Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Polícia investiga caso de bala perdida

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Criança de 11 anos foi atingida no braço após perseguição a um procurado pela Justiça


Marcelo Argachoy
Especial para o Diário

14/03/2017 | 07:00


 O tiroteio que deixou uma criança ferida no Jardim Silvina, em São Bernardo, no sábado à noite, está sendo investigado pela polícia. Moradores da comunidade onde houve a perseguição de policiais a um suspeito dizem que a bala perdida que atingiu o braço do menor Gean Fernandes Pereira, 11 anos, saiu de arma de um dos policiais militares.

No BO (Boletim de Ocorrência) registrado após o caso, policiais relataram revide aos disparos que teriam sido efetuados primeiramente por Iago dos Santos, 24, procurado pela polícia por tentativa de homicídio, porte ilegal de arma e posse de entorpecentes.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado informa que o caso será investigado pelo 6°DP de São Bernardo e que a Corregedoria da PM (Polícia Militar) acompanhará as investigações. As armas usadas na ocorrência foram apreendidas e encaminhadas à perícia.

Gean recebeu alta do Pronto-Socorro Central de São Bernardo anteontem e passa bem. Após o susto de ter o filho baleado, a dona de casa Cristiane Fernandes Santos, 36, enfim teve motivo para dormir mais tranquila. “Graças a Deus nada de mais grave aconteceu.”

O pai do menino, o pedreiro João Carlos de Jesus Pereira, 38, também respira aliviado. “Tinha medo de que ele ficasse com alguma deficiência que o impedisse de ter emprego no futuro”, desabafou.

O caso aconteceu por volta das 20h de sábado, na Travessa Maria Orlinda Martins, viela que cruza a Rua Padre Léo Comissari. Gean relata que estava jogando bola com o primo quando parou para descansar. Foi nesta pausa que ele foi baleado. “Não senti nada na hora. Percebi somente depois que falaram que meu braço estava sangrando”, conta.

No local, dois policiais da Força Tática estavam atrás de Santos, procurado pela Justiça. Eles investigavam suposto ponto de venda de drogas, quando o suspeito começou a correr de um dos agentes, efetuando disparos com revólver calibre 38. O policial revidou, mas o perdeu de vista quando se abaixou para recolher a arma que Santos havia derrubado no chão, segundo o BO.

Em seguida, o policial identificou Santos em uma padaria na esquina da Travessa Maria Orlinda Martins. Ele se recusou a ser revistado, e houve luta corporal entre os dois, até que o outro policial interveio. Neste momento, a vizinhança começou a gritar para indicar que um garoto havia sido baleado. O agente não conseguiu dizer de onde saiu o disparo que atingiu Gean.

Os pais do garoto afirmam que os dois policiais prestaram socorro imediato ao menino, levando-o até o hospital na viatura, e depois o visitaram. No Jardim Silvina, pessoas declararam à equipe do Diário que não houve troca de tiros. “Ele (Santos) estava sem camisa, sem arma. O tiro veio de um dos policiais”, diz um morador, que preferiu não se identificar.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;