Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 13 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Iraque: chefe de polícia é morto após discutir com governador


Da AFP

16/05/2004 | 17:26


O chefe de polícia da cidade de Majar foi morto após uma discussão com o governador da província de Misan, no sul do Iraque. Os dois divergiam sobre a entrega dos corpos de rebeldes mortos por soldados britânicos.

Duas versões circulavam sobre as circunstâncias da morte de Mohamad Amchani Mahmadaui, ligado ao Conselho Supremo da Revolução Islâmica no Iraque. Uma delas diz que ele foi morto pelo próprio governador Ryad Mahud, enquanto outra informa que ele foi assassinado pelo irmão.

As duas versões coincidem, no entanto, no fato de que a polícia acusou o governador de ser "um colaborador das forças de ocupação". Segundo fontes tribais, a discussão começou quando o chefe da polícia disse que os corpos de integrantes da milícia de Moqtada al-Sadr foram mutilados pelos britânicos — informação negada pelo governador.

No total, 22 corpos foram devolvidos e 11 deles foram enterrados neste domingo no cemitério da cidade santa de Najaf.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Iraque: chefe de polícia é morto após discutir com governador

Da AFP

16/05/2004 | 17:26


O chefe de polícia da cidade de Majar foi morto após uma discussão com o governador da província de Misan, no sul do Iraque. Os dois divergiam sobre a entrega dos corpos de rebeldes mortos por soldados britânicos.

Duas versões circulavam sobre as circunstâncias da morte de Mohamad Amchani Mahmadaui, ligado ao Conselho Supremo da Revolução Islâmica no Iraque. Uma delas diz que ele foi morto pelo próprio governador Ryad Mahud, enquanto outra informa que ele foi assassinado pelo irmão.

As duas versões coincidem, no entanto, no fato de que a polícia acusou o governador de ser "um colaborador das forças de ocupação". Segundo fontes tribais, a discussão começou quando o chefe da polícia disse que os corpos de integrantes da milícia de Moqtada al-Sadr foram mutilados pelos britânicos — informação negada pelo governador.

No total, 22 corpos foram devolvidos e 11 deles foram enterrados neste domingo no cemitério da cidade santa de Najaf.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;