Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Viatura dos bombeiros pega fogo


Verônica Fraidenraich
Do Diário do Grande ABC

23/07/2005 | 09:15


Um caminhão do Corpo de Bombeiros de Diadema pegou fogo nesta sexta-feira ao atender a uma chamada de incêndio de um ônibus articulado pertencente à EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). O veículo, que opera em linhas intermunicipais, estava parado no corredor ABD. Os bombeiros foram chamados ao meio-dia para apagar o fogo do ônibus e, ao chegarem, não conseguiram acionar a bomba para a liberação da água. Para piorar a situação, com a marcha travada, o caminhão também não saía do lugar. O óleo diesel do ônibus em chamas escorreu pelo asfalto até o caminhão-tanque cheio de água, que começou a incendiar. Os dois veículos tiveram perda total, mas ninguém se feriu.

Tudo ocorreu muito rápido e o motorista do caminhão só teve tempo de deixar o carro. "O excesso de calor na roda do eixo traseiro deve ter inflamado com o diesel que estava vazando", disse o tenente-coronel Adilson Alves de Moraes, do 8º Grupamento, responsável pelo Grande ABC. Para apagar o fogo nos dois veículos, foram acionadas duas viaturas dos bombeiros de Santo André e São Bernardo.

Moraes diz que vai aguardar laudo da perícia da polícia científica para saber o que ocorreu. "A marcha parou numa posição que não permitia nem engatar a bomba de água nem voltar às marchas normais", explica o tenente-coronel. O ônibus ficou carbonizado. Os 90 passageiros, cobrador e motorista do veículo deixaram o carro assim que o eixo traseiro começou a expelir fumaça. "Não deu para ver direito o que aconteceu. Só sei que o pessoal pediu para parar, porque tinha uma fumaça saindo atrás do ônibus", disse o motorista Carlos Alberto Ribeiro.

O corredor ABD foi interditado por cerca de meia hora nos dois sentidos, da praça 8 de Dezembro até a rua Nicarágua Libre, na altura do Km 16 da Imigrantes. O trânsito foi desviado para as vias laterais. Segundo o chefe da Divisão do Trânsito da Secretaria de Transportes de Santo André, José Carlos dos Santos Alves, houve engarrafamento de quase dois quilômetros nas duas direções.

Tanque – O caminhão-tanque que pegou fogo era de 1983 e funcionava como carro reserva para os comandos da região. O veículo pertencia a São Bernardo e estava em Diadema há uma semana porque as duas viaturas de combate a incêndio do município estão em manutenção. Nesta sexta-feira, foi deslocado outro caminhão de São Caetano para a cidade.

O tenente-coronel Adilson Alves de Moraes, do 8º Grupamento, diz que a revisão padrão de viaturas e equipamentos é realizada todas as manhãs, das 7h30 às 8h30. "A viatura tinha passado por revisão e não apresentava defeito. Talvez seja por fadiga do material", justificou o tenente. Segundo Moraes, Diadema comprou um chassi e aguarda licitação para finalizar montagem do veículo.

Em abril, o Diário denunciou a urgência de renovação de viaturas e a necessidade de compra de equipamentos para a corporação de Diadema. Na ocasião, o tenente Arthur Bicudo, responsável pelo comando no município, disse que haveria aumento da frota, que conta apenas com dois caminhões-tanque. Nesta sexta-feira o tenente-coronel afirmou que a unidade comprou um chassi de um auto-tanque e aguarda licitação para a montagem do tanque e da bomba de água.

Em visita recente à região, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), deu uma viatura de resgate e uma carreta para combate a incêndio florestal para Ribeirão Pires, motores de barco para São Bernardo e equipamentos de comunicação para todos os seis municípios que possuem comandos – Rio Grande da Serra não tem posto da corporação.

