Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Polisel seguirá no comando do PSDB


Renan Cacioli
Do Diário do Grande ABC

13/04/2006 | 09:20


Após oito meses de impasse, o tiroteio tucano de Mauá caminha para um final pacífico. A disputa pela presidência da Executiva municipal do partido terminará com a condução do presidente provisório, o vereador Carlos Polisel, ao comando efetivo do diretório regional. Com a desistência do ex-prefeito José Carlos Grecco, que não formalizou sequer chapa de oposição, Polisel será eleito na próxima segunda-feira, quando o tucanato mauaense reúne-se para as eleições da legenda.

“Pelo processo normal, vou ser eleito com certeza. Mas tentaram tanta coisa na Justiça que é melhor ficar no aguardo”, disse o ainda ressabiado Polisel. O motivo de tanta desconfiança data de agosto do ano passado, quando o vereador trocou farpas com Grecco e chegou a cogitar uma saída do PSDB caso o ex-prefeito assumisse o comando do diretório regional.

Clima que difere bastante do atual. Em tom bem mais ameno, José Carlos Grecco explicou os motivos por não concorrer ao cargo. “Para não haver problema, resolvi não entrar nessa disputa. Quero deixá-los tranqüilos para tocarem o partido na cidade. Aquilo foi superado, não tem nada a ver com a briga. Na verdade, não estou tendo tempo. Não produziria para o partido o que ele precisa”, afirmou o ex-prefeito.

Polêmica – As eleições a serem realizadas na segunda-feira colocam um ponto final no impasse que marca a definição do futuro presidente do PSDB de Mauá. Em setembro de 2005, a convenção tucana que escolheria a nova Executiva foi suspensa pela então presidente, a atual vice-prefeita Leni Walendy, e transformou-se em objeto de investigação do diretório estadual.

Foi dado, então, prazo de seis meses para Carlos Polisel – que assumiu a direção provisória – reorganizar as eleições definitivas. “Me deram esse prazo para que eu fizesse a reestruturação do partido, recadastramento dos filiados, e convocasse a eleição.” O pleito está marcado para acontecer entre as 16h e 21h da segunda-feira, na avenida Portugal, 244, sala 1.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Polisel seguirá no comando do PSDB

Renan Cacioli
Do Diário do Grande ABC

13/04/2006 | 09:20


Após oito meses de impasse, o tiroteio tucano de Mauá caminha para um final pacífico. A disputa pela presidência da Executiva municipal do partido terminará com a condução do presidente provisório, o vereador Carlos Polisel, ao comando efetivo do diretório regional. Com a desistência do ex-prefeito José Carlos Grecco, que não formalizou sequer chapa de oposição, Polisel será eleito na próxima segunda-feira, quando o tucanato mauaense reúne-se para as eleições da legenda.

“Pelo processo normal, vou ser eleito com certeza. Mas tentaram tanta coisa na Justiça que é melhor ficar no aguardo”, disse o ainda ressabiado Polisel. O motivo de tanta desconfiança data de agosto do ano passado, quando o vereador trocou farpas com Grecco e chegou a cogitar uma saída do PSDB caso o ex-prefeito assumisse o comando do diretório regional.

Clima que difere bastante do atual. Em tom bem mais ameno, José Carlos Grecco explicou os motivos por não concorrer ao cargo. “Para não haver problema, resolvi não entrar nessa disputa. Quero deixá-los tranqüilos para tocarem o partido na cidade. Aquilo foi superado, não tem nada a ver com a briga. Na verdade, não estou tendo tempo. Não produziria para o partido o que ele precisa”, afirmou o ex-prefeito.

Polêmica – As eleições a serem realizadas na segunda-feira colocam um ponto final no impasse que marca a definição do futuro presidente do PSDB de Mauá. Em setembro de 2005, a convenção tucana que escolheria a nova Executiva foi suspensa pela então presidente, a atual vice-prefeita Leni Walendy, e transformou-se em objeto de investigação do diretório estadual.

Foi dado, então, prazo de seis meses para Carlos Polisel – que assumiu a direção provisória – reorganizar as eleições definitivas. “Me deram esse prazo para que eu fizesse a reestruturação do partido, recadastramento dos filiados, e convocasse a eleição.” O pleito está marcado para acontecer entre as 16h e 21h da segunda-feira, na avenida Portugal, 244, sala 1.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;