Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Caminhões ignoram
restrição no Centro


Camila Brunelli e Fábio Munhoz

31/05/2011 | 07:01


Mais de três meses após o início da restrição para a circulação de caminhões no Centro de Diadema, os motoristas ainda ignoram a medida da Prefeitura. Durante uma hora em que esteve na área central do município, a equipe do Diário flagrou ontem pelo menos três grandes caminhões nas ruas São José e Izaurino Lopes da Silva, ambas incluídas na lista de 11 vias em que os veículos longos não podem trafegar.

De acordo com a norma, só podem transitar na área demarcada os chamados VUCs (Veículos Urbanos de Carga). Se enquadram nesta categoria os caminhões com até 2,20 metros de largura, 6,30 metros de comprimento e peso de até quatro toneladas. A proibição vigora de segunda a sexta-feira, entre 6h e 20h, e aos sábados, das 6h às 14h. A multa para quem desrespeitar a norma é de R$ 85,13.

A proibição teve início em fevereiro, quando a administração verificou aumento no tráfego de caminhões devido à abertura do Trecho Sul do Rodoanel e às restrições impostas pela prefeitura de São Paulo na Avenida dos Bandeirantes e na Marginal do Pinheiros.

Até o momento, a Prefeitura informa que foram aplicadas 38 multas a motoristas que desrespeitaram a restrição, sendo 25 em fevereiro e as 13 restantes nos meses seguintes. Apesar da diminuição no número de infrações, moradores e comerciantes da região central ainda se queixam do fluxo intenso nas vias do bairro.

"Está tudo do mesmo jeito. Outro dia mesmo, entrou um ônibus aqui na contramão", comentou Fábio Régis, 31 anos, que trabalha em um bar na esquina entre a Rua Izaurino Lopes da Silva e Avenida Nossa Senhora das Vitórias.

Vendedora de uma loja de sapatos na Rua São José, Luana Matos, 22, notou a redução de caminhões, mas não percebeu melhora no trânsito. "A maioria sabe que não pode passar por aqui, mas passa mesmo assim. Acho que fica mais perto para eles."

Segundo um funcionário do Departamento de Trânsito de Diadema, há uma câmera instalada no início da Rua São José para flagrar motoristas que desrespeitam a proibição. A Prefeitura não informou quantos agentes trabalham na fiscalização dos caminhões.

 

REGIÃO

Além de Diadema, a única

cidade do Grande ABC que proíbe caminhões no Centro é São Caetano. Em Mauá, restrição semelhante deve ter início em breve.

 

Prefeitura discute hoje proibição no bairro Eldorado

 

O secretário de Transportes de Diadema, Ricardo Perez, se reúne hoje com moradores e comerciantes do bairro Eldorado para discutir a restrição de caminhões nas vias da região. Desde abril do ano passado, quando foi inaugurado o Trecho Sul do Rodoanel, a Prefeitura observou aumento no tráfego, estimulado também pelas restrições criadas na Capital e em Diadema.

Entre 10 e 17 de março, levantamento da administração apontou a circulação de 1.280 caminhões por dia na Avenida Nossa Senhora dos Navegantes e Estrada dos Alvarenga. O caminho é utilizado como rota alternativa para quem quer acessar a Rodovia dos Imigrantes sem passar pelo Centro. A Prefeitura estuda também a criação de mudanças no sistema viário do bairro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caminhões ignoram
restrição no Centro

Camila Brunelli e Fábio Munhoz

31/05/2011 | 07:01


Mais de três meses após o início da restrição para a circulação de caminhões no Centro de Diadema, os motoristas ainda ignoram a medida da Prefeitura. Durante uma hora em que esteve na área central do município, a equipe do Diário flagrou ontem pelo menos três grandes caminhões nas ruas São José e Izaurino Lopes da Silva, ambas incluídas na lista de 11 vias em que os veículos longos não podem trafegar.

De acordo com a norma, só podem transitar na área demarcada os chamados VUCs (Veículos Urbanos de Carga). Se enquadram nesta categoria os caminhões com até 2,20 metros de largura, 6,30 metros de comprimento e peso de até quatro toneladas. A proibição vigora de segunda a sexta-feira, entre 6h e 20h, e aos sábados, das 6h às 14h. A multa para quem desrespeitar a norma é de R$ 85,13.

A proibição teve início em fevereiro, quando a administração verificou aumento no tráfego de caminhões devido à abertura do Trecho Sul do Rodoanel e às restrições impostas pela prefeitura de São Paulo na Avenida dos Bandeirantes e na Marginal do Pinheiros.

Até o momento, a Prefeitura informa que foram aplicadas 38 multas a motoristas que desrespeitaram a restrição, sendo 25 em fevereiro e as 13 restantes nos meses seguintes. Apesar da diminuição no número de infrações, moradores e comerciantes da região central ainda se queixam do fluxo intenso nas vias do bairro.

"Está tudo do mesmo jeito. Outro dia mesmo, entrou um ônibus aqui na contramão", comentou Fábio Régis, 31 anos, que trabalha em um bar na esquina entre a Rua Izaurino Lopes da Silva e Avenida Nossa Senhora das Vitórias.

Vendedora de uma loja de sapatos na Rua São José, Luana Matos, 22, notou a redução de caminhões, mas não percebeu melhora no trânsito. "A maioria sabe que não pode passar por aqui, mas passa mesmo assim. Acho que fica mais perto para eles."

Segundo um funcionário do Departamento de Trânsito de Diadema, há uma câmera instalada no início da Rua São José para flagrar motoristas que desrespeitam a proibição. A Prefeitura não informou quantos agentes trabalham na fiscalização dos caminhões.

 

REGIÃO

Além de Diadema, a única

cidade do Grande ABC que proíbe caminhões no Centro é São Caetano. Em Mauá, restrição semelhante deve ter início em breve.

 

Prefeitura discute hoje proibição no bairro Eldorado

 

O secretário de Transportes de Diadema, Ricardo Perez, se reúne hoje com moradores e comerciantes do bairro Eldorado para discutir a restrição de caminhões nas vias da região. Desde abril do ano passado, quando foi inaugurado o Trecho Sul do Rodoanel, a Prefeitura observou aumento no tráfego, estimulado também pelas restrições criadas na Capital e em Diadema.

Entre 10 e 17 de março, levantamento da administração apontou a circulação de 1.280 caminhões por dia na Avenida Nossa Senhora dos Navegantes e Estrada dos Alvarenga. O caminho é utilizado como rota alternativa para quem quer acessar a Rodovia dos Imigrantes sem passar pelo Centro. A Prefeitura estuda também a criação de mudanças no sistema viário do bairro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;