e coloca nas tramas sempre atores que são sensuais.

TV MAIS - Você está mais malhado do que nas produções anteriores.
PASQUIM - Estou mais forte mesmo. Ganhei massa muscular e estou dois quilos abaixo do meu peso. Também fiz várias aulas de artes marciais, pois o Esteban participará das lutas no Coliseu, tipo uma arena que aparecerá mais para frente na novela.

TV PRESS - Como é interpretar um personagem que não tem um passado definido?
PASQUIM - Não sei onde buscar o personagem. Nesse sentido, acredito que seja o meu trabalho mais difícil como ator. Porque são vários Estebans que tenho de interpretar. E até agora o Lombardi não me disse quem é realmente o Esteban.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Marcos Pasquim quer mostrar que não é só corpo

Rodrigo Teixeira
Da TV Press

17/05/2003 | 16:49


Marcos Pasquim tem consciência da ‘ginástica’ que é protagonizar uma trama assinada por Carlos Lombardi. Até porque Kubanacan é o terceiro texto do autor de que este paulistano de 33 anos participa. Durante as gravações da novela das sete da Globo, Pasquim sabe que tem de suar a pele permanentemente exposta de seu personagem, o desmemoriado e briguento Esteban. Foi igual em Uga Uga, com Van Damme, e com Dom Pedro I na minissérie O Quinto dos Infernos. Ele próprio reconhece que não é diferente em Kubanacan. Mas com sua voz baixa e o jeito comedido que contrasta com seus 1,80m, o ator chama atenção pela humildade. “Quero mostrar em Kubanacan que não tenho só um corpinho bonito”, diz o ator, que é um dos queridinhos de Lombardi.

Pasquim não esconde a vontade de fazer personagens dramáticos em novelas futuras. Mas esclarece que não se importa em aparecer sem camisa praticamente em todas as cenas de Kubanacan, até porque nem todos os atores estariam aptos para se mostrar desta maneira na televisão. “Só sou chamado para este tipo de trabalho porque não tenho 180 quilos e sei fazer cenas de ação. E quem tem um corpo bonito tem de mostrar mesmo”.

A maior dificuldade de Pasquim em Kubanacan é decifrar o personagem Esteban, que não lembra de seu passado e vive em enrascadas. “Estou interpretando no escuro. O Esteban ainda mudará muito durante a novela”, diz o ator. Pasquim também já se acostumou com pequenos acidentes de trabalho nas produções de Lombardi. Ele, por exemplo, já bateu o rosto em uma porta durante uma cena de briga e sempre acaba as gravações com o corpo doído. “É preciso estar com uma saúde de ferro para encarar as produções do Lombardi”, diz.

TV PRESS - Como é trabalhar com um autor que explora tanto o físico do elenco?
MARCOS PASQUIM - Para mim é tranqüilo. Mas existe um grande preconceito com as novelas do Lombardi. Faço questão de dizer que também procuro mostrar meu talento como ator e não só a parte física. Não sei se consigo atingir meu objetivo, mas estou tentando.

TV PRESS - Você aparece a maioria do tempo sem camisa. Isso não o incomoda?
PASQUIM - Não tenho problema nenhum com isso. Desde meus tempos de modelo, faço muito trabalho em que exploro o corpo. E este lado mais sensual está inserido totalmente no contexto das produções do Lombardi. Ele mexe com a libido das pessoas e coloca nas tramas sempre atores que são sensuais.

TV MAIS - Você está mais malhado do que nas produções anteriores.
PASQUIM - Estou mais forte mesmo. Ganhei massa muscular e estou dois quilos abaixo do meu peso. Também fiz várias aulas de artes marciais, pois o Esteban participará das lutas no Coliseu, tipo uma arena que aparecerá mais para frente na novela.

TV PRESS - Como é interpretar um personagem que não tem um passado definido?
PASQUIM - Não sei onde buscar o personagem. Nesse sentido, acredito que seja o meu trabalho mais difícil como ator. Porque são vários Estebans que tenho de interpretar. E até agora o Lombardi não me disse quem é realmente o Esteban.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;