Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Boa fase do Ramalhão faz público crescer 13% em jogos no Brunão


Divanei Guazzelli
Do Diário do Grande ABC

20/05/2005 | 08:32


O início favorável do Santo André na Série B do Campeonato Brasileiro, o título da Copa do Brasil de 2004 e a recente participação na Libertadores da América já proporcionaram elevação da média de público no estádio Bruno Daniel. Das duas primeiras partidas da Série B do ano passado para as duas primeiras de 2005, no Bruno Daniel, o Santo André teve uma elevação de 13% na freqüência dos torcedores. No início do campeonato de 2004, a média era de 1.151 e, em 2005, subiu para 1.302.

Dos públicos das duas rodadas iniciais, o melhor foi o do jogo com o Vitória, no início do mês, com 1.723 pagantes, seguido por Santo André x Paulista em 2004 (1.467 torcedores), Santo André x Marília em 2005 (882) e Santo André x Ceará em 2004 (836).

O campeonato repete uma tendência da temporada passada, a do domínio de torcedores dos representantes do Nordeste nas bilheterias. O Sport Recife tem a melhor média, com 18.562 pagantes por partida, seguido por Bahia, com 11.127; Ceará, 9.574; Santa Cruz, 7.231, e CRB, com 6.107 torcedores por jogo. Somente o sexto colocado, o Criciúma, é de outra região e ostenta a média de 5.547 pagantes.

Entre os paulistas, a melhor média é a do Guarani (2.764), à frente de Marília (1.561), Portuguesa de Desportos (1.516), Santo André (1.302), Paulista (1.044), União Barbarense (674) e Ituano (317).

Dez mais e menos – Na relação dos dez melhores e dez piores públicos, segundo a estatística divulgada pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), os domínios positivos e negativos são acentuados. No caso das dez maiores públicos, o Nordeste domina com nove partidas. O maior foi registrado domingo na vitória por 2 a 1 do Santo André sobre o Sport, em Recife, com 26.168 torcedores. O segundo também é de Pernambuco: Santa Cruz 1 x 0 Portuguesa (12.221). A exceção é Criciúma 0 x 2 Grêmio (7.965).

Nos dez piores, a decepção do futebol paulista é completa. Todos ocorreram no Estado, desde os 1.613 torcedores de Portuguesa 2 x1 Guarani, no Canindé, até o pior de todos, os apenas 259 pagantes de Ituano 1 x 1 Caxias, no estádio Novelli Júnior, em Itu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Boa fase do Ramalhão faz público crescer 13% em jogos no Brunão

Divanei Guazzelli
Do Diário do Grande ABC

20/05/2005 | 08:32


O início favorável do Santo André na Série B do Campeonato Brasileiro, o título da Copa do Brasil de 2004 e a recente participação na Libertadores da América já proporcionaram elevação da média de público no estádio Bruno Daniel. Das duas primeiras partidas da Série B do ano passado para as duas primeiras de 2005, no Bruno Daniel, o Santo André teve uma elevação de 13% na freqüência dos torcedores. No início do campeonato de 2004, a média era de 1.151 e, em 2005, subiu para 1.302.

Dos públicos das duas rodadas iniciais, o melhor foi o do jogo com o Vitória, no início do mês, com 1.723 pagantes, seguido por Santo André x Paulista em 2004 (1.467 torcedores), Santo André x Marília em 2005 (882) e Santo André x Ceará em 2004 (836).

O campeonato repete uma tendência da temporada passada, a do domínio de torcedores dos representantes do Nordeste nas bilheterias. O Sport Recife tem a melhor média, com 18.562 pagantes por partida, seguido por Bahia, com 11.127; Ceará, 9.574; Santa Cruz, 7.231, e CRB, com 6.107 torcedores por jogo. Somente o sexto colocado, o Criciúma, é de outra região e ostenta a média de 5.547 pagantes.

Entre os paulistas, a melhor média é a do Guarani (2.764), à frente de Marília (1.561), Portuguesa de Desportos (1.516), Santo André (1.302), Paulista (1.044), União Barbarense (674) e Ituano (317).

Dez mais e menos – Na relação dos dez melhores e dez piores públicos, segundo a estatística divulgada pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), os domínios positivos e negativos são acentuados. No caso das dez maiores públicos, o Nordeste domina com nove partidas. O maior foi registrado domingo na vitória por 2 a 1 do Santo André sobre o Sport, em Recife, com 26.168 torcedores. O segundo também é de Pernambuco: Santa Cruz 1 x 0 Portuguesa (12.221). A exceção é Criciúma 0 x 2 Grêmio (7.965).

Nos dez piores, a decepção do futebol paulista é completa. Todos ocorreram no Estado, desde os 1.613 torcedores de Portuguesa 2 x1 Guarani, no Canindé, até o pior de todos, os apenas 259 pagantes de Ituano 1 x 1 Caxias, no estádio Novelli Júnior, em Itu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;