Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Donisete decide que não vai trocar chefia de Mobilidade Urbana

Prefeito banca permanência do secretário Azor de Albuquerque no setor, alvo do Gaeco


Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

05/08/2016 | 07:00


O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), bancou a permanência de Azor de Albuquerque Silva (PT) no comando da Secretaria de Mobilidade Urbana, que, na quarta-feira, foi alvo de busca e apreensão do Gaeco ABC (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), com base em inquérito que apura crimes de peculato (desvio de dinheiro público por parte de servidores) e falsificação de documento municipal.

A atuação de agentes do GOE (Grupo de Operações Especiais), da Polícia Civil, na sede da secretaria e em setores do Paço fez o governo cogitar possível troca no comando da Pasta. Porém, como a administração nem o Ministério Público divulgaram detalhes dos contratos investigados, tampouco as figuras públicas que são alvo do Gaeco, Donisete decidiu não demitir Azor.

Na operação, Gaecos da região e da Capital e promotores da cidade apreenderam vários documentos, computadores e alguns equipamentos eletrônicos. Até a agenda pessoal de um dos servidores da Pasta foi levada. Durante a operação dos policiais, os sistemas de telefonia e internet do Paço foram cortados, o que interrompeu o expediente na Prefeitura e ocasionou na suspensão do atendimento à população.

O Diário apurou que a promotoria da cidade já havia aberto ação civil pública contra a secretaria e o governo já vinha fornecendo esclarecimentos sobre o caso ao MP. A ida de quatro viaturas e de policiais armados aos setores da administração causou estranheza para alguns integrantes do governo e do petismo. A equipe da campanha de um dos principais adversários de Donisete, o deputado estadual e candidato do PSB ao Paço, Atila Jacomussi, divulgou nota à imprensa sobre o ocorrido. Assessores do socialista teriam acompanhado toda a ação do GOE.

A permanência de Azor no Paço evidencia que, mesmo após quatro anos sem mandato, o ex-vice-prefeito Paulo Eugenio Pereira Junior goza de prestígio na administração. Além de nutrir a confiança de Donisete, Azor é indicado de Paulo Eugenio no Paço. A manutenção também demonstra que o prefeito não está disposto a entrar em atrito com correligionários num momento em que buscará a reeleição sob forte fragilidade do PT. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Donisete decide que não vai trocar chefia de Mobilidade Urbana

Prefeito banca permanência do secretário Azor de Albuquerque no setor, alvo do Gaeco

Junior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

05/08/2016 | 07:00


O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), bancou a permanência de Azor de Albuquerque Silva (PT) no comando da Secretaria de Mobilidade Urbana, que, na quarta-feira, foi alvo de busca e apreensão do Gaeco ABC (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), com base em inquérito que apura crimes de peculato (desvio de dinheiro público por parte de servidores) e falsificação de documento municipal.

A atuação de agentes do GOE (Grupo de Operações Especiais), da Polícia Civil, na sede da secretaria e em setores do Paço fez o governo cogitar possível troca no comando da Pasta. Porém, como a administração nem o Ministério Público divulgaram detalhes dos contratos investigados, tampouco as figuras públicas que são alvo do Gaeco, Donisete decidiu não demitir Azor.

Na operação, Gaecos da região e da Capital e promotores da cidade apreenderam vários documentos, computadores e alguns equipamentos eletrônicos. Até a agenda pessoal de um dos servidores da Pasta foi levada. Durante a operação dos policiais, os sistemas de telefonia e internet do Paço foram cortados, o que interrompeu o expediente na Prefeitura e ocasionou na suspensão do atendimento à população.

O Diário apurou que a promotoria da cidade já havia aberto ação civil pública contra a secretaria e o governo já vinha fornecendo esclarecimentos sobre o caso ao MP. A ida de quatro viaturas e de policiais armados aos setores da administração causou estranheza para alguns integrantes do governo e do petismo. A equipe da campanha de um dos principais adversários de Donisete, o deputado estadual e candidato do PSB ao Paço, Atila Jacomussi, divulgou nota à imprensa sobre o ocorrido. Assessores do socialista teriam acompanhado toda a ação do GOE.

A permanência de Azor no Paço evidencia que, mesmo após quatro anos sem mandato, o ex-vice-prefeito Paulo Eugenio Pereira Junior goza de prestígio na administração. Além de nutrir a confiança de Donisete, Azor é indicado de Paulo Eugenio no Paço. A manutenção também demonstra que o prefeito não está disposto a entrar em atrito com correligionários num momento em que buscará a reeleição sob forte fragilidade do PT. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;