Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Pernilongos infestam bairro de Sto.André


Bruno Ribeiro
Especial para o Diário

26/08/2005 | 08:07


Os moradores do bairro Valparaíso, em Santo André, dizem que há um mês o bairro foi infestado por mosquitos. Segundo eles, desde então sobrevivem à base de inseticidas e telas protetoras instaladas nas janelas. O ataque dos pernilongos se concentra à noite, após às 18h.

"Temos que fechar a janela às 16h. Mesmo assim, tive que dormir na sala nos últimos dias", diz a dona-de-casa Guilmar Elisabeth Sotoreno, moradora da rua Rio Preto. Ela afirma que o problema tornou-se insuportável há mais ou menos um mês, e que este tem sido um dos assuntos mais comentados do bairro. Sua vizinha, a também dona-de-casa Edite Valensa, diz que o problema é pior para quem tem crianças pequenas em casa. "Não podemos usar muito inseticida e nem colocar os aparelhos de veneno na tomada porque podem fazer mal", lamenta. A moradora América Tomassini, da rua Cruzeiro, explica que mesmo em dias frios, como foi o caso de quinta-feira, os mosquitos atrapalham o sono. "De manhã, quando abrimos as janelas, se sacudirmos a cortina saem uns dez."

A moradora América afirma que o piscinão localizado no bairro secou no mesmo período em que os mosquitos começaram a aparecer. "Talvez, tenham procurado outro lugar para se reproduzir e vieram para cá", comenta a moradora. Segundo a professora de Ciências Biológicas Meire Cristine Pauletto, da Universidade Metodista de São Paulo, a idéia faz sentido. "Eles podem ter começado a se reproduzir no bairro se o local de origem deles secou", avalia a professora. No entanto, a professora destaca que antes é preciso saber se a população que cresceu é de uma espécie que se reproduz em água parada ou corrente.

A Prefeitura afirma que nenhuma reclamação de pernilongos foi recebida pela Gerência e Controle de Zoonoses da cidade. Como nenhuma equipe se dirigiu à região, a Prefeitura diz que não é possível saber ainda o que fez crescer a população de mosquitos no bairro. Segundo a Prefeitura, queixas desse gênero são tratadas como questão de saúde pública, por isso sempre são atendidas. Para reclamar em Santo André, há o telefone 0800-0191944. Na hora da reclamação, a Prefeitura pede que o morador indique com exatidão o local infestado pelos mosquitos e possíveis pontos de reprodução dos insetos.

Telas – A professora Meire Cristine, da Metodista, ensina que a melhor forma de impedir a presença dos pernilongos em casa é com a colocação de telas na janela. "Além disso, as pessoas podem acender velas de citronela nos quartos. A fumaça espanta os mosquitos. Em casos mais graves, é possível improvisar um mosquiteiro em torno da cama com tecido tule e passar repelente."

A Prefeitura lembra que é preciso tomar cuidado para evitar o acúmulo de água parada, pois, além de propiciar o surgimento de pernilongos, as poças também são criadouros do mosquito da dengue.

Cuidados

- Evite deixar água parada em vasos no quintal de casa.
- Tampe a caixa d’água.
- Deixe potes e garrafas de cabeça para baixo para não permitir o acúmulo d’água.
- Mantenha secos os pneus velhos.
- Faça capinagem regular do mato.
- Coloque tela nas janelas de casa.
- Passe repelente no corpo.
Para chamar equipe da Zoonoses da Prefeitura de Santo André: 0800-0191944.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pernilongos infestam bairro de Sto.André

Bruno Ribeiro
Especial para o Diário

26/08/2005 | 08:07


Os moradores do bairro Valparaíso, em Santo André, dizem que há um mês o bairro foi infestado por mosquitos. Segundo eles, desde então sobrevivem à base de inseticidas e telas protetoras instaladas nas janelas. O ataque dos pernilongos se concentra à noite, após às 18h.

"Temos que fechar a janela às 16h. Mesmo assim, tive que dormir na sala nos últimos dias", diz a dona-de-casa Guilmar Elisabeth Sotoreno, moradora da rua Rio Preto. Ela afirma que o problema tornou-se insuportável há mais ou menos um mês, e que este tem sido um dos assuntos mais comentados do bairro. Sua vizinha, a também dona-de-casa Edite Valensa, diz que o problema é pior para quem tem crianças pequenas em casa. "Não podemos usar muito inseticida e nem colocar os aparelhos de veneno na tomada porque podem fazer mal", lamenta. A moradora América Tomassini, da rua Cruzeiro, explica que mesmo em dias frios, como foi o caso de quinta-feira, os mosquitos atrapalham o sono. "De manhã, quando abrimos as janelas, se sacudirmos a cortina saem uns dez."

A moradora América afirma que o piscinão localizado no bairro secou no mesmo período em que os mosquitos começaram a aparecer. "Talvez, tenham procurado outro lugar para se reproduzir e vieram para cá", comenta a moradora. Segundo a professora de Ciências Biológicas Meire Cristine Pauletto, da Universidade Metodista de São Paulo, a idéia faz sentido. "Eles podem ter começado a se reproduzir no bairro se o local de origem deles secou", avalia a professora. No entanto, a professora destaca que antes é preciso saber se a população que cresceu é de uma espécie que se reproduz em água parada ou corrente.

A Prefeitura afirma que nenhuma reclamação de pernilongos foi recebida pela Gerência e Controle de Zoonoses da cidade. Como nenhuma equipe se dirigiu à região, a Prefeitura diz que não é possível saber ainda o que fez crescer a população de mosquitos no bairro. Segundo a Prefeitura, queixas desse gênero são tratadas como questão de saúde pública, por isso sempre são atendidas. Para reclamar em Santo André, há o telefone 0800-0191944. Na hora da reclamação, a Prefeitura pede que o morador indique com exatidão o local infestado pelos mosquitos e possíveis pontos de reprodução dos insetos.

Telas – A professora Meire Cristine, da Metodista, ensina que a melhor forma de impedir a presença dos pernilongos em casa é com a colocação de telas na janela. "Além disso, as pessoas podem acender velas de citronela nos quartos. A fumaça espanta os mosquitos. Em casos mais graves, é possível improvisar um mosquiteiro em torno da cama com tecido tule e passar repelente."

A Prefeitura lembra que é preciso tomar cuidado para evitar o acúmulo de água parada, pois, além de propiciar o surgimento de pernilongos, as poças também são criadouros do mosquito da dengue.

Cuidados

- Evite deixar água parada em vasos no quintal de casa.
- Tampe a caixa d’água.
- Deixe potes e garrafas de cabeça para baixo para não permitir o acúmulo d’água.
- Mantenha secos os pneus velhos.
- Faça capinagem regular do mato.
- Coloque tela nas janelas de casa.
- Passe repelente no corpo.
Para chamar equipe da Zoonoses da Prefeitura de Santo André: 0800-0191944.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;