Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Lei Seca reduz preço dos seguros na região


Verônica Lima
Do Diário do Grande ABC

17/07/2008 | 07:02


A Lei Seca, em vigor desde o dia 19 de junho deste ano, que pune com multas pesadas e até detenção quem dirigir após ingerir bebidas alcoólicas, além de estar contribuindo para uma queda no número de vítimas de acidentes de trânsito no País vai reduzir o custo do seguro de automóveis e de vida nos próximos meses.

O presidente da Fenseg (Federação Nacional de Seguros Gerais), Jayme Garfinkel, aponta que em dentro de três meses se a fiscalização rigorosa continuar e os números provarem a eficiência da medida, o mercado vai reavaliar os preços do seguro de automóvel.

Dados da Fenseg mostram que as indenizações pagas por colisões (com perda total ou parcial) representaram 54% (R$ 2,5 bilhões) dos desembolsos totais no ano passado. Roubo e furto figuraram como a segunda causa de indenizações de carros de passeio nacionais, respondendo por 42% do total dos desembolsos de 2007.

"O que se sabe até agora é que o número de vítimas de acidentes caiu, mas o mercado de seguros ainda precisará de mais algumas semanas para identificar a tendência da sinistralidade. Pode ser que isoladamente alguma seguradora baixe o preço, o que não acredito, já que o mercado terá uma visão melhor dos impactos da Lei Seca dentro de três meses". assegura Garfinkel.

Na opinião do presidente da Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo), Leôncio de Arruda. devido a concorrência do mercado de seguros que conta hoje com 45 empresas brasileiras, pode fazer com que algumas companhias se antecipem na redução do custo do serviço.

"De modo geral, a estimativa é que as seguradoras continuem avaliando até o final do ano, e então a partir de janeiro ofereça planos com preços entre 10% a 20% mais em conta do que o valor cobrado antes da Lei Seca", comenta Arruda.

O diretor de seguro automóvel da Porto Seguro, Marcelo Sebastião, julga que a continuidade desse comportamento dos brasileiros deverá refletir em uma queda nos preços, mas ainda é cedo para avaliar.

Além disso, ele explica que julho costuma apontar uma redução de ocorrência, por ser um período de férias escolares. No caso da cidade de São Paulo é mais beneficiada por conta da restrição de caminhões das 5h às 21h de segunda a sexta-feira e das das 10h às 14h aos sábados.

Para o superintendente de Automóvel da Allianz Seguros, Pedro Pimenta, é possível que a lei diminua também o volume de roubos e furtos nas grandes cidades, "já que as pessoas vão deixar de circular com os veículos a noite".

"Dentro de três meses, período para se avaliar a tendência do mercado, o preço do nosso produto poderá recuar", diz Pimenta.

A Mapfre Seguros vai alterar o preço para baixo do serviço a partir do sexto mês de resultados condescendentes. "Tudo leva a crer que vai ocorrer uma mudança nas tabelas. entretanto é preciso ter avaliar o comportamento", afirma Mauricio Galian,diretor de unidade de auto da Mapfre.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;