Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

P-Sol quer ser um PT ‘sem os erros’


Teresa Pimenta
Do Diário do Grande ABC

27/09/2005 | 08:06


Os organizadores do P-Sol na região acreditam que podem reeditar a história da criação do PT, há 25 anos, com a promessa de não cometer os mesmos erros. Anderson Mangolin, de São Bernardo, um dos coordenadores regionais, coloca na casa dos “milhares” o número de militantes que devem aderir ao novo partido nos próximos meses. “Todos os que tiverem compromisso com causas sociais são bem-vindos”, disse. A legenda repele a idéia de ser invadida por políticos fisiológicos. “Já barramos vários nomes e vamos continuar com nosso compromisso”, afirmou Lincoln Patrocínio, de Mauá.

Com números modestos, o partido da senadora Heloísa Helena (AL) está mais organizado em São Bernardo, berço do PT, 200 militantes (veja quadro). No dia 21, uma semana após obter o registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), foi realizada a festa de lançamento da sigla na cidade. O trabalho de organização começou com a coleta de assinatura para garantir o registro da legenda.

Como resultado, já existem núcleos em seis das sete cidades da região. A eleição para a coordenação de Ribeirão Pires será nesta quarta-feira. O escolhido terá como missão ajudar também na formação do núcleo de Rio Grande da Serra, única cidade onde a legenda ainda não tem representante oficial. A maioria da base do P-Sol é formada por descontentes do PT. “Após a definição das eleições internas do partido, o número de aliados deve aumentar”, disse Antonio José Regina, de Santo André.

Mas não é fácil ingressar no partido: cada ficha de filiação é analisada pelos coordenadores, com base no currículo do pretendente. Mesmo assim, até em São Caetano, cidade com eleitorado mais conservador, o novo partido conseguiu montar seu núcleo. “O perfil do eleitor está mudando. Acredito que há espaço para o P-Sol crescer e se firmar aqui”, disse o coordenador local, Walter Melo.

Ainda sem sede em nenhuma cidade, as reuniões são feitas na casa dos coordenadores ou espaços provisórios. Na segunda quinzena de outubro, eles esperam a visita da criadora do P-Sol, senadora Heloísa Helena.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;