Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 15 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Montando equipes


Cíntia Bortotto

11/08/2014 | 07:07


Saber trabalhar em equipe é uma característica muito valorizada no mercado de trabalho. Montar equipe que saiba trabalhar verdadeiramente como um time é uma habilidade de grandes líderes. Você, como líder, sabe o que fazer para montar uma equipe produtiva?

Para criar um time campeão, é preciso se preocupar com o tripé da gestão de pessoas: 1º) Selecionar os melhores; 2º) Desenvolver a equipe; 3º) Fidelizar este time.

Para isso, não basta carisma ou sensibilidade. São necessários técnicas, processos e pessoas de Recursos Humanos pensando em políticas que abarquem esses quesitos. O primeiro passo é contratar direito. Contratar errado tem como consequência enorme prejuízo. Para não errar, inicie com entrevista que o faça entender valores e aspectos da vida do funcionário. Depois, investigue a trajetória profissional, buscando entender se sua experiência condiz com a necessidade da vaga. Por fim, sugiro averiguar bem as competências, ou seja, os comportamentos vinculados ao que é necessário para a vaga. Pergunte sobre a situação, a ação que o candidato teve na situação e o resultado gerado.

A pergunta para verificar o comportamento deve ser sempre aberta e ponderar esses três aspectos. Busque um caso real, nunca algo hipotético. Perguntas de situações específicas tendem a demonstrar comportamentos passados que preveem os comportamentos futuros.

Depois de contratar bem, desenvolva a liderança, a repercussão disso para a organização é enorme. Muitas pessoas me perguntam: “Como desenvolver sem investir tanto dinheiro?”. Se o líder souber usar os recursos de autodesenvolvimento disponíveis, é possível desenvolver as pessoas com baixo custo e investir os recursos da empresa verdadeiramente nos talentos.

Algumas ferramentas simples podem fazer a diferença:

Feedback: É uma ferramenta sem custo e com grande impacto, poderosa para o desenvolvimento de pessoas;

Projetos: Desafiar pessoas com projetos pode ser uma grande estratégia de desenvolvimento;

Livros e artigos: possuem baixo custo e estimulam a criatividade do profissional;

Palestras: baixo custo e pode ser feito in company;

E-learning: existem muitos cursos on-line gratuitos desde a Harvard até FGV;

Vídeo/ DVD: outra forma de desenvolver com baixo custo;

Mudança de área: fornece visão mais holística do negócio e, portanto, mais sistêmica;

O terceiro passo para montar um time campeão na sua empresa é fidelizar a equipe. Para tanto:

Tenha clareza de visão: mostre para as pessoas aonde a empresa quer chegar é convidá-las à reflexão de pertencimento;

Ofereça condições de trabalho (materiais, equipamentos): é necessário minimamente um bom ambiente para se trabalhar, do ponto de vista físico principalmente;

Permita amizades no trabalho: esse aspecto colabora com o índice de engajamento das pessoas;

Remuneração: é necessário pagar pelo menos na mediana da faixa, para que o colaborador não se sinta “prejudicado” em pertencer àquela organização;



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Montando equipes

Cíntia Bortotto

11/08/2014 | 07:07


Saber trabalhar em equipe é uma característica muito valorizada no mercado de trabalho. Montar equipe que saiba trabalhar verdadeiramente como um time é uma habilidade de grandes líderes. Você, como líder, sabe o que fazer para montar uma equipe produtiva?

Para criar um time campeão, é preciso se preocupar com o tripé da gestão de pessoas: 1º) Selecionar os melhores; 2º) Desenvolver a equipe; 3º) Fidelizar este time.

Para isso, não basta carisma ou sensibilidade. São necessários técnicas, processos e pessoas de Recursos Humanos pensando em políticas que abarquem esses quesitos. O primeiro passo é contratar direito. Contratar errado tem como consequência enorme prejuízo. Para não errar, inicie com entrevista que o faça entender valores e aspectos da vida do funcionário. Depois, investigue a trajetória profissional, buscando entender se sua experiência condiz com a necessidade da vaga. Por fim, sugiro averiguar bem as competências, ou seja, os comportamentos vinculados ao que é necessário para a vaga. Pergunte sobre a situação, a ação que o candidato teve na situação e o resultado gerado.

A pergunta para verificar o comportamento deve ser sempre aberta e ponderar esses três aspectos. Busque um caso real, nunca algo hipotético. Perguntas de situações específicas tendem a demonstrar comportamentos passados que preveem os comportamentos futuros.

Depois de contratar bem, desenvolva a liderança, a repercussão disso para a organização é enorme. Muitas pessoas me perguntam: “Como desenvolver sem investir tanto dinheiro?”. Se o líder souber usar os recursos de autodesenvolvimento disponíveis, é possível desenvolver as pessoas com baixo custo e investir os recursos da empresa verdadeiramente nos talentos.

Algumas ferramentas simples podem fazer a diferença:

Feedback: É uma ferramenta sem custo e com grande impacto, poderosa para o desenvolvimento de pessoas;

Projetos: Desafiar pessoas com projetos pode ser uma grande estratégia de desenvolvimento;

Livros e artigos: possuem baixo custo e estimulam a criatividade do profissional;

Palestras: baixo custo e pode ser feito in company;

E-learning: existem muitos cursos on-line gratuitos desde a Harvard até FGV;

Vídeo/ DVD: outra forma de desenvolver com baixo custo;

Mudança de área: fornece visão mais holística do negócio e, portanto, mais sistêmica;

O terceiro passo para montar um time campeão na sua empresa é fidelizar a equipe. Para tanto:

Tenha clareza de visão: mostre para as pessoas aonde a empresa quer chegar é convidá-las à reflexão de pertencimento;

Ofereça condições de trabalho (materiais, equipamentos): é necessário minimamente um bom ambiente para se trabalhar, do ponto de vista físico principalmente;

Permita amizades no trabalho: esse aspecto colabora com o índice de engajamento das pessoas;

Remuneração: é necessário pagar pelo menos na mediana da faixa, para que o colaborador não se sinta “prejudicado” em pertencer àquela organização;

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;