Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Troca com troco é opção crescente nas revendas da região


Leandro Cervantes
Do Diário do Grande ABC

21/04/2006 | 10:19


O dinheiro cada vez mais curto no bolso da classe média tem estimulado os negócios conhecidos como troca com troco nas concessionárias e revendas de automóveis no Grande ABC. É crescente o número de proprietários de veículos de valor mais elevado, na faixa de R$ 30 mil a R$ 40 mil, que trocam seus carros por outros de valor mais baixo e usam a diferença recebida (na troca) para quitar o financiamento antigo – de juros mais altos – ou eliminar dívidas e outras prestações.

Concessionárias e revendas independentes da região apontam um crescimento de 15% a 20% nas negociações de troca com troco nos últimos três meses e a modalidade já responde, em média, por cerca de 10% dos negócios fechados. O interesse se justifica pelo atrativo das taxas de juros praticadas no financiamento de veículos, que podem ser encontradas a partir de aproximadamente 1,6% ao mês – dependendo do ano do carro. No crédito pessoal feito pelos bancos, as taxas iniciais não saem por menos de 3,5%, em média, dependendo da modalidade do empréstimo.

“Hoje é mais fácil e vantajoso financiar um carro, dando o seu usado na troca, e pegar uma parte em dinheiro para quitar alguma dívida ou comprar algo que precisa, do que fazer um empréstimo pessoal”, diz Marcelo Resende Cortes, gerente comercial da Armando Veículos, que possui seis lojas no Grande ABC. Segundo ele, as trocas com troco cresceram cerca de 15% nos últimos quatro meses e hoje representam 10% dos negócios. “A classe média tem perdido poder aquisitivo e procura se livrar das prestações altas, feitas quando o juro estava nas alturas”, diz.

Na Rommer Multimarcas do Auto Shopping Global, em Santo André, a modalidade cresceu entre 15% e 20% nos últimos três meses e já representa um quinto dos negócios realizados mensalmente. “É a situação do país. As pessoas estão com medo de dívidas altas”, diz o gerente da loja, Márcio Pereira.

Além da ‘grana curta‘, as recentes quedas nos juros também têm influenciado as trocas. “Os juros estão baixando e quem tem um financiamento antigo, principalmente de carros mais caros, tem procurado quitá-lo e financiar outro automóvel, com parcelas e juros menores”, afirma o gerente de vendas da Savol, concessionária Volkswagen de Santo André, Edimar Vieira de Lima. Sua loja registrou um aumento de 10% no volume de trocas com troco do início do ano até agora.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;