Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar sobe, após abrir fraco, com disputa da Ptax; fiscal segue no foco

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


30/09/2020 | 09:56


O dólar opera em alta no mercado doméstico nesta quarta-feira, após abrir com viés de baixa, sob pressão da disputa técnica em torno da definição da taxa Ptax referencial do fim de setembro e do terceiro trimestre, que será anunciada depois das 13 horas. Os investidores seguem cautelosos com o cenário fiscal no Brasil e de olho no mau humor no exterior, de acordo com operadores de câmbio. A percepção de que o governo pode estar mais focado agora nas eleições de 2022 do que em cortar gastos sustenta o desconforto, afirmam.

O mercado avalia o tom do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao defender o auxílio emergencial. "É dinheiro na veia do povo", disse ele, em recente almoço com líderes de partidos. Também monitora a reunião do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os ministros da Casa Civil, Braga Netto, e da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira. À tarde, o chefe do Executivo tem encontro previsto com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Estão no radar ainda a votação da prorrogação da desoneração da folha salarial para 2021, os 12 vetos do presidente Jair Bolsonaro ao marco do saneamento, sancionado em julho.

Na Pnad Contínua, a taxa de desocupação no Brasil ficou em 13,8% no trimestre encerrado em julho, de acordo com os dados do IBGE.

Lá fora, os Estados Unidos criaram 749 mil empregos no setor privado em setembro, acima da previsão (+600 mil vagas). Além disso, a criação de empregos de agosto foi revisada para melhor, de 428 mil para 481 mil. Mas esses dados são insuficientes para reverter as perdas nos futuros das bolsas de Nova York, enquanto o dólar segue em alta frente seus pares principais e mistos frente moedas emergentes.

Às 9h24, o dólar à vista subia 0,11%, a R$ 5,6451. O dólar futuro para novembro, mais líquido a partir de hoje, avançava 0,12%, a R$ 5,6465.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar sobe, após abrir fraco, com disputa da Ptax; fiscal segue no foco


30/09/2020 | 09:56


O dólar opera em alta no mercado doméstico nesta quarta-feira, após abrir com viés de baixa, sob pressão da disputa técnica em torno da definição da taxa Ptax referencial do fim de setembro e do terceiro trimestre, que será anunciada depois das 13 horas. Os investidores seguem cautelosos com o cenário fiscal no Brasil e de olho no mau humor no exterior, de acordo com operadores de câmbio. A percepção de que o governo pode estar mais focado agora nas eleições de 2022 do que em cortar gastos sustenta o desconforto, afirmam.

O mercado avalia o tom do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao defender o auxílio emergencial. "É dinheiro na veia do povo", disse ele, em recente almoço com líderes de partidos. Também monitora a reunião do presidente Jair Bolsonaro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os ministros da Casa Civil, Braga Netto, e da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira. À tarde, o chefe do Executivo tem encontro previsto com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Estão no radar ainda a votação da prorrogação da desoneração da folha salarial para 2021, os 12 vetos do presidente Jair Bolsonaro ao marco do saneamento, sancionado em julho.

Na Pnad Contínua, a taxa de desocupação no Brasil ficou em 13,8% no trimestre encerrado em julho, de acordo com os dados do IBGE.

Lá fora, os Estados Unidos criaram 749 mil empregos no setor privado em setembro, acima da previsão (+600 mil vagas). Além disso, a criação de empregos de agosto foi revisada para melhor, de 428 mil para 481 mil. Mas esses dados são insuficientes para reverter as perdas nos futuros das bolsas de Nova York, enquanto o dólar segue em alta frente seus pares principais e mistos frente moedas emergentes.

Às 9h24, o dólar à vista subia 0,11%, a R$ 5,6451. O dólar futuro para novembro, mais líquido a partir de hoje, avançava 0,12%, a R$ 5,6465.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;