Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Lupita Nyong'o conta caso de assédio com Harvey Weinstein

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


20/10/2017 | 18:11


Lupita Nyong''o é mais uma atriz a acusar Harvey Weinstein por assédio sexual. Em entrevista ao The New York Times, ela relembrou alguns episódios desagradáveis com o produtor na época em que estava na Yale School of Drama.

Pouco tempo depois de terem se conhecido, ele a convidou para ir à casa dele para gravar uma cena. Na ocasião, ela chegou a conhecer os funcionários da de Weinstein e até os filhos dele. Convidada a ir até o quarto dele, a princípio, ela se recusou. Mas diante da insistência dele, aceitou:

- Harvey me levou até um quarto, seu quarto, e anunciou que me faria uma massagem. Eu pensei que ele estava brincando, a principio. Ele não estava. Pela primeira vez desde que o conheci, eu me senti em perigo. Eu entrei em pânico e rapidamente pensei em lhe oferecer uma (massagem) ao invés disso. Isso me permitiria estar no controle fisicamente, saber onde minhas mãos estavam o tempo todo.

Ela explica que não racionalizou muito a situação naquela hora, pois, na faculdade, não era tão estranho usarem essa técnica para promover uma conexão entre corpo, mente e emoção:

- Mas depois de um tempo, ele quis tirar as calças. Eu lhe disse para não fazer isso e disse que isso me deixaria extremamente desconfortável. Mas ele se levantou do mesmo jeito para fazer isso e eu fui até a porta, dizendo que não estava confortável.

Também em entrevista ao The New York Times, o diretor Quentin Tarantino revelou que já desconfiava do comportamento abusivo do produtor, mas que não fez nada a respeito:

- Eu sabia o suficiente para fazer mais do que fiz. Havia mais nisso do que os rumores normais. Não era algo de segunda mão. Eu sabia que ele tinha feito algumas dessas coisas. Eu queria ter feito algo com o que ouvi [...] O que eu fiz foi marginalizar esses incidentes. Qualquer coisa que eu diga agora irá soar como uma desculpa esfarrapada.

E completou:

- Todo mundo que fosse próximo a Harvey já tinha ouvido sobre pelo menos um desses incidentes. É impossível que não tenham.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lupita Nyong'o conta caso de assédio com Harvey Weinstein


20/10/2017 | 18:11


Lupita Nyong''o é mais uma atriz a acusar Harvey Weinstein por assédio sexual. Em entrevista ao The New York Times, ela relembrou alguns episódios desagradáveis com o produtor na época em que estava na Yale School of Drama.

Pouco tempo depois de terem se conhecido, ele a convidou para ir à casa dele para gravar uma cena. Na ocasião, ela chegou a conhecer os funcionários da de Weinstein e até os filhos dele. Convidada a ir até o quarto dele, a princípio, ela se recusou. Mas diante da insistência dele, aceitou:

- Harvey me levou até um quarto, seu quarto, e anunciou que me faria uma massagem. Eu pensei que ele estava brincando, a principio. Ele não estava. Pela primeira vez desde que o conheci, eu me senti em perigo. Eu entrei em pânico e rapidamente pensei em lhe oferecer uma (massagem) ao invés disso. Isso me permitiria estar no controle fisicamente, saber onde minhas mãos estavam o tempo todo.

Ela explica que não racionalizou muito a situação naquela hora, pois, na faculdade, não era tão estranho usarem essa técnica para promover uma conexão entre corpo, mente e emoção:

- Mas depois de um tempo, ele quis tirar as calças. Eu lhe disse para não fazer isso e disse que isso me deixaria extremamente desconfortável. Mas ele se levantou do mesmo jeito para fazer isso e eu fui até a porta, dizendo que não estava confortável.

Também em entrevista ao The New York Times, o diretor Quentin Tarantino revelou que já desconfiava do comportamento abusivo do produtor, mas que não fez nada a respeito:

- Eu sabia o suficiente para fazer mais do que fiz. Havia mais nisso do que os rumores normais. Não era algo de segunda mão. Eu sabia que ele tinha feito algumas dessas coisas. Eu queria ter feito algo com o que ouvi [...] O que eu fiz foi marginalizar esses incidentes. Qualquer coisa que eu diga agora irá soar como uma desculpa esfarrapada.

E completou:

- Todo mundo que fosse próximo a Harvey já tinha ouvido sobre pelo menos um desses incidentes. É impossível que não tenham.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;