Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 3 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Azulão encara pedreira na Série A-2

Andréa Iseki/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Equipe recebe o Novorizontino às 16h, e defesa tem missão de parar Guilherme Queiróz, um dos artilheiros da competição


Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

21/02/2015 | 07:00


Se quiser manter a ponta da Série A-2, o São Caetano vai precisar se superar às 16h de hoje, no Anacleto Campanella. Isso porque vai enfrentar uma pedreira: o Novorizontino.

Apesar da boa fase do Azulão (quatro vitórias e um empate) na competição, os comandados de Luís Carlos Martins vão precisar ter atenção com o adversário, que vive bom momento desde a Série A-3 do ano passado, como alerta o meia Xuxa.

“O jogo será muito difícil. É uma equipe que tem a base formada da Série A-3 do ano passado. Não vai ser fácil. Mas se nos impusermos dentro de casa, temos chance de vencer o jogo”, comentou o camisa 10.

Além de ter mantido o técnico Guilherme Alves, o Novorizontino preocupa porque tem um dos artilheiros da competição. Remanescente do elenco de 2014, o atacante Guilherme Queiróz vem repetindo as boas atuações que o sagraram um dos melhores goleadores da A-3 do ano passado, com nove gols, e já anotou cinco em 2015 – todos entrando no decorrer das partidas do Tigre, se tornando um desafio para a defesa azulina, a menos vazada da A-2 até o momento, com dois gols sofridos em cinco jogos.

Mas se o adversário possui uma válvula de escape, o Azulão também tem a sua. E são as bolas paradas com o meia Xuxa. No confronto com o Rio Branco, o camisa 10 deu quatro assistências para três gols (um deles foi anulado por impedimento). Segundo o jogador, a boa fase é fruto do trabalho do técnico, que treina exaustivamente esse tipo de lance.

“Os gols estão saindo de bola parada devido às repetições. O professor enche o nosso saco, no bom sentido, para bater no primeiro pau, no segundo. Tomara que aconteça mais vezes”, disse ele, que ainda busca o primeiro gol com a camisa azul desde o retorno ao clube.

“Espero que amanhã (hoje) possa sair o gol, mas o São Caetano vencendo é o que importa”, destacou Xuxa.

Sem desfalques, o Azulão deve ter o retorno de Wesley, que se recuperou de uma contratura muscular. Ele disputa vaga no ataque com Diogo Acosta e Robson.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Azulão encara pedreira na Série A-2

Equipe recebe o Novorizontino às 16h, e defesa tem missão de parar Guilherme Queiróz, um dos artilheiros da competição

Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

21/02/2015 | 07:00


Se quiser manter a ponta da Série A-2, o São Caetano vai precisar se superar às 16h de hoje, no Anacleto Campanella. Isso porque vai enfrentar uma pedreira: o Novorizontino.

Apesar da boa fase do Azulão (quatro vitórias e um empate) na competição, os comandados de Luís Carlos Martins vão precisar ter atenção com o adversário, que vive bom momento desde a Série A-3 do ano passado, como alerta o meia Xuxa.

“O jogo será muito difícil. É uma equipe que tem a base formada da Série A-3 do ano passado. Não vai ser fácil. Mas se nos impusermos dentro de casa, temos chance de vencer o jogo”, comentou o camisa 10.

Além de ter mantido o técnico Guilherme Alves, o Novorizontino preocupa porque tem um dos artilheiros da competição. Remanescente do elenco de 2014, o atacante Guilherme Queiróz vem repetindo as boas atuações que o sagraram um dos melhores goleadores da A-3 do ano passado, com nove gols, e já anotou cinco em 2015 – todos entrando no decorrer das partidas do Tigre, se tornando um desafio para a defesa azulina, a menos vazada da A-2 até o momento, com dois gols sofridos em cinco jogos.

Mas se o adversário possui uma válvula de escape, o Azulão também tem a sua. E são as bolas paradas com o meia Xuxa. No confronto com o Rio Branco, o camisa 10 deu quatro assistências para três gols (um deles foi anulado por impedimento). Segundo o jogador, a boa fase é fruto do trabalho do técnico, que treina exaustivamente esse tipo de lance.

“Os gols estão saindo de bola parada devido às repetições. O professor enche o nosso saco, no bom sentido, para bater no primeiro pau, no segundo. Tomara que aconteça mais vezes”, disse ele, que ainda busca o primeiro gol com a camisa azul desde o retorno ao clube.

“Espero que amanhã (hoje) possa sair o gol, mas o São Caetano vencendo é o que importa”, destacou Xuxa.

Sem desfalques, o Azulão deve ter o retorno de Wesley, que se recuperou de uma contratura muscular. Ele disputa vaga no ataque com Diogo Acosta e Robson.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;