Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Americanos com medo do bug do milênio levam dinheiro para casa


Do Diário do Grande ABC

10/10/1999 | 14:19


Ao se aproximar do novo milênio, milhares de americanos começaram a esvaziar suas contas bancárias e guardar dinheiro em casa, alarmados ou simplesmente cautelosos diante dos efeitos potenciais do bug do milênio.

Nao obstante, todos os estudos declararam que o setor bancário e financeiro é sem dúvida o que está melhor preparado para enfrentar as incertezas da passagem ao ano 2000.

``Para os bancos, o desafio do bug do milênio é sobretudo psicológico e nao tecnológico'', estimou Clint Swift, expert do Instituto de Administraçao Bancária, com sede em Chicago.

A maioria dos microprocessadores leva em conta apenas as duas últimas cifras do ano.

Em 1 de janeiro de 2000 vao ler portanto ``00'' em vez de ``2000'' e correm o risco de interpretar essa data como 1 de janeiro de 1900.

Podem entao se negar a receber novas ordens, paralisar, alterar ou destruir fichários.

De acordo com o conselho federal de instituiçoes financeiras, 99,7% das 22.000 instituiçoes supervisionadas pelas autoridades federais americanas já atualizaram seus sistemas informáticos. ``Quando as pessoas me perguntam se devem retirar o dinheiro do banco, eu as estimulo'', explica em seu site Internet consagrado ao bug do milênio (www. Y2KCentralFlorida.com).

Nas empresas, os diretores de sistemas de informaçao (CIO) sao os mais sensíveis ao problema.

Em uma recente pesquisa realizada pela revista CIO Magazine, 65% deles prevêem ter menos 500 dólares no bolso ao se aproximar o Ano Novo, 34% prevêem 1.000 dólares e 8% falam em 5.000 dólares.

Em um informe recente, os consultores da firma Gartner Group nao excluíam um movimento de pânico do público no último minuto, o qual ``implicaria grandes saques bancários''.

Portanto é plausível, acrescentou o informe, que ``por volta de dezembro de 1999 ou em janeiro de 2000, alguns bancos decidam impor restriçoes a estes saques ou um congelamento parcial de algumas contas, ou inclusive que em algumas regioes os bancos sejam fechados durante alguns dias''.

E recomenda se ter ``pelo menos duas semanas de saldo em dinheiro líquido''.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Americanos com medo do bug do milênio levam dinheiro para casa

Do Diário do Grande ABC

10/10/1999 | 14:19


Ao se aproximar do novo milênio, milhares de americanos começaram a esvaziar suas contas bancárias e guardar dinheiro em casa, alarmados ou simplesmente cautelosos diante dos efeitos potenciais do bug do milênio.

Nao obstante, todos os estudos declararam que o setor bancário e financeiro é sem dúvida o que está melhor preparado para enfrentar as incertezas da passagem ao ano 2000.

``Para os bancos, o desafio do bug do milênio é sobretudo psicológico e nao tecnológico'', estimou Clint Swift, expert do Instituto de Administraçao Bancária, com sede em Chicago.

A maioria dos microprocessadores leva em conta apenas as duas últimas cifras do ano.

Em 1 de janeiro de 2000 vao ler portanto ``00'' em vez de ``2000'' e correm o risco de interpretar essa data como 1 de janeiro de 1900.

Podem entao se negar a receber novas ordens, paralisar, alterar ou destruir fichários.

De acordo com o conselho federal de instituiçoes financeiras, 99,7% das 22.000 instituiçoes supervisionadas pelas autoridades federais americanas já atualizaram seus sistemas informáticos. ``Quando as pessoas me perguntam se devem retirar o dinheiro do banco, eu as estimulo'', explica em seu site Internet consagrado ao bug do milênio (www. Y2KCentralFlorida.com).

Nas empresas, os diretores de sistemas de informaçao (CIO) sao os mais sensíveis ao problema.

Em uma recente pesquisa realizada pela revista CIO Magazine, 65% deles prevêem ter menos 500 dólares no bolso ao se aproximar o Ano Novo, 34% prevêem 1.000 dólares e 8% falam em 5.000 dólares.

Em um informe recente, os consultores da firma Gartner Group nao excluíam um movimento de pânico do público no último minuto, o qual ``implicaria grandes saques bancários''.

Portanto é plausível, acrescentou o informe, que ``por volta de dezembro de 1999 ou em janeiro de 2000, alguns bancos decidam impor restriçoes a estes saques ou um congelamento parcial de algumas contas, ou inclusive que em algumas regioes os bancos sejam fechados durante alguns dias''.

E recomenda se ter ``pelo menos duas semanas de saldo em dinheiro líquido''.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;