Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Frio de 10°C pode ter matado moradora de rua


Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

30/06/2006 | 07:50


A Polícia Militar suspeita que o frio da madrugada de quinta-feira tenha matado uma moradora de rua que dormia na rua Itambé, Centro de Santo André, ao lado do terminal de trólebus da cidade. Conhecida na região, os PMs perceberam que a moradora de rua não havia acordado até as 9h, e decidiram ver se ela estava bem. Perceberam que o corpo estava rígido e frio, e chamaram o resgate. O atendimento de emergência constatou o óbito.

O corpo da mulher só foi retirado às 11h30. Um homem que trabalha na região contou que a mulher, que aparentava 50 anos, era alcoólatra, e costumava beber com outros moradores de rua no local onde foi achada. Depois de beber, o hábito era se recolher em outro lugar, para dormir aquecida na companhia de mais gente. O comerciante suspeita que, na noite anterior, a moradora de rua pudesse ter exagerado nas doses, e não se abrigou.

Até o fechamento desta edição, o IML não havia confirmado se a mulher havia morrido de frio.

A Prefeitura tem um serviço de atendimento a moradores de rua que disponibiliza mais de 140 vagas em albergues. A moradora encontrada morta tinha registro de atendimento no inverno de 2005. Uma equipe do município, com dois agentes, vai aos núcleos onde esse moradores estão abrigados e oferecem auxílio. Nem todos aceitam, segundo a diretora do Departamento de Inclusão Social, Marcia Leal. Ela não informou quantos moradores de rua existem na cidade, mas afirmou que o serviço atende à demanda.

A madrugada de quinta-feira repetiu a temperatura da noite de quarta-feira, 10,1°C – a noite mais fria do ano, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). A tendência é que haja pequena elevação da temperatura até domingo, quando haverá chuva. Em temperaturas baixas, nosso corpo precisa produzir calor, o que consome energia. Sem energia, os órgãos têm seu funcionamento alterado. Essas condições podem causar parada cardíaca ou respiratória, segundo o médico Eduardo Colombari, professor de Fisiologia da Faculdade de Medicina do ABC.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Frio de 10°C pode ter matado moradora de rua

Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

30/06/2006 | 07:50


A Polícia Militar suspeita que o frio da madrugada de quinta-feira tenha matado uma moradora de rua que dormia na rua Itambé, Centro de Santo André, ao lado do terminal de trólebus da cidade. Conhecida na região, os PMs perceberam que a moradora de rua não havia acordado até as 9h, e decidiram ver se ela estava bem. Perceberam que o corpo estava rígido e frio, e chamaram o resgate. O atendimento de emergência constatou o óbito.

O corpo da mulher só foi retirado às 11h30. Um homem que trabalha na região contou que a mulher, que aparentava 50 anos, era alcoólatra, e costumava beber com outros moradores de rua no local onde foi achada. Depois de beber, o hábito era se recolher em outro lugar, para dormir aquecida na companhia de mais gente. O comerciante suspeita que, na noite anterior, a moradora de rua pudesse ter exagerado nas doses, e não se abrigou.

Até o fechamento desta edição, o IML não havia confirmado se a mulher havia morrido de frio.

A Prefeitura tem um serviço de atendimento a moradores de rua que disponibiliza mais de 140 vagas em albergues. A moradora encontrada morta tinha registro de atendimento no inverno de 2005. Uma equipe do município, com dois agentes, vai aos núcleos onde esse moradores estão abrigados e oferecem auxílio. Nem todos aceitam, segundo a diretora do Departamento de Inclusão Social, Marcia Leal. Ela não informou quantos moradores de rua existem na cidade, mas afirmou que o serviço atende à demanda.

A madrugada de quinta-feira repetiu a temperatura da noite de quarta-feira, 10,1°C – a noite mais fria do ano, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). A tendência é que haja pequena elevação da temperatura até domingo, quando haverá chuva. Em temperaturas baixas, nosso corpo precisa produzir calor, o que consome energia. Sem energia, os órgãos têm seu funcionamento alterado. Essas condições podem causar parada cardíaca ou respiratória, segundo o médico Eduardo Colombari, professor de Fisiologia da Faculdade de Medicina do ABC.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;