Fechar
Publicidade

Sábado, 31 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Gil simples e intimista


Dojival Filho
Do Diário do Grande ABC

13/12/2009 | 07:12


Clima intimista, banquinho, violão e um punhado de canções gravadas na memória afetiva de gerações de ouvintes de MPB. O cantor, compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil não precisou mais que esses ingredientes para produzir o recém-lançado DVD Bandadois (Warner Music, R$ 35, em média), atestado de simplicidade e boa forma musical.

Dirigido por Andrucha Waddington, o vídeo foi gravado em setembro, durante apresentação para convidados no Teatro Bradesco, em São Paulo. O show também pode ser conferido no formato CD (R$ 28, em média).

Acompanhado pelos filhos Bem Gil (violão, pandeiro e tamborim) e José (baixo), o tropicalista lustrou antigas pérolas como Refazenda, Andar com Fé e Tempo Rei, além de criações recentes como Máquina de Ritmo. No set list, três inéditas: Quatro Coisas, Pronto pra Preto e Das Duas, Uma.

A cantora Maria Rita dividiu o palco com o anfitrião da noite para cantar o samba Amor até o Fim, que integrou o repertório de Elis Regina.

EXTRAS
Nos extras do DVD, sobram quitutes saborosos para os fãs do tropicalista. Generoso, o músico analisa canções e ensina o espectador a tocar a intrincada sequência de acordes do clássico Expresso 2222. "Na verdade, não é tão complicado assim", relativiza o mestre, demonstrando sincera modéstia.

Gil faz parecerem fáceis segredos harmônicos que desafiam a capacidade técnica dos instrumentistas mais tarimbados. Acompanhado por Bem, ele disseca outras composições, como Banda Um e Esotérico, exemplares do rico universo melódico e rítmico do baiano.

O vídeo traz ainda imagens de ensaios em que Gil e Maria Rita comentam uma peculiaridade de Elis: às vezes, a lendária intérprete atrapalhava-se com as letras das músicas.

"De vez em quando, ela inventava. Tem uma música minha (Oriente) com o verso: ‘A aranha vive do que tece' , um ditado popular. Mandei a fita para ela, que gravou: ‘A aranha duvido que tece'", recorda o compositor, aos risos.

O bate-papo entre o veterano e a filha da Pimentinha rende outros comentários interessantes. "Antigamente, achava ensaio chato. Hoje, adoro. Porque depois quando a gente chega em casa, vai dormir sossegado", diz o cantor.

Outro aperitivo dos extras é A Paz, singela parceria de Gil e João Donato.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;