Perícia – A polícia ainda não sabe o que desencadeou o incêndio do ônibus. A EMTU informou que o veículo passou pela inspeção periódica em 13 de maio e apresentava perfeitas condições para operação no sistema. A empresa diz que vai investigar a causa do incêndio.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Viatura dos bombeiros pega fogo

Verônica Fraidenraich
Do Diário do Grande ABC

23/07/2005 | 09:15


Um caminhão do Corpo de Bombeiros de Diadema pegou fogo nesta sexta-feira ao atender a uma chamada de incêndio de um ônibus articulado pertencente à EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). O veículo, que opera em linhas intermunicipais, estava parado no corredor ABD. Os bombeiros foram chamados ao meio-dia para apagar o fogo do ônibus e, ao chegarem, não conseguiram acionar a bomba para a liberação da água. Para piorar a situação, com a marcha travada, o caminhão também não saía do lugar. O óleo diesel do ônibus em chamas escorreu pelo asfalto até o caminhão-tanque cheio de água, que começou a incendiar. Os dois veículos tiveram perda total, mas ninguém se feriu.

Tudo ocorreu muito rápido e o motorista do caminhão só teve tempo de deixar o carro. "O excesso de calor na roda do eixo traseiro deve ter inflamado com o diesel que estava vazando", disse o tenente-coronel Adilson Alves de Moraes, do 8º Grupamento, responsável pelo Grande ABC. Para apagar o fogo nos dois veículos, foram acionadas duas viaturas dos bombeiros de Santo André e São Bernardo.

Moraes diz que vai aguardar laudo da perícia da polícia científica para saber o que ocorreu. "A marcha parou numa posição que não permitia nem engatar a bomba de água nem voltar às marchas normais", explica o tenente-coronel. O ônibus ficou carbonizado. Os 90 passageiros, cobrador e motorista do veículo deixaram o carro assim que o eixo traseiro começou a expelir fumaça. "Não deu para ver direito o que aconteceu. Só sei que o pessoal pediu para parar, porque tinha uma fumaça saindo atrás do ônibus", disse o motorista Carlos Alberto Ribeiro.

O corredor ABD foi interditado por cerca de meia hora nos dois sentidos, da praça 8 de Dezembro até a rua Nicarágua Libre, na altura do Km 16 da Imigrantes. O trânsito foi desviado para as vias laterais. Segundo o chefe da Divisão do Trânsito da Secretaria de Transportes de Santo André, José Carlos dos Santos Alves, houve engarrafamento de quase dois quilômetros nas duas direções.

Tanque – O caminhão-tanque que pegou fogo era de 1983 e funcionava como carro reserva para os comandos da região. O veículo pertencia a São Bernardo e estava em Diadema há uma semana porque as duas viaturas de combate a incêndio do município estão em manutenção. Nesta sexta-feira, foi deslocado outro caminhão de São Caetano para a cidade.

O tenente-coronel Adilson Alves de Moraes, do 8º Grupamento, diz que a revisão padrão de viaturas e equipamentos é realizada todas as manhãs, das 7h30 às 8h30. "A viatura tinha passado por revisão e não apresentava defeito. Talvez seja por fadiga do material", justificou o tenente. Segundo Moraes, Diadema comprou um chassi e aguarda licitação para finalizar montagem do veículo.

Em abril, o Diário denunciou a urgência de renovação de viaturas e a necessidade de compra de equipamentos para a corporação de Diadema. Na ocasião, o tenente Arthur Bicudo, responsável pelo comando no município, disse que haveria aumento da frota, que conta apenas com dois caminhões-tanque. Nesta sexta-feira o tenente-coronel afirmou que a unidade comprou um chassi de um auto-tanque e aguarda licitação para a montagem do tanque e da bomba de água.

Em visita recente à região, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), deu uma viatura de resgate e uma carreta para combate a incêndio florestal para Ribeirão Pires, motores de barco para São Bernardo e equipamentos de comunicação para todos os seis municípios que possuem comandos – Rio Grande da Serra não tem posto da corporação.

Perícia – A polícia ainda não sabe o que desencadeou o incêndio do ônibus. A EMTU informou que o veículo passou pela inspeção periódica em 13 de maio e apresentava perfeitas condições para operação no sistema. A empresa diz que vai investigar a causa do incêndio.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;