Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Laterais sao os destaques da seleçao Sub-23


Do Diário do Grande ABC

15/01/2000 | 13:53


Existe uma grande discussao no Brasil em relaçao aos laterais. Eles sao jogadores apenas de defesa ou devem atacar mais? O treinador da Seleçao Brasileira, Wanderley Luxemburgo, tem uma teoria a esse respeito: "Para mim, lateral é apoiador de ataque. E tem também que ajudar o meio campo".

O técnico da equipe brasileira quer mudar uma antiga concepçao sobre o assunto. "Existe um pensamento no Brasil de que um time tem de atuar com dois volantes para poder deixar os laterais livres. Nao é bem por aí. O atleta dessa posiçao tem de atacar sim, mas sabendo a hora de fazê-lo. Ele tem é de dar suporte aos demais setores da equipe".

E ao que tudo indica, esse pensamento já foi assimilado pelos jogadores da Seleçao Brasileira Sub-23. "Gosto mais de atacar, mas aprendi com o Wanderley Luxemburgo que só podemos fazer isso em determinados momentos do jogo, quando a situaçao se apresentar a favor. Na Seleçao, o Wanderley me dá liberdade para atacar, mas exige que só vá um lateral de cada vez", afirmou o lateral-direito Mancini, posiçao carente no futebol brasileiro.

E foi por isso que ele decidiu jogar nessa posiçao. "Comecei a atuar na lateral em 97, nos juniores do Atlético/MG. Antes, jogava no meio campo. E agora que comecei e até fui convocado para a Seleçao, vou fazer o possível para suprir essa carência e provar que o Brasil tem bons laterais. O fato de haver poucos laterais direitos me dá mais força para me firmar".

Mancini, que no Mundial Sub-20 cometeu um pênalti que desclassificou o Brasil da competiçao, afirmou que esse é um fato que nao lhe incomoda mais. "Fiquei muito magoado, era uma partida importante. Mas, apesar de ruim para a Seleçao, foi bom para mim, que aprendi com isso".

Jogar no meio campo, se for necessário, também nao é problema para os laterais brasileiros, já que todos atuaram um dia na posiçao. "Se o Wanderley precisar, vou me esforçar ao máximo para cumprir bem a funçao. Mas a minha posiçao de origem é a lateral", afirmou o lateral esquerdo Fábio Aurélio. "Nós temos as obrigaçoes de atacar e defender, tudo depende do jogo e da liberdade que a equipe oferece. Acredito que nesse time poderei fazer boas jogadas na frente".

A respeito da disputa com Athirson pela vaga de titular no Pré-Olímpico, Fábio Aurélio foi simples: "O Wanderley sabe do meu potencial, foi por isso que cheguei à Seleçao. Minha briga com o Athirson é amigável, sei que os dois desempenharao bem a funçao".

Athirson, que entrou bem na partida contra Trinidad Tobago, quando dois dos sete gols saíram de cruzamentos dele, disse estar satisfeito com a forma como vem jogando. "O treinador pediu para que eu jogasse mais aberto, em funçao do gol. Eu fico feliz com os passes que dei e com o reconhecimento".

O lateral do Flamengo afirmou também que está trabalhando para ganhar a posiçao na equipe. "Todos querem ser titular. E e só pensando desta forma que conseguimos crescer".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Laterais sao os destaques da seleçao Sub-23

Do Diário do Grande ABC

15/01/2000 | 13:53


Existe uma grande discussao no Brasil em relaçao aos laterais. Eles sao jogadores apenas de defesa ou devem atacar mais? O treinador da Seleçao Brasileira, Wanderley Luxemburgo, tem uma teoria a esse respeito: "Para mim, lateral é apoiador de ataque. E tem também que ajudar o meio campo".

O técnico da equipe brasileira quer mudar uma antiga concepçao sobre o assunto. "Existe um pensamento no Brasil de que um time tem de atuar com dois volantes para poder deixar os laterais livres. Nao é bem por aí. O atleta dessa posiçao tem de atacar sim, mas sabendo a hora de fazê-lo. Ele tem é de dar suporte aos demais setores da equipe".

E ao que tudo indica, esse pensamento já foi assimilado pelos jogadores da Seleçao Brasileira Sub-23. "Gosto mais de atacar, mas aprendi com o Wanderley Luxemburgo que só podemos fazer isso em determinados momentos do jogo, quando a situaçao se apresentar a favor. Na Seleçao, o Wanderley me dá liberdade para atacar, mas exige que só vá um lateral de cada vez", afirmou o lateral-direito Mancini, posiçao carente no futebol brasileiro.

E foi por isso que ele decidiu jogar nessa posiçao. "Comecei a atuar na lateral em 97, nos juniores do Atlético/MG. Antes, jogava no meio campo. E agora que comecei e até fui convocado para a Seleçao, vou fazer o possível para suprir essa carência e provar que o Brasil tem bons laterais. O fato de haver poucos laterais direitos me dá mais força para me firmar".

Mancini, que no Mundial Sub-20 cometeu um pênalti que desclassificou o Brasil da competiçao, afirmou que esse é um fato que nao lhe incomoda mais. "Fiquei muito magoado, era uma partida importante. Mas, apesar de ruim para a Seleçao, foi bom para mim, que aprendi com isso".

Jogar no meio campo, se for necessário, também nao é problema para os laterais brasileiros, já que todos atuaram um dia na posiçao. "Se o Wanderley precisar, vou me esforçar ao máximo para cumprir bem a funçao. Mas a minha posiçao de origem é a lateral", afirmou o lateral esquerdo Fábio Aurélio. "Nós temos as obrigaçoes de atacar e defender, tudo depende do jogo e da liberdade que a equipe oferece. Acredito que nesse time poderei fazer boas jogadas na frente".

A respeito da disputa com Athirson pela vaga de titular no Pré-Olímpico, Fábio Aurélio foi simples: "O Wanderley sabe do meu potencial, foi por isso que cheguei à Seleçao. Minha briga com o Athirson é amigável, sei que os dois desempenharao bem a funçao".

Athirson, que entrou bem na partida contra Trinidad Tobago, quando dois dos sete gols saíram de cruzamentos dele, disse estar satisfeito com a forma como vem jogando. "O treinador pediu para que eu jogasse mais aberto, em funçao do gol. Eu fico feliz com os passes que dei e com o reconhecimento".

O lateral do Flamengo afirmou também que está trabalhando para ganhar a posiçao na equipe. "Todos querem ser titular. E e só pensando desta forma que conseguimos crescer".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;