Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 13 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Segundo tempo garante vitória do Azulão em Minas


Antonio Rogério Cazzali
Do Diário do Grande ABC

24/07/2004 | 21:47


O São Caetano derrotou o Cruzeiro, sábado à noite, no Mineirão, em Belo Horizonte, por 1 a 0, gol de Fabrício Carvalho no início do segundo tempo, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, e agora soma 26 pontos. Já o Cruzeiro permanece no escalão intermediário com 27 pontos. Com treinador interino, Cândido Farias – Péricles Chamusca só se apresentará nesta segunda –, o Azulão fez um primeiro tempo apático, porém, na segunda etapa, um gol marcado logo aos oito minutos trouxe mais disposição à equipe do Grande ABC que buscou ampliar o marcador em várias oportunidades e conseguiu segurar o resultado até o final.

Do lado cruzeirense, a equipe não conseguiu fazer, com perfeição, a ligação entre o meio-campo e o ataque, e nas poucas ocasiões em que teve chance de marcar, o goleiro Sílvio Luiz e até a trave não permitiram o empate. Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta, na quarta-feira, o Corinthians, no Pacaembu, e na quinta-feira, o São Caetano pega, em casa, o Internacional-RS.

A maior prova do ritmo morno da primeira etapa foi o fato de o primeiro chute a gol da equipe do São Caetano só ter ocorrido aos 26 minutos, em jogada de Triguinho. Ele entrou pela intermediária e arriscou de longe, mas o goleiro Artur defendeu no alto. Aos 30 minutos, também o primeiro lance de perigo do Cruzeiro. Tapia bateu, de longe, e foi a vez de Sílvio Luiz se esticar para fazer a defesa. A poucos minutos do final, Ânderson Lima bateu falta com efeito e Artur fez nova defesa. E foi só isso.

Na segunda etapa, o Azulão voltou mais ofensivo. Triguinho, novamente, logo aos três minutos, arriscou tiro a gol que terminou nas mãos de Artur. Dois minutos depois, Ânderson Lima cobrou nova falta e exigiu outra intervenção do goleiro do Cruzeiro. O gol do Azulão saiu aos oito minutos, depois de falha de Bruno Quadros. Ele rebateu a bola nos pés de Matheus, que só rolou para Fabrício Carvalho completar para o gol.

Em desvantagem no placar, o Cruzeiro passou a buscar o ataque, de forma desordenada, em jogadas individuais, sempre correndo o risco do contra-ataque. Aos 14 minutos, a maior chance de empate do Cruzeiro. Tapia entrou driblando na área, pela direita, esperou Sílvio Luiz cair para tocar de leve, mas a bola bateu na trave. Dez minutos depois, Jussiê arriscou de longe e o goleiro do Azulão colocou a escanteio. Já no final da partida, aos 42, Warley quase ampliou o placar. Ele driblou Marcelo Batatais e chutou firme; porém Artur, mais uma vez, salvou o time mineiro.

Para Fabrício Carvalho, autor do único gol da partida, a vitória deverá calar um pouco as críticas que a equipe vem sofrendo. "Perguntavam se o São Caetano era, realmente, tudo isso. E hoje mostramos que somos, sim. Vencer a forte equipe do Cruzeiro, no Mineirão, não é tarefa para qualquer equipe."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Segundo tempo garante vitória do Azulão em Minas

Antonio Rogério Cazzali
Do Diário do Grande ABC

24/07/2004 | 21:47


O São Caetano derrotou o Cruzeiro, sábado à noite, no Mineirão, em Belo Horizonte, por 1 a 0, gol de Fabrício Carvalho no início do segundo tempo, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, e agora soma 26 pontos. Já o Cruzeiro permanece no escalão intermediário com 27 pontos. Com treinador interino, Cândido Farias – Péricles Chamusca só se apresentará nesta segunda –, o Azulão fez um primeiro tempo apático, porém, na segunda etapa, um gol marcado logo aos oito minutos trouxe mais disposição à equipe do Grande ABC que buscou ampliar o marcador em várias oportunidades e conseguiu segurar o resultado até o final.

Do lado cruzeirense, a equipe não conseguiu fazer, com perfeição, a ligação entre o meio-campo e o ataque, e nas poucas ocasiões em que teve chance de marcar, o goleiro Sílvio Luiz e até a trave não permitiram o empate. Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta, na quarta-feira, o Corinthians, no Pacaembu, e na quinta-feira, o São Caetano pega, em casa, o Internacional-RS.

A maior prova do ritmo morno da primeira etapa foi o fato de o primeiro chute a gol da equipe do São Caetano só ter ocorrido aos 26 minutos, em jogada de Triguinho. Ele entrou pela intermediária e arriscou de longe, mas o goleiro Artur defendeu no alto. Aos 30 minutos, também o primeiro lance de perigo do Cruzeiro. Tapia bateu, de longe, e foi a vez de Sílvio Luiz se esticar para fazer a defesa. A poucos minutos do final, Ânderson Lima bateu falta com efeito e Artur fez nova defesa. E foi só isso.

Na segunda etapa, o Azulão voltou mais ofensivo. Triguinho, novamente, logo aos três minutos, arriscou tiro a gol que terminou nas mãos de Artur. Dois minutos depois, Ânderson Lima cobrou nova falta e exigiu outra intervenção do goleiro do Cruzeiro. O gol do Azulão saiu aos oito minutos, depois de falha de Bruno Quadros. Ele rebateu a bola nos pés de Matheus, que só rolou para Fabrício Carvalho completar para o gol.

Em desvantagem no placar, o Cruzeiro passou a buscar o ataque, de forma desordenada, em jogadas individuais, sempre correndo o risco do contra-ataque. Aos 14 minutos, a maior chance de empate do Cruzeiro. Tapia entrou driblando na área, pela direita, esperou Sílvio Luiz cair para tocar de leve, mas a bola bateu na trave. Dez minutos depois, Jussiê arriscou de longe e o goleiro do Azulão colocou a escanteio. Já no final da partida, aos 42, Warley quase ampliou o placar. Ele driblou Marcelo Batatais e chutou firme; porém Artur, mais uma vez, salvou o time mineiro.

Para Fabrício Carvalho, autor do único gol da partida, a vitória deverá calar um pouco as críticas que a equipe vem sofrendo. "Perguntavam se o São Caetano era, realmente, tudo isso. E hoje mostramos que somos, sim. Vencer a forte equipe do Cruzeiro, no Mineirão, não é tarefa para qualquer equipe."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;