Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Alunos questionam correção de provas na Anhanguera

Estudantes do curso de Direito relatam que suas notas foram zeradas de forma incorreta


Daniel Macario
Especial para o Diário

25/06/2015 | 07:00


Estudantes do nono semestre do curso de Direito da Universidade Anhanguera de São Paulo, unidade de Santo André (campus Senador Flaquer), acusam a instituição de ensino de ter realizado a correção da segunda prova unificada de forma errada, o que motivou nota zero para boa parte dos alunos. Segundo os discentes, após passarem a informação para a reitoria da instituição, a mesma declarou não ter solução para o caso, a não ser realização da prova substitutiva, ao custo de R$ 31.

Segundo alunos, o erro teria acontecido nas provas das disciplinas de Direito Tributário 1, Direito Administrativo 1 e Direito Comercial e Empresarial 2.

A aluna Lais Cristine Lima, 21 anos, foi uma das prejudicadas. “Durante o ano, alguns métodos foram alterados na universidade. A média passou de cinco para seis, além da realização de provas unificadas. Nesse caso, algumas tinham conteúdo que não condiziam com o plano do semestre.”

De acordo com Lais, a surpresa aconteceu no último domingo, quando a universidade divulgou a nota das três disciplinas e boa parte da turma tirou nota zero ou um. “Professores fizeram a correção e constataram a falha. Entretanto, a reitoria disse que não faria nada e que todos teriam o prazo até hoje (ontem) para pedir a prova substitutiva, que é cobrada.”

Um dos alunos da turma que apresentou problemas foi o vereador de Santo André bispo Ronaldo de Castro. O Diário tentou contato com ele, mas sem sucesso.

Procurada, a Anhanguera Educacional esclareceu que as inconsistências referentes às notas das provas unificadas dos alunos de Direito foram causadas por falha no sistema. A instituição fará revisão dos conceitos até sexta-feira (amanhã) e disse ter comunicado todos os alunos sobre os próximos passos.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alunos questionam correção de provas na Anhanguera

Estudantes do curso de Direito relatam que suas notas foram zeradas de forma incorreta

Daniel Macario
Especial para o Diário

25/06/2015 | 07:00


Estudantes do nono semestre do curso de Direito da Universidade Anhanguera de São Paulo, unidade de Santo André (campus Senador Flaquer), acusam a instituição de ensino de ter realizado a correção da segunda prova unificada de forma errada, o que motivou nota zero para boa parte dos alunos. Segundo os discentes, após passarem a informação para a reitoria da instituição, a mesma declarou não ter solução para o caso, a não ser realização da prova substitutiva, ao custo de R$ 31.

Segundo alunos, o erro teria acontecido nas provas das disciplinas de Direito Tributário 1, Direito Administrativo 1 e Direito Comercial e Empresarial 2.

A aluna Lais Cristine Lima, 21 anos, foi uma das prejudicadas. “Durante o ano, alguns métodos foram alterados na universidade. A média passou de cinco para seis, além da realização de provas unificadas. Nesse caso, algumas tinham conteúdo que não condiziam com o plano do semestre.”

De acordo com Lais, a surpresa aconteceu no último domingo, quando a universidade divulgou a nota das três disciplinas e boa parte da turma tirou nota zero ou um. “Professores fizeram a correção e constataram a falha. Entretanto, a reitoria disse que não faria nada e que todos teriam o prazo até hoje (ontem) para pedir a prova substitutiva, que é cobrada.”

Um dos alunos da turma que apresentou problemas foi o vereador de Santo André bispo Ronaldo de Castro. O Diário tentou contato com ele, mas sem sucesso.

Procurada, a Anhanguera Educacional esclareceu que as inconsistências referentes às notas das provas unificadas dos alunos de Direito foram causadas por falha no sistema. A instituição fará revisão dos conceitos até sexta-feira (amanhã) e disse ter comunicado todos os alunos sobre os próximos passos.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;