Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em São Caetano, grupo faz ato reivindicando combate às drogas

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Segundo organização, 1.000 pessoas participaram de caminhada


Júnior Carvalho
Especial para o Diário

29/06/2015 | 07:00


Moradores de São Caetano saíram às ruas na manhã de ontem para participar de caminhada contra as drogas. O ato foi organizado pela Prefeitura e ocorreu na Avenida Presidente Kennedy, no bairro Olímpico.

Apesar da bandeira, fumantes e adeptos ao álcool também vestiram camisetas cujas estampas pregavam “vida saudável” e “sem drogas”. O professor Anderson Pereira da Silva, 45, defendeu a “conscientização da população” no que se refere aos entorpecentes. Ele afirmou “beber bem socialmente”, mas disse ser contra a liberação ou regulamentação de outras substâncias. “Causaria uma curiosidade maior das pessoas que não usam”, opinou.

O supervisor de qualidade Lidinalvo Felix da Silva, 47 anos, garantiu consumir álcool moderadamente, mas destaca que o enfrentamento tem de ser feito contra todo tipo de substância. “As drogas lícitas abrem caminho para as proibidas”, enfatizou.

Enquanto aguardava o início da caminhada, o aposentado Manoel Silva, 70, fumava um cigarro. Para ele, o uso de drogas reflete na criminalidade. “As drogas incentivam a violência, pois um dependente vai fazer qualquer coisa para obter a droga”, diz. Questionado sobre o uso do tabaco, Silva se limitou a dizer: “Faz mais de 50 anos”.

Integrante do Comad (Conselho Municipal Antidrogas), Leonardo de Araújo explicou que ações como palestras e a própria caminhada fazem parte da atuação da administração pública na política contra os entorpecentes, além de encaminhamento de usuários a clínicas de recuperação.

Para o secretário municipal de Segurança, Marco Antonio Álvares Barreiras, presente na marcha, o tema não deve ser tratado exclusivamente como questão de polícia. “Envolve Educação, Cultura e Esporte”. Segundo organizadores, o ato reuniu cerca de 1.000 pessoas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em São Caetano, grupo faz ato reivindicando combate às drogas

Segundo organização, 1.000 pessoas participaram de caminhada

Júnior Carvalho
Especial para o Diário

29/06/2015 | 07:00


Moradores de São Caetano saíram às ruas na manhã de ontem para participar de caminhada contra as drogas. O ato foi organizado pela Prefeitura e ocorreu na Avenida Presidente Kennedy, no bairro Olímpico.

Apesar da bandeira, fumantes e adeptos ao álcool também vestiram camisetas cujas estampas pregavam “vida saudável” e “sem drogas”. O professor Anderson Pereira da Silva, 45, defendeu a “conscientização da população” no que se refere aos entorpecentes. Ele afirmou “beber bem socialmente”, mas disse ser contra a liberação ou regulamentação de outras substâncias. “Causaria uma curiosidade maior das pessoas que não usam”, opinou.

O supervisor de qualidade Lidinalvo Felix da Silva, 47 anos, garantiu consumir álcool moderadamente, mas destaca que o enfrentamento tem de ser feito contra todo tipo de substância. “As drogas lícitas abrem caminho para as proibidas”, enfatizou.

Enquanto aguardava o início da caminhada, o aposentado Manoel Silva, 70, fumava um cigarro. Para ele, o uso de drogas reflete na criminalidade. “As drogas incentivam a violência, pois um dependente vai fazer qualquer coisa para obter a droga”, diz. Questionado sobre o uso do tabaco, Silva se limitou a dizer: “Faz mais de 50 anos”.

Integrante do Comad (Conselho Municipal Antidrogas), Leonardo de Araújo explicou que ações como palestras e a própria caminhada fazem parte da atuação da administração pública na política contra os entorpecentes, além de encaminhamento de usuários a clínicas de recuperação.

Para o secretário municipal de Segurança, Marco Antonio Álvares Barreiras, presente na marcha, o tema não deve ser tratado exclusivamente como questão de polícia. “Envolve Educação, Cultura e Esporte”. Segundo organizadores, o ato reuniu cerca de 1.000 pessoas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;