Fechar
Publicidade

Domingo, 16 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Queda do Netuno tem raios e foguetes

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Descarga elétrica atinge Inamar e antecipa fim do jogo que eliminou Água Santa da Copinha


Dérek Bittencourt

15/01/2019 | 07:00


Diz o ditado que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Mas, ontem, em Diadema, isso aconteceu. E não foi exatamente a descarga elétrica que atingiu o Estádio do Inamar e levou dois jogadores a solicitarem atendimento médico da ambulância, mas o Atlético-MG venceu por 1 a 0 pela segunda vez nesta Copa São Paulo de Futebol Júnior e eliminou a equipe de Diadema. Mas o que marcou mesmo a partida foi o susto no fim ocasionado pelo mau tempo, o que antecipou o encerramento do jogo dois minutos antes do previsto.

A partida se encaminhava para o fim. O Galo vencia por 1 a 0, mas o Netuno pressionava em busca de empate que forçaria os pênaltis. Nos acréscimos, entretanto, temporal acompanhado de raios desabou e um destes atingiu o estádio. O impacto causou mal estar no zagueiro Henrique, do Água Santa, e no goleiro Matheus Mendes, do Atlético-MG. A ambulância precisou ir a campo para atender o defensor da equipe diademense.

“Foi grande susto. Senti impacto muito forte. A vista ficou escura, as pernas ficaram moles, mas consegui correr para o banco de reservas. Mas cheguei lá e apaguei de vez. Parecia que eu estava anestesiado”, contou Henrique, que falou sobre o atendimento e o trauma a duas pessoas em especial. “Pediram para me acalmar. Não fui ao hospital, fiquei na ambulância mesmo, já estava melhor. Meus pais estavam no estádio, com certeza o susto deles foi o maior ao verem o filho entrando na ambulância.” Mendes, por sua vez, foi atendido em campo e está bem.

Em 2012, morte foi registrada em Ribeirão Pires quando raio atingiu o campo da Vila Gomes. O garoto Guilherme Ferraz Romanha, 11 anos, morreu atingido pela descarga elétrica.

FOGUETÓRIO
Na madrugada de ontem, a delegação do Atlético-MG teve o sono interrompido por foguetório ao lado do hotel onde está hospedada, na Avenida Portugal, em Santo André. De acordo com a assessoria de imprensa do clube, “alguns atletas acordaram por causa do barulho causado pelos fogos, mas nada demais”. No Instagram, o atacante atleticano Alerrandro postou vídeo do momento de uma das baterias de fogos de artifício, com a inscrição “dentro de campo a gente resolve”. Depois do jogo, o lateral Kevin postou foto dos atletas no ônibus simulando segurar foguetes e a frase “agora podemos dormir”.

A Polícia Militar informou que nenhum boletim de ocorrência foi registrado.  

Gol no início deu vaga para o Galo

O Netuno viu a vaga nas oitavas de final literalmente ir por água abaixo. O temporal em Diadema provocou encerramento antecipado contra o Atlético-MG quando a partida estava nos acréscimos do segundo tempo e o Galo vencia por 1 a 0.

Quando a bola rolou, não demorou para o time mineiro abrir o placar. Logo aos 17 minutos, o zagueiro Vitor Mendes aproveitou cobrança de escanteio e indecisão do goleiro diademense para aparecer pelas costas do zagueiro, na segunda trave, e empurrar para as redes: 1 a 0.

O Água Santa bem que buscou o empate. Sobretudo no segundo tempo, quando o técnico Liló promoveu quatro alterações. Mas a chuva chegou e foi um banho de água fria nos planos do time da casa. “É a vida, futebol é assim mesmo. Batalhamos até o fim. Estávamos pressionando. Se não fosse a chuva para parar (o jogo) teríamos empatado”, palpitou o zagueiro Henrique.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Queda do Netuno tem raios e foguetes

Descarga elétrica atinge Inamar e antecipa fim do jogo que eliminou Água Santa da Copinha

Dérek Bittencourt

15/01/2019 | 07:00


Diz o ditado que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Mas, ontem, em Diadema, isso aconteceu. E não foi exatamente a descarga elétrica que atingiu o Estádio do Inamar e levou dois jogadores a solicitarem atendimento médico da ambulância, mas o Atlético-MG venceu por 1 a 0 pela segunda vez nesta Copa São Paulo de Futebol Júnior e eliminou a equipe de Diadema. Mas o que marcou mesmo a partida foi o susto no fim ocasionado pelo mau tempo, o que antecipou o encerramento do jogo dois minutos antes do previsto.

A partida se encaminhava para o fim. O Galo vencia por 1 a 0, mas o Netuno pressionava em busca de empate que forçaria os pênaltis. Nos acréscimos, entretanto, temporal acompanhado de raios desabou e um destes atingiu o estádio. O impacto causou mal estar no zagueiro Henrique, do Água Santa, e no goleiro Matheus Mendes, do Atlético-MG. A ambulância precisou ir a campo para atender o defensor da equipe diademense.

“Foi grande susto. Senti impacto muito forte. A vista ficou escura, as pernas ficaram moles, mas consegui correr para o banco de reservas. Mas cheguei lá e apaguei de vez. Parecia que eu estava anestesiado”, contou Henrique, que falou sobre o atendimento e o trauma a duas pessoas em especial. “Pediram para me acalmar. Não fui ao hospital, fiquei na ambulância mesmo, já estava melhor. Meus pais estavam no estádio, com certeza o susto deles foi o maior ao verem o filho entrando na ambulância.” Mendes, por sua vez, foi atendido em campo e está bem.

Em 2012, morte foi registrada em Ribeirão Pires quando raio atingiu o campo da Vila Gomes. O garoto Guilherme Ferraz Romanha, 11 anos, morreu atingido pela descarga elétrica.

FOGUETÓRIO
Na madrugada de ontem, a delegação do Atlético-MG teve o sono interrompido por foguetório ao lado do hotel onde está hospedada, na Avenida Portugal, em Santo André. De acordo com a assessoria de imprensa do clube, “alguns atletas acordaram por causa do barulho causado pelos fogos, mas nada demais”. No Instagram, o atacante atleticano Alerrandro postou vídeo do momento de uma das baterias de fogos de artifício, com a inscrição “dentro de campo a gente resolve”. Depois do jogo, o lateral Kevin postou foto dos atletas no ônibus simulando segurar foguetes e a frase “agora podemos dormir”.

A Polícia Militar informou que nenhum boletim de ocorrência foi registrado.  

Gol no início deu vaga para o Galo

O Netuno viu a vaga nas oitavas de final literalmente ir por água abaixo. O temporal em Diadema provocou encerramento antecipado contra o Atlético-MG quando a partida estava nos acréscimos do segundo tempo e o Galo vencia por 1 a 0.

Quando a bola rolou, não demorou para o time mineiro abrir o placar. Logo aos 17 minutos, o zagueiro Vitor Mendes aproveitou cobrança de escanteio e indecisão do goleiro diademense para aparecer pelas costas do zagueiro, na segunda trave, e empurrar para as redes: 1 a 0.

O Água Santa bem que buscou o empate. Sobretudo no segundo tempo, quando o técnico Liló promoveu quatro alterações. Mas a chuva chegou e foi um banho de água fria nos planos do time da casa. “É a vida, futebol é assim mesmo. Batalhamos até o fim. Estávamos pressionando. Se não fosse a chuva para parar (o jogo) teríamos empatado”, palpitou o zagueiro Henrique.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